Margarete Coelho é agredida após defender Mariana Ferrer

Por Rany Veloso

Em entrevista ao blog, a deputada Margarete Coelho (PP-PI), disse que após inciativa do projeto de lei que tornará violência institucional crime, foi atacada em suas redes sociais com mensagens pornográficas e agressivas. ” O projeto de lei, ao ser anunciado, recebeu um bombardeio de um grupo chamado ‘Macho Escroto’. Atacaram minhas redes sociais. Encaminhamos ao presidente da Casa, que percebeu que não é ‘mimimi’. É uma violência que está no cotidiano. Recebi mensagens pornográficas, ameaçadoras e agressivas. Não dá para engolir que uma instituição, a serviço da justiça, diga que um estupro não foi intencional. Existe castração não intencional?”, “relatou. 


As deputadas querem que o PL seja aprovado ainda em 2020.
 “A ideia é que esse ano ainda votemos um pacote em favor das mulheres. São diversos questões, como a violência política. Elas são assediadas, agredidas, xingadas quando estão na vida política. Queremos votar a quota de cadeiras de mulheres na Casa, não apenas em Brasília. Hoje temos metade dos municípios sem nenhuma mulher, e um terço nunca teve uma mulher no poder. Vamos resolver dentro da máxima de Marilena Chauí: quem não tem poder não tem direito. Vamos votar a violência política e a institucional”, afirma.

Deixe uma resposta