Piauí: Governo aluga UTIs em hospitais privados

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) contratou, pelo período de três meses, dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) e dez apartamentos clínicos da rede hospitalar privada. Com um custo total de R$ 3,2 milhões, o extrato do contrato foi publicado na edição do Diário Oficial do Estado (DOE) na última terça-feira (19).

Mesmo com vaga na rede pública, o Governo contratou sem licitação 10 leitos de UTI em hospitais privados de Teresina.

A contratação aconteceu sem licitação, através de chamamento público. Neste procedimento evita-se a morosidade de um processo licitatória, desde que respeitados princípios previstos pela legislação, como o da probidade administrativa por exemplo. A publicação, no entanto, não especifica a existência de um edital.

O documento foi assinado pelo secretário Florentino Neto, que assegurou ter seguido todas as exigências de parametrização exigidas. “Estamos alugando leitos de hospitais privados porque estamos vendo o número de leitos das nossas UTIs serem ocupados e diminuírem nossa capacidade operativa”, justificou. 

Dados da Sesapi realmente confirmam o crescimento da taxa de ocupação das unidades públicas de saúde em todo o estado nos últimos meses, porém, o boletim da última quarta-feira (20) mostra que o mesmo vem acontecendo com os serviços rede privada neste período pandêmico. 

O boletim da pasta também revela que a quantidade de leitos clínicos e de UTIs sem ocupação e disponíveis em todo Piauí, tanto em Teresina como nos municípios do interior, ainda era maior que os de hospitais particulares. Mesmo assim, o secretário afirma que novos leitos privados podem ser solicitados.(Por: Breno Cavalcante, do Jornal O Dia)

Deixe uma resposta