Empresários de Teresina doa dinheiro e compra respiradores para hospitais públicos

Em meio a tantas notícias ruins a respeito do coronavirus em todo o mundo, um grupo de empresários de Teresina se uniu para ajudar a possíveis vítimas do coronavirus no Piauí.

Eles estão arrecadando, através de cotas, um bom valor em dinheiro para que seja doado a alguns hospitais da rede pública do estado, para que possam adquirir mais aparelhos respiradores

Tudo começou através de um acordo feito em um grupo de Whatsapp onde a maioria dos integrantes é empresário do setor da construção civil. Posteriormente se espalhou para outros grupos e mais gente se disponibilizou para ajudar.

Segundo o OitoMeia apurou, a ideia teve início na manhã deste domingo e até a manhã desta segunda-feira (23/03), já passam de 150 pessoas (ou empresas) interessadas em contribuir. O valor de cada cota é de R$ 2,5 mil.

Quem está responsável por arrecadar este dinheiro e depois repassar para os hospitais da rede pública é o CIEPI (Centro das Indústrias do Piauí -antigo AIP), através do secretário Wilson Craveiro. Segundo ele, muitos empresários que se disponibilizaram a participar da cota devem fazer o repasse ainda nesta segunda-feira.

“Depois que iniciamos a ideia, muitas pessoas decidiram participar e de alguma forma ajudar. Pouco antes desta ligação, eu estava aqui resolvendo com outras pessoas que estão participando, e o número de que está contribuindo não para de crescer. Já passa de 150, alguns que estão fazendo a transferência hoje (segunda)… acredito que até o final da manhã terei uma média do quanto arrecadamos e quem realmente participou”, afirmou Wilson Craveiro.

OitoMeia apurou que um aparelho de respiração como este, o chamado respirador hospitalar, custa em média R$ 80 mil ou mais, sendo possível encontrar, dependendo da marca e do estado de conservação, até por R$ 40 mil. Segundo o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) do Ministério da Saúde. No total, o estado possui 450 aparelhos, destes, 434 já estão ocupados com pacientes que têm problemas respiratórios. A proporção é de um para cada 7 mil pessoas.

Isto significa que a quantidade existente no estado não é suficiente. A Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi), informou ao OitoMeia que prevê adquirir pelo menos mais 70 aparelhos respiradores para os próximos dias. Já a Prefeitura de Teresina analisa a locação de outros 20. Conforme o CNES, a maior parte dos respiradores artificiais estão no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). Pelo menos 64 já estão ocupados. Quanto às demais cidades do Piauí, apenas 14% estão equipadas com respiradores mecânicos. Os equipamentos estão distribuídos em 78 hospitais da rede pública e privada. (Com informações de ALisson Paixão)

Deixe uma resposta