Corpo de Bombeiros no Piauí alerta para os riscos de queimadas e incêndios

No Piauí, quando os ventos de julho começam a cessar, seis letras e um conjunto de fatores climáticos dão a cara e o tom dos meses subsequentes. Marcado por altas temperaturas, tempo seco e ventos fortes, é no B-R-O Bró, período mais quente do ano, que se estende pelos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro, que se torna mais propícia a ocorrência de incêndios, tanto em meio às vegetações nativas, na zona rural, como no perímetro urbano.

Dados do Corpo de Bombeiros Militar do Piauí (CBMP) apontam que no mês de agosto a corporação atendeu entre 12 e 15 ocorrências somente de incêndios por dia. A maioria ocasionada pela ação humana, realizada sem as medidas de segurança necessária.

Segundo o relações públicas do Corpo de Bombeiros, o tenente-coronel José Veloso, a recomendação é de que, caso seja estritamente necessário fazer algum tipo de “limpeza” de terreno, que se realize em um horário de temperaturas mais amenas, como no início da manhã. “Além disso, é fundamental a construção de um afastamento de segurança, um aceiro de, no mínimo, uma vez e meia a altura da vegetação, sendo no mínimo de três metros”, explica o bombeiro.

Outra recomendação do Corpo de Bombeiros é que os terrenos baldios sejam mantidos limpos, sem entulhos. A realização de queimadas pode ser enquadrada na lei n.º 9.605 de 12 de fevereiro de 1998 (Lei de Crimes Ambientais).

Fonte: Com informações da Ascom

Deixe uma resposta