Concessão do aeroporto de Parnaíba é discutida em Audiências públicas

Audiências públicas da PPP do Aeroporto de Parnaíba acontecem na próxima semana O aeroporto é chave para o desenvolvimento do turismo do estado, com Parnaíba integrando a Rota das Emoções. O projeto da PPP prevê a concessão por 32 anos e conta com valor estimado de investimento de cerca de R$ 112 milhões.

A Superintendência de Parcerias e Concessões (Suparc), realizará na próxima semana, as audiências públicas da Parceria Público Privada (PPP), do Aeroporto de Parnaíba – Prefeito Dr. João Silva Filho. Esse projeto tem por objetivo melhorar a qualidade dos serviços e fomentar o turismo e desenvolvimento na região do litoral piauiense. Na segunda-feira (12), acontece a audiência em Teresina, às 9h no auditório da Piauí Conectado, e será híbrida, com transmissão pelo canal do Governo no Youtube (https://youtu.be/J9q4IRDSY2g). Já na terça-feira (13), é a vez da audiência em Parnaíba, às 9h no auditório do Sebrae.

Parnaíba se destaca pelo potencial turístico, com número estimado de visitantes na região sendo 1 milhão de pessoas por ano. A cidade é uma das paradas da Rota das Emoções, passeio que inclui Jericoacoara (CE) e Lençóis Maranhenses (MA). Além disso, é a base para conhecer o Delta do Parnaíba, único delta em mar aberto das Américas.

Parnaíba é considerada pelo Ministério do Turismo como ponto turístico com alto número de empregos no setor, de estabelecimentos formais no setor de hospedagem e potencial de fluxo de turistas internacionais. “Esse é o aeroporto mais próximo da Europa. Ele já tem uma estrutura bastante adequada, que será modernizada. Isso vai trazer mais voos e mais turistas, além de viabilizar o transporte de cargas e melhorar a base de produção local. É uma PPP de infraestrutura que vai gerar emprego e movimentar a economia não só de Parnaíba, mas também Luís Correia e Ilha Grande”, comenta a superintendente da Suparc, Viviane Moura.

O aeroporto tem ainda potencial de ser um centro de distribuição de cargas, considerando sua localização central em relação a outras grandes cidades do Nordeste. Também está próximo de uma zona de processamento de exportação (ZPE) e pode ser utilizado na importação de insumos, assim como na exportação da produção, e algumas cargas poderiam ser movimentadas até o aeroporto, como farmacêuticos e outros produtos com valor agregado elevado.

A empresa vencedora da licitação ficará responsável pela administração, conservação, implantação de melhorias e operação aeroportuária no aeroporto. A concessão será de 32 anos e tem valor estimado de investimento de cerca de R$ 112 milhões. De acordo com as previsões dos estudos da PPP, a movimentação de passageiros em 2050, considerando a entrada de novas rotas comerciais domésticas e início das rotas internacionais, é de 500 mil. Ainda nesse cenário, a receita anual estimada para o aeroporto em 2050 seria de R$ 16,69 milhões. Com a nova administração, os custos operacionais tendem a cair, como é observado na maioria dos aeroportos atualmente com contratos de concessão. (politicapiaui)

Deixe uma resposta