CPI da Covid: Ciro Nogueira bate-boca com senador Otto Alencar

Durante reunião, nesta terça-feira (27), para instalação da CPI da Covid, no Senado Federal, o senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas, bateu boca com Otto Alencar, que presidia a sessão.

Ciro Nogueira e Otto

Ciro Nogueira e Otto Alencar

Ciro pediu a suspensão da sessão até que fosse sanado um vício na composição da CPI. “O nosso regimento interno expressa que um senador só pode fazer parte de comissões parlamentares de inquérito em uma comissão como titular e em outra comissão como suplente e nós temos alguns casos de senadores que fazem parte de mais de uma CPI, inclusive, vossa excelência, que faz parte da CPI da Pandemia e na CPI da Chapecoense”, argumentou o senador.

“Eu não quero criar nenhum problema, mas eu quero que seja sanado, e acho que tem que suspender a CPI até que esse vício insuperável seja sanado”, completou Ciro Nogueira.

Em resposta, o senador Otto Alencar negou o pedido do piauiense. “Senador Ciro Nogueira, essa é uma CPI que não é temática, é para investigar de acordo com decisão do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e em outras oportunidades várias CPIs foram instaladas e vossa excelência não questionou à época, portanto, indefiro a questão de ordem de vossa excelência”, decidiu.

Ciro então disse que Otto não poderia indeferir o pedido e o senador rebateu afirmando que era o presidente e que poderia indeferir sim, o pedido, além de falar que o colega queria dificultar a criação da CPI.

“Vossa excelência está querendo dificultar a instalação da comissão, que é uma coisa que não cabe a vossa excelência até porque vossa excelência não é contra a investigação dos recursos, mas a questão de ordem está indeferida”, declarou Otto.

Ciro finalizou afirmando que o senador não estava respeitando o regimento. “Tá claro que o senhor não está respeitando o regimento da casa”.

CPI instalada

Com 8 votos, a maioria dos integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid escolheu o senador Omar Aziz (PSD-BA) como presidente do grupo. A votação mantém o acordo feito previamente entre os partidos. O governista Eduardo Girão (Podemos-CE), que também concorreu, teve 3 votos. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), candidato único, ficou com a vice-presidência. Ele teve 7 votos.

Aziz designou Renan Calheiros (MDB-AL) como relator, em derrota para o Palácio do Planalto. O emedebista tem feito oposição sistemática ao governo federal e é próximo ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, provável adversário do presidente Jair Bolsonaro na corrida eleitoral de 2022. (Wanessa Gommes)

Deixe uma resposta