Parem com a politicalha! É hora de cuidar das pessoas!!!

Guarani – engraxate da Praça da Graça: após a luta contra a Covid-19

Não há o que duvidar que a internet é terra de ninguém, ou um campo de batalha, como queiram, onde todo tipo de discussão ocorre, principalmente as inócuas, vazias. Mesmo no auge de uma pandemia, onde quase todo mundo já perdeu um ente querido e muitos vivem com o coração e a alma destroçadas de saudades daqueles que a Covid levou. Mas o ser humano parece não evoluir, apesar de tudo. E para tudo querem dar uma conotação política (ou politiqueira?), mostrar o ranço que carregam dentro de si, por frustrações, decepções, mágoas, recalques, enfim, dramas que carregam na alma cuja culpa querem atribuir a um ou a outro.

Esta semana, por exemplo, ao publicarmos em nossas redes sociais um vídeo, onde o amigo Guarani, engraxate da Praça da Graça, retornava pra casa após vencer a Covid, e agradecia o atendimento que teve no Hospital Nossa Senhora de Fátima (Anexo do Hospital Dirceu), não faltou comentário carregado de veneno, questionando o atendimento do Hospital Dirceu – HEDA, com relação aos intubados. No comentário, a impressão que passa é que naquele hospital, se o paciente não tiver apadrinhamento político vai morrer à míngua. E todos sabemos que não é assim. Nenhum profissional médico, temos certeza disso, pensa em cor partidária quando vê um paciente lutando contra a morte, pela vida. E não é a primeira vez que este tipo de comentário surge nas redes sociais.

E há poucos dias publicamos neste blog a opinião do médico, Carlos Teixeira, diretor clínico do HEDA, onde ele explica como se dá o processo de intubação e os detalhes da cada caso. Leia o que disse Dr. Carlos:

Dr. Carlos não está usando a máscara a nosso pedido para fazermos a foto

“Ao contrário do que muitos pensam, de que o paciente intubado está com  poucas chances de sobreviver, o médico explica que depende de cada paciente. “Aqueles que são intubados no início da doença, precocemente, para a proteção do pulmão, a gente tem em torno de 70 a 75% que são extubados  e recebem alta . Mas  alguns pacientes que vão a óbitos, mesmo intubados, são aqueles que estão em tratamento de longo prazo e que a regeneração do pulmão não é boa. A maioria  desses pacientes já tem mais de 10 dias de sintomas,  que é a fase inflamatória, que é a pior fase. O pulmão  não tem uma recuperação muito boa. Já chegam com um comprometimento muito importante e dificilmente esse comprometimento pode ser revestido. Mas se a intubação é precoce para a proteção do pulmão, há a alta do paciente”.

EM TEMPO:

Cresçamos como seres humanos, principalmente tendo empatia, colocando-nos no lugar do outro, O ano eleitoral é só em 2022. É hora de trabalhar, ajudar, acolher. A pandemia teria também o objetivo de levar as pessoas a uma introspecção, para buscarem se melhorar como seres humanos, Mas parece que as coisas não estão acontecendo bem assim. Será que os virulentos vão fazer o ódio vencer a bondade?

Deixe uma resposta