Secretário de Educação diz que é inviável proposta do vereador Ronaldo Prado

Em entrevista concedia nesta quinta-feira (26), à Rádio Igaraçu FM (95.7), o Secretário Municipal de Educação, Rafael Alves, disse que é totalmente inviável a proposta do vereador Ronaldo Prado, feita através de ofício ao prefeito de Parnaíba, Mão Santa,  onde solicita que “seja vista a possibilidade de transformar os alimentos  destinados à merenda escolar,  em cestas básicas para doação às famílias desses  alunos  que estão passando por quarentena por causa do Covid-19”.

“Avaliando a situação, a gente conclui que é total e juridicamente inviável que os recursos da merenda escolar sejam utilizados para outro fim. Estamos antecipando as férias, mesmo sem querer, mas vamos ter que cumprir todos os 200 dias letivos. E temos que cumprir isso quando todo esse vendaval passar. Se eu utilizar nesse momento os recursos em compra de cestas básicas, quando retornarem as aulas, vou comprar merenda com o quê? Vão vir recursos extras? O ministro da Educação até se pronunciou sobre o caso, vendo essa possibilidade. Mas não houve imposição. Além do  mais, temos hoje 20 mil crianças matriculadas e não daria para distribuir cesta básica para todos”, salientou Rafael.

Ele destaca ainda que a distribuição de cestas básica terminaria por provocar aglomeração de pessoas nas escolas, o que é desaconselhável pelas autoridades de saúde. “Hoje a Seduc funciona com uma equipe reduzida, por setores. Estamos dando continuidade a alguma ações nas escolas, vendo alguns problema e os diretores estão orientados para cuidarem de suas escolas, vendo se não houve arrombamentos, o que não aconteceu até agora, graças Deus e o apoio da Guarda Patrimonia”, pontuou Rafael.

Ele disse também que, após essas férias forçadas, será elaborado novo calendário, a fim de que sejam cumpridos fielmente os 200 dias letivos, “nem que tenhamos que entrar janeiro e fevereiro, emendando um ano com o outro.  Temos que  ter as 800 horas/aulas, o que equivale aos 200 dias”, frisou.

Rafael Alves concluiu convidando o vereador Ronaldo Prado a seguir o exemplo de outros colegas seus, que estão redirecionando suas emendas impositivas destinadas ao setor saúde, apenas e tão somente para a prevenção do coronavírus. “Quero parabenizar os vereadores que estão fazendo isso. O momento exige pés no chão e maturidade. É preciso desmontar os palanques. Infelizmente estão querendo montar palanques políticos num momento tão difícil como o  que vive agora a população mundial”.

Deixe uma resposta