PGE quer anulação da decisão que antecipou a formatura de estudantes de medicina da Uespi

A Procuradoria Geral do Estado do Piauí, entrou com recurso junto ao Tribunal de Justiça do Piauí, pedindo a suspensão imediata, com efeito retroativo, da decisão da juíza Carmelita Angélica Lacerda Brito de Oliveira, da 2° Vara dos Feitos da Fazenda Pública da Comarca de Teresina, concedida no dia 20 de março, que antecipou a formatura de 19 alunos do curso de medicina da Universidade Estadual do Piauí (Uespi).

O objetivo da antecipação da formatura, era para que os estudantes participassem do Programa Mais Médicos e ajudassem o estado no enfrentamento à pandemia do Coronavírus.

No entanto, o Centro Acadêmico de Direção do Curso de Medicina entregou à PGE um abaixo assinado, onde alunos afirmam que ainda não se consideravam médicos e não se sentiam preparados para atuar nas ações de combate ao Covid-19, bem como, cuidar dos pacientes, deixando de comparecer ao estágio acadêmico-profissional hospitalar.

Sendo assim, a PGE entende que “os estudantes dos últimos anos, se recusaram a cumprir seu dever de ofício”, e solicita a suspensão imediata da formatura.(Lurivânia Fernandes)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *