Embrapa/PHB será reestruturada com pesquisadores à distância

Em reunião virtual com o deputado federal Átila Lira (Progressistas), coordenador da bancada do Piauí no Congresso Nacional, na noite de quarta-feira (5), a ministra da Agricultura, Teresa Cristina,  informou que a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias) de Parnaíba (345 km de Teresina), não será desativada,  mas parte de seus funcionários da área administrativa será transferida para a Embrapa Meio Norte em Teresina.

A  ministra da Agricultura, Teresa Cristina-

A  ministra da Agricultura, Teresa Cristina-

Tereza Cristina afirmou que não abre mão destas mudança porque a Embrapa, que possui 2,4 mil servidores vai passar por uma reestruturação, privilegiando a pesquisa à distância. Segundo ela, as pesquisas presenciais serão apenas as que necessitarem de experimento como plantios em campos.

“A discussão se encaminhou no sentido de se tentar impedir a transferência dos funcionários da Embrapa de Parnaíba para Teresina, insistimos muito, mas a ministra não pode tomar a decisão, alegando que em outros lugares esse problema está ocorrendo”, afirmou Átila Lira.

A ministra Tereza Cristina falou que está sendo feito um Plano de Reestruturação da Embrapa para todo o Brasil e no Piauí está incluído.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina falou que vai reestruturar a Embrapa e melhora sua atuação em Teresina, Parnaíba, Campo Maior, Castelo do Piauí e região dos Cerrados.

“É isso que eles alegam, mas a bancada tentou ver se sustava essa transferência, mas não conseguiu ainda, não. É um assunto para se decidir depois”, afirmou Átila Lira.

O deputado federal Átila Lira confirmou com a ministra Teresa Cristina que a Embrapa vai  Unidade de Parnaíba, sem nenhuma dúvida.

“Só que eles querem tirar uma parte dos funcionários administrativos. Eu falei para ver se eles aumentaram o número de pesquisadores, mas eles querem manter hoje essa sistemática, que se está usando muito, de trabalhar com pesquisadores à distância. Salvo, quando tiver algum experimento localizado. Ou seja, alguma pesquisa que exija plantações locais aí eles vão fazer. Vamos continuar insistindo junto ao Ministério da Agricultura para que eles melhorem a Embrapa de Parnaíba porque eles têm o compromisso de ajudar a bacia leiteira, a fruticultura e a pesca”, afirmou Átila Lira.

Merlong denuncia fechamento da Embrapa de Parnaíba

O deputado federal Merlong Solano (PT) foi procurado por servidores da Embrapa Meio Norte e pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário (Sinpaf) para tratar sobre o fechamento da Unidade de Execução de Pesquisa de Parnaíba da Embrapa Meio-Norte.

Embora a chefia-geral do órgão alegue que as mudanças são fruto da necessidade de reposicionamento das equipes, servidores denunciam o fechamento de laboratórios e a demissão de funcionários, bem como a transferência compulsória de pessoal. O assunto foi discutido em reunião com o deputado federal Merlong Solano (PT) durante esta semana.

O parlamentar destacou a importância do trabalho da Embrapa, pela referência conquistada ao longo dos anos, tanto no cenário nacional quanto internacional. Merlong avalia que o Brasil não teria a força que tem na agropecuária sem as pesquisas da Embrapa e que a instituição deveria estar fortalecendo seus laços com a comunidade, com a universidade e com o setor agropecuário, ajudando as empresas a ter uma produção sustentável cada vez melhor. 

“Manifesto meu compromisso com os pesquisadores e servidores da Embrapa de Parnaíba, contra o encerramento das atividades da unidade, que está sofrendo um verdadeiro desmonte. Infelizmente, esse desmonte não é um fato isolado. Está acontecendo no Ibama, no ICMBio, nas universidades, nas instituições públicas de maneira geral. É um projeto de governo que defende o Estado Mínimo, submetido ao grande capital financeiro”, lamenta Merlong. (Por: Efrém Ribeiro)

Deixe uma resposta