Polêmica volta das aulas presenciais no Piauí vai parar na Justiça

A polêmica sobre o retorno das aulas presenciais, a partir da próxima segunda-feira (5), nos 3° ano do Ensino Médio, das turmas preparatórias para o Exame Nacional do  Ensino  Médio  (Pré-Enem)  e  do  8º  período do Ensino Superior no Piauí foi parar nos tribunais. Professores e donos de escolas estão em lados opostos. Os governos estadual municipais assistem calados à disputa. E os pais de alunos não foram ouvidos sobre o assunto.

A volta das aulas presenciais acabou judicializada

O Sindicato dos Professores e Auxiliares da Administração Escolar do Piauí e Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado do Piauí (Sinepe) divergem sobre a volta das aulas presenciais para esses alunos no momento em que o Piauí registra um aumento de casos confirmados de Covid-19.

A decisão do juiz substituto Roberto Wanderley Braga, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 22ª Região, de suspender o retorno das atividades presenciais nas escolas publicas e privadas no Piauí ganhou ampla repercussão no estado. O ‘abre e fecha’ de escolas acabou judicializado. Alunos e pais de alunos deveriam ser ouvidos, mas continuam no meio desse “tiroteiro”.  

O presidente do Sinepe, professor Marcelo Siqueira, disse que já sabia que o Sindicato dos Professores entraria na Justiça com o pedido de suspensão da volta das aulas presenciais, mas que ficou surpreso, “porque tudo foi feito com muito cuidado”.

“O Centro de Operações Especiais [do Governo do Estado] fez reuniões conosco. Nós fizemos treinamento com a Vigilância Sanitária. Você pode fazer visita em qualquer escola particular. A escola particular é responsável. Nós preparamos o ambiente escolar de acordo com o protocolo que nos foi repassado”, ressaltou o presidente do Sinepe.

“Vamos responder ao juiz e também vamos buscar outros recursos [na Justiça]. Fomos surpreendidos, mas vamos cumprir a decisão, com a esperança de conseguir reverter e segunda-feira começar as aulas”, avisou Siqueira.

Fonte: Paulo Pincel

Deixe uma resposta