Sem governo. Sem água…

Há várias semanas sem água, moradores do centro de Altos, 42 km de Teresina, se dirigiram na manhã desta quinta-feira ao escritório local da Agespisa para apelar por uma solução. Provenientes de várias ruas, compareceram com latas d’água na cabeça para demonstrar a situação de sofrimento em que se encontram e, com isso, tentar sensibilizar a autoridade responsável.

Populares comparecem à Agespisa com latas d’água na cabeça (Foto/Reprodução)

Mas, de acordo com depoimentos divulgados na internet, não houve qualquer promessa de solução. Pelo contrário. Os representantes da Agespisa (Companhia de Águas do Piauí) afirmam apenas que a solução depende de investimentos que o governo do estado não pode, sozinho, realizar.

O drama se arrasta há vários e se agrava consideravelmente no período da seca, entre os meses de setembro e dezembro. Nos meses seguintes ocorre uma certa melhoria no abastecimento e então as pessoas voltam a se acomodar. A moradora Fátima Raulino compareceu com uma lata d’água ao lado de várias amigas e vizinhas e participou do diálogo com a representação da Agespisa. Mas saiu entristecida do encontro.

Numa emissora de rádio da capital, um indivíduo que se apresenta como representante da prefeitura e, conseqüentemente, do governo naquele município, disse que o problema se agrava neste período porque as pessoas passam a consumir muita água. Acontece que não pode haver aumento no consumo se o produto não existe nas torneiras.

Recomendou que os moradores fossem até a Assembleia Legislativa para pressionar os deputados que, por sua vez, pressionariam o governo. Outra lamentável postura. Existe em Altos, dentro do esquema governista, elemento que se apresenta como deputado, embora seja apenas um suplente, e que alega ter contato direto com o governador. Pelo visto sua ligação com o chefe do Executivo estadual não abrange a questão da água, mas somente ações pontuais que ocorrem nos períodos de eleição, a cada dois anos, para subjugar o eleitorado. (Toni Rodrigues)

Deixe uma resposta