MP instaura inquérito para apurar uso de caixa 2 na campanha de Fábio Abreu

O Ministério Público Eleitoral instaurou Procedimento Preparatório Eleitoral para investigar a suposta ocorrência de crime de caixa 2, na campanha de Fábio Abreu, para as eleições municipais.

A denuncia diz respeito a um contrato celebrado entre a pasta da Secretaria de Segurança Pública do Piauí e a Imobiliária Lima Aguiar, contratada, por meio de seu administrador Guilherme José Lima, amigo íntimo de Fábio Abreu Costa, segundo a representação, no valor de R$ 25.000 reais por mês, pelo imóvel localizado entre a Rua Clodoaldo Freitas e a Rua Rui Barbosa, no Centro, de Teresina, sob a justificativa de que no local seria abrigado de complexo das delegacias especializadas. Entretanto, segundo a representação, o imóvel NUNCA foi utilizado e, portanto, diante disso, apresenta indícios de captação e desvio de recursos públicos, que, de acordo com o MPE, está sendo usado como Caixa 2, com o objetivo de ser aplicado na campanha eleitoral municipal deste ano, em favor de Abreu. Silas Freire)

Deixe uma resposta