CGU desconfia da compra de respiradores por R$ 4,5 milhões no PI

CONTA ESTARIA MAQUIADA – A Controladoria Geral da União já está monitorando mais uma suspeita do governo Wellington Dias nos gastos para combater a pandemia do coronavírus.

Dessa vez, entrou no radar da CGU o valor que o governo empenhou para a empresa TRON ATIVIDADES DE APOIO Á EDUCAÇÃO LTDA, uma empresa que ensina robótica para crianças no Bairro de Fátima, em Teresina, e na cidade de Parnaíba.

Consta do Portal da Transparência da Covid-19 que o governo de Wellington Dias já empenhou R$ 4,5 milhões para a empresa Tron “desenvolver” 300 respiradores que ainda estão em processo de aprovação pela Anvisa, conforme matéria publicada pela própria SESAPI e pela UFPI (Pesquisadores piauienses desenvolvem respirador de baixo custo).

FAKE NEWS DO GOVERNO – . “Os desenvolvedores se preparam para produzir e doar pelo menos 500 equipamentos no Piauí, após a aprovação pela Anvisa. O projeto terá documentação aberta para fins filantrópicos”, diz o texto da matéria divulgada pelo próprio governo do Piauí.

No contrato publicado no Diário Oficial do Estado no dia 12/05 pela Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Piauí com a empresa TRON Atividades de Apoio à Educação LTDA (CNPJ Nº 27.567.990/0001-09) há omissão de valores, informa apenas que seriam “doados” 300 ventiladores mecânicos que possam ser efetivamente e rapidamente inseridos no Sistema Único de Saúde, atuando no combate a pandemia do COVID-19.”

Agora a CGU quer saber que doação é essa que vai custar R$ 4,5 milhões para os cofres públicos, segundo dados do Portal da Transparência do Piauí.

Esse é o grande temor de membros do governo: trazer a atenção dos órgãos de controle federais para dentro do Karnak. A resposta para evitar isso é dizer que os equipamentos serão comprados com recursos estaduais. Assim, os gastos só seriam monitorados pelo Tribunal de Contas do Estado, Polícia Civil e Ministério Público Estadual.

GOVERNO DIZ QUE É SÓ R$ 1,8 MILHÃO – Quando a CGU bater na porta do Palácio de Karnak, membros da equipe de Wellington Dias vão dizer que não vão usar nenhum centavo federal e que houve um erro. Essa é a explicação de sempre. O valor desse contrato na verdade seria de R$ 1,8 milhão. Mas, é preciso destacar que essa é mais uma “doação do coronavírus” anunciada pelo governo do Piauí, mas na prática não era verdade.

O Tribunal de Contas do Estado e o Ministério Público, bem como a CGE, também precisam apurar a diferença nessa conta de R$ 1,8 milhão para R$ 4,5 milhões.(Código do Poder)

Deixe uma resposta