PM reformado é preso suspeito de sequestro em Luís Correia

No início da madrugada deste sábado (29), um PM reformando do Rio de Janeiro, de 55 anos, foi preso pela Força Tática suspeito de cárcere privado com fins libidinosos no bairro Coqueiro da Praia em Luís Correia.

Segundo a polícia, o homem identificado como Paulo é natural do Rio de Janeiro, mas atualmente reside no bairro São Judas Tadeu em Parnaíba.

Conforme a polícia, uma jovem de 24 anos, foi abordada por volta das 21h dessa sexta-feira (28), próximo ao mercado da 40, a mulher tinha saído de casa para buscar sua mãe na igreja, e durante o trajeto, foi abordada por um homem armado conduzindo o Fiat Uno vermelho.

De acordo com as informações da polícia, o homem teria apontado o revólver para a jovem alegando que um traficante estava à sua procura. A vítima, assustada comentou que era evangélica e quase não saia de casa e que o homem estava enganado. 

Apesar da mulher negar qualquer envolvimento com tráfico de drogas, o suspeito ordenou para que ela entrasse no carro, dizendo que a levaria até o traficante, caso não fosse ela, a mandava embora, a vítima então estacionou a motocicleta e entrou no carro, que partiu em direção a Luís Correia. 

Ainda segundo a polícia, o suspeito parou o carro e mandou a vítima descer e deitar no chão, dizendo que iria matá-la, enquanto falava ao mesmo tempo no telefone com um suposto traficante, em seguida disse que só a liberaria, se a jovem tivesse relação sexual com ele.

A polícia informou que na sequência, o suspeito teria entrado no veículo ordenou que a vítima deitasse no banco do carro, continuando o sequestro.

Quando o carro passou pela Rua da Lama com a Independência, bairro Beira-Mar em Luís Correia, uma patrulha da Ciptur que estava realizando abordagem nas imediações, suspeitaram e fizeram o acompanhamento tático. O homem abandonou o carro com a vítima e fugiu pelo mato com o revólver. Foi solicitado reforço do 2º BPM em Parnaíba, que o localizou há 600 metros. 

Segundo a polícia local, a arma foi apreendida e o detido encaminhado à Central de Flagrantes.  (Com informações do Portal do Catita. )

Deixe uma resposta