Vereadores aprovam e Prefeitura de Parnaíba vai adquirir imóvel para abrigar secretarias municipais

Embora totalmente desnecessário no momento atual de pandemia e de necessidades outras mais prementes, a Prefeitura de Parnaíba vai, de fato, gastar cerca de R$ 700 mil reais para adquirir, na Praça Santo Antônio,  o imóvel que foi residência  do falecido empresário Vicente Correia. De acordo com o projeto, o valor é reajustável.

O prédio a ser adquirido pela prefeitura de Parnaíba

A Câmara Municipal de Parnaíba aprovou, em sessão na noite desta quarta-feira(14), o projeto de lei do Poder Executivo, autorizando a compra, inclusive dando condições à prefeitura para contrair uma linha de crédito específica para a aquisição do imóvel, ou seja, “a prefeitura não tem dinheiro e ainda vai se endividar, num momento como este”, observa a vereadora Fátima Carmino, da oposição, que votou contra, juntamente com os vereadores Zé Filho Caxingó e o enfermeiro Taylon Andrade. Os outros dois vereadores de oposição são Ronaldo Prado, que votou a favor, e Ricardo Véras, que faltou à sessão.

Vereador Ronaldo Prado, da oposição, votou a favor  do projeto do prefeito

Salientando que o projeto apresenta várias falhas, a vereadora Fátima Carmino enfatizou, em vídeo divulgado em suas redes sociais, que “a aquisição desse imóvel é totalmente desnecessária. Não é momento pra isso, quando falta remédio nos postos de saúde, não tem vigia nos postos, há problemas da falta de vacinas na cidade, muita coisa pra ser investida na saúde da cidade e a gente aqui aprovando um projeto de 700 mil…pode ser aprovado, mas não com meu voto”, pontuou a vereadora.

Vereadora Fátima Carmino divulgou vídeo justificando voto contra

IMÓVEIS DA PREFEITURA

Na gestão do ex-prefeito Paulo Eudes a prefeitura de Parnaíba fez a aquisição de vários prédios antigos no centro histórico do município, com o objetivo instalar órgãos da administração municipal. Após a saída do ex-prefeito, os outros que o sucederam não cuidaram do patrimônio municipal e hoje os velhos prédios, em desuso, estão em situação deplorável, alguns servindo de abrigo local de prostituição e consumo de drogas. 

 Prédio onde funcionou a fábrica “Moraes S/A” – no bairro do Carmo

Prédios históricos como este, que pertencem à prefeitura, estão se acabando, deteriorados pela ação do tempo, por falta de reforma e manutenção. Falta de compromisso com o dinheiro público, gasto na aquisição dos referidos imóveis. Em resumo: se a prefeitura dispõe de imóveis para colocar órgãos municipais, por que o gasto com a aquisição de outro prédio antigo, num momento difícil como o atual???

Deixe uma resposta