Abuso e perseguição a brasileiros abalam relações com a Angola

Rascunho automáticoChanceler Carlos França ouviu da Frente Parlamentar Evangélica relatos sobre a perseguição a brasileiros e à Igreja Universal

A deportação sistemática de brasileiros atingiu contornos de xenofobia e perseguição exercidas de forma abusiva pelo presidente de Angola, João Lourenço, a tal ponto que o Ministério das Relações Exteriores convocou o embaixador angolano a dar explicações. A um ano de novas eleições, Lourenço persegue estrangeiros, até mesmo quem investiu no país, traiu o ex-presidente José Eduardo dos Santos, que o inventou, e num golpe de mão assumiu o controle de quase todos os veículos de comunicação. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Além de serem expulsos do país, os brasileiros viram seus investimentos surrupiados na mão grande e suas contas bancárias bloqueadas.

Ao assumir, o presidente prometeu “imprensa livre”. Lorota. Apoderou-se de duas e revogou licenças de três TVs, 27 rádios e dezenas de jornais.

Vítimas do surto autoritário, a TV Record foi fechada e a Igreja Universal foi abusivamente “tomada” e entregue a espertos “dissidentes” locais.

O chanceler Carlos França ouviu da Frente Parlamentar Evangélica relatos sobre a perseguição a brasileiros e à Universal, em Angola.

Deixe uma resposta