Fábio Abreu silencia quando Governo nega direitos de professores no Piauí

Em pronunciamento gravado em vídeo e distribuído a professores da rede pública piauiense, o deputado federal Fábio Abreu, candidato a prefeito de Teresina pelo PL, afirma que é favorável à derrubada do veto atribuído pelo presidente Jair Bolsonaro ao item do projeto n° 14.057/2020, que destina 60% dos valores do Fundef aos professores. O candidato disse que é a favor das pautas em defesa de servidores. “Os professores podem contar comigo”, declarou. O pedido para gravação do vídeo/compromisso foi feito pelas entidades sindicais que representam magistério.

Fábio Abreu em vídeo distribuído aos professores: apoio à classe (Foto/Vídeo)

No Piauí, o governador Wellington Dias (PT), aliado político de Abreu, despreza as reivindicações de servidores e professores. Desde o ano passado que o Governo se nega em pagar o piso nacional de salários para professores. Este ano, o percentual a ser acrescido nos salários seria de 12,84%. Na condição de defensor da pauta dos servidores e professores não se tem notícia de que Fábio Abreu tenha procurado o governador para, pelo menos, debater o assunto. Houve também, em junho, o seqüestro do abono-férias de todos os servidores. O governador promete devolver em dezembro. De novo, nenhuma manifestação do parlamentar do PL.

Sabe-se que muitos problemas no âmbito administrativo são resolvidos através de articulações políticas. Fábio Abreu também nada disse em defesa dos professores quando o governador decidiu recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal) para utilizar 30% dos precatórios do Fundef – cerca de R$ 570 milhões – no combate ao Covid 19. Transformaria os recursos em emergenciais e dispensaria licitação para seu uso. O mesmo posicionamento público se vê da parte do deputado Merlong Solano (PT). Ele anuncia apoio aos servidores quanto ao veto de Bolsonaro. Mas não diz nada quanto aos atos praticados pelo governador do Piauí, de quem foi, até recentemente, secretário de Governo. Exerce mandato em lugar do falecido Assis Carvalho. Não podia ser diferente. (Toni Rodrigues)

Deixe uma resposta