Livro sobre Carnaúba revela riqueza do Piauí

Acaba de sair, pela editora Bienal, do jornalista Zózimo Tavares, o livro “Carnaúba, uma riqueza do Piauí”. Em edição bilíngue – e excelente projeto gráfico – a obra descreve as características, potencialidades e valor econômico da árvore símbolo do Piauí, sem deixar de mencionar a preocupação com a preservação da espécie, surgida ainda na década de 1910, pelo então governador Antonino Freire.

Pouca gente talvez saiba, mas a carnaúba é uma das árvores mais produtivas que se conhece. Dela se extraem componentes para a fabricação dos mais variados produtos, como tintas, cosméticos e peças de informática. Suas palmas e fibras são usadas na cobertura de casas, na confecção artesanal de chapéus, cestas, bolsas, redes, cordas, colchões, esteiras e uma infinidade de outros utensílios.

O aspecto decorativo e paisagístico também é lembrado na publicação que merece estar em todas as salas piauienses – residenciais e oficiais – para que se conheça um pouco mais sobre esse tesouro natural presente em solo piauiense.

O livro é ricamente ilustrado com fotografias de Aureliano Müller, Juscelino Reis, Luciano Klaus, Valdeci Ribeiro, entre outros. E o autor do livro, que também é presidente da Academia Piauiense de Letras, fez questão de incluir a literatura, com poemas de H.Dobal e O.G. Rego de Carvalho, arrematando a beleza de uma árvore que encanta, enaltece e enriquece o Piauí.

Zózimo Tavares, que nos ajuda a revisitar a história piauiense com a biografia de tantas personagens importantes para o Estado, agora nos faz mergulhar na história contada silenciosamente pela carnaúba, uma árvore que resiste ao tempo, estando presente na cultura de ontem, de hoje, e certamente, do amanhã.(Cláudia Brandão)

Deixe uma resposta