Regina Sousa diz não ter ambição sobre 2022: “Meu nome não é aglutinador”

Pela primeira vez, a vice-governadora Regina Sousa (PT) falou abertamente sobre as eleições de 2022. Ela afirma não ter ambição de concorrer na sucessão do governador Wellington Dias (PT) e afirma que não tem um nome  que aglutinaria apoios, devido  a sua personalidade considerada mais dura por alguns aliados. 

Regina tem grandes chances de assumir o governo, caso o governador renuncie para ser candidato ao Senado em 2022. 

“Essa é uma discussão que o partido ainda não começou. O governador que é o grande articulador político  de todo esse processo desde 2002. A única coisa certa que tenho é que se o governador  se afasta, vou ser governadora. Não tenho ambições com relação a isso. Não faço disso um objetivo de vida. Não é uma coisa que busquei. Não brigo por isso. Quero é que esse grupo continue unido. É uma possibilidade remota. Mas não sabemos o dia de amanhã. Pode ser tenham pessoas que aglutinem mais. Sei que meu nome não é muito aglutinador devido o meu jeitão de ser. Não quero ser empecilho de nada. “, disse.

No PT, além do nome de Regina Sousa, o partido discute outras possibilidades como o secretário de Fazenda, Rafael Fonteles.  Para a vice-governadora, ele é um nome novo, mas que participa das discussões importantes da sigla. 

“Rafael é um grande quadro. Tem se projetado muito bem. Ele é do partido, muito novinho ainda, mas não é aquele militante, ele entrou pela área empresarial, mas sempre do partido. Sempre participa das discussões importantes. O pai dele tem uma história no partido. É capacitada e capaz”, disse. (Lídia Brito)

Deixe uma resposta