Covid-19: No HUT, 14 enfermeiras entregam escalas de plantões e choram ao receber R$ 80 no contracheque

Situação da saúde em Teresina continua se agravando. Hospital de Urgência de Teresina registra profissionais esgotados Foto: G1/Piauí

Por: Rodrigo Alencar

A Prefeitura Municipal de Teresina realizou nesta quarta-feira (31), o pagamento do salário dos profissionais que atuam na área da saúde. Centenas de trabalhadores contratados e especialmente os que atuam na linha de frente do combate à Covid-19 foram surpreendidos com o corte nos vencimentos e ameaçam uma paralisação geral. 

Em alguns casos, de acordo com denúncias repassadas ao El Piauí, técnicos em enfermagem teriam recebido R$ 80 de gratificação, quando um plantão deveria pagar cerca de R$ 220. 

“O pagamento saiu hoje. Muitos profissionais chorando. 14 enfermeiras entregaram as escalas. Várias técnicas, teve gente que recebeu R$ 80 entre plantões. No HUT todos tristes. São os profissionais da Covid sem salários”, disse uma enfermeira que atua no Hospital de Urgência de Teresina. 

Uma técnica entrevistada por nossa reportagem, contou com detalhes a situação dos trabalhadores da saúde. Segundo ela, alguns profissionais receberam menos de R$ 1 mil no contracheque deste mês de março. Com medo de retaliações, ela pediu para não ser identificada. 

“Vão parar porque estão pagando muito baixo o valor do plantão para os trabalhadores contratados. Um plantão de um enfermeiro, por exemplo, de 12 horas, era R$ 220 e teve gente alegando que recebeu o valor do plantão de R$ 170 pra quem trabalha no setor Covid. Até a insalubridade que o Dr. Gilberto falou na TV que não ia pagar dobrado, mas que iria pagar os 20% para quem trabalha no setor Covid, não foi pago. Tem técnico em enfermagem que recebeu menos de R$ 1 mil para trabalhar numa escala de 30 horas, antigamente a gente recebia era o valor dobrado”, denuncia. 

Prefeito de Teresina, Dr. Pessoa (MDB), se isenta do assunto e não fala nada sobre a defasagem salarial e os descontos nos contracheques. Ele que é médico, tem tratado com indiferença a situação da pandemia na capital Foto: Reprodução/GP1

“Os técnicos de enfermagem, enfermeiros, que estão sendo contratados, a maioria está entregando as escalas, porque não compensa você dar 10 plantões no mês, às vezes 20, para ganhar R$ 1.500, R$ 1.800, é muito defasado”, completou.

Uma outra enfermeira, contou ao El Piauí que a situação dentro dos hospitais da capital irá piorar. Para ela, a falta de profissionais, visto que os atuais estão entregando os plantões, irá acarretar em uma falta de cuidados, justamente no momento em que a pandemia se agrava em Teresina. 

“E com a carência de muitos profissionais, muitos pacientes ainda virão a morte devido a falta de cuidados humanos que se deveria ter e devido a superlotação os profissionais remanescentes não conseguirão suprir os cuidados suficientes para a melhoria de saúde dos pacientes”, conta.

A previsão é de que os profissionais da saúde deflagrem uma paralisação nesta semana. O sindicato da categoria ainda não se posicionou, mas nas redes sociais a insatisfação é geral. A PMT e a Fundação Municipal de Saúde (FMS), ainda não se posicionaram. A FMS busca novos trabalhadores para atuarem, contudo, exigem experiência com Covid. 

Deixe uma resposta