Portal “The Intercept Brasil” divulga matéria culpando Dr Pessoa: “Doentes por Covid-19 podem morrer”

O portal ‘The Intercept Brasil”, um dos mais acessados nacionalmente, divulgou uma grande reportagem intitulada “Prefeito de Teresina não compra remédio e doentes com Covid-19 podem morrer sem intubação”.

Na reportagem, assinada pela jornalista Nayara Felizardo (que escreve em primeira pessoa), o portal informou que Dr. Pessoa sabe há semanas que a capital do Piauí sofre com estoque zerado de medicamentos cruciais, mas estaria “ignorando” o pedido de compra de emergência.

A reportagem inicia lembrando que o prefeito Dr Pessoa esteve na inauguração de um supermercado e esteve em meio a uma aglomeração de pessoas, que aguardavam a abertura do local. “Foi a grande atração no evento de abertura de uma nova unidade do supermercado Mix Atacarejo, em 4 de fevereiro. Vídeo mostra que distanciamento social e medidas restritivas não são prioridade na gestão do Dr. Pessoa – tampouco comprar remédios para intubação”, diz trecho da matéria.

“Tive acesso a um documento da Diretoria de Assistência Especializada, a DAE, órgão responsável por traçar ações para a assistência hospitalar, ligado à Fundação Municipal de Saúde de Teresina, a FMS. Trata-se de um memorando com pedido de compra emergencial de medicamentos essenciais para pacientes em UTIs de covid-19. O documento foi enviado em 26 de fevereiro pela DAE para a FMS e já alertava que o estoque estava “crítico ou zerado” e solicitava a “aquisição em caráter de urgência”. Passado um mês, os medicamentos ainda não chegaram”, informou o ‘The Intercept Brasil”

SEM ESSES MEDICAMENTOS, É IMPOSSÍVEL INTUBAR

Segundo a reportagem, o documento listava 17 remédios indispensáveis, entre eles sedativos como midazolam e fentanila e bloqueadores musculares como atracúrio, cisatracúrio, rocurônio e pancurônio. Sem neurobloqueadores musculares, é muito difícil, se não impossível, intubar um paciente. Segundo médicos intensivistas, os medicamentos citados impedem os reflexos involuntários na musculatura e facilitam a passagem do tubo pela garganta. Já os sedativos são essenciais para manter a pessoa dormindo e evitar que ela, como dizem os profissionais de saúde, “brigue com o respirador”.

A matéria relata que uma fonte coloca Teresina como uma cidade que pode viver um colapso semelhante ao que aconteceu no estado do Amazonas recentemente: “De acordo com uma fonte da área da saúde não quis se identificar, não vai demorar muito para que as cenas de terror vistas em fevereiro em Parintins, no Amazonas, se repitam em Teresina. Por falta de sedativos, os pacientes foram amarrados com gazes nas macas por um fim de semana. Conscientes, eles não suportavam o tubo e queriam arrancá-lo”

PREFEITURA CONSIDERA “ABSURDO” MATÉRIA E FALA EM APARELHOS CONFISCADOS

A reportagem do OitoMeia entrou em contato com o secretário municipal de Comunicação Lucas Pereira, que classificou a matéria do “The Intercept Brasil” como “absurdo” e divulgou um texto explicando que, embora o município tenha realizado esforços no sentido de adquirir equipamentos e insumos, os aparelhos têm sido confiscados pelo Ministério da Saúde, que distribui para os Estados conforme a demanda de leitos de UTIs.

“A prefeitura informa ainda somente nos últimos 2 meses, já foram aplicados R$ 176 milhões do Tesouro Municipal, correspondentes a 57 % das receitas líquidas arrecadadas em saúde. A Fundação Municipal de Saúde ressalta ainda a abertura de mais de 100 leitos entre de UTIs e clínicos para atender pacientes Covid. A Prefeitura reúne diariamente o comitê gestor de enfrentamento à Covid para avaliar a situação da pandemia na capital e adotar medidas de controle do vírus na capital”, ressaltou Lucas Pereira.

Dr Pessoa ao lado de Lucas Pereira (Foto: Reprodução Redes Sociais)

Deixe uma resposta