Prefeitura de Parnaíba não paga posto e falta de gasolina prejudica vacinação contra Covid

Em sessão realizada na última quarta-feira, 19, a vereadora de Parnaíba, Fátima Carmino (PT), denunciou que os carros oficiais da prefeitura da cidade estão sem gasolina para fazerem todos os serviços comprometendo a campanha de vacinação contra a Covid-19 e a assistência de pacientes acamados.

A vereadora ressaltou também que, além da falta de abastecimento, os carros não passam por manutenção e as condições comprometem a integridade física dos servidores.

O motivo para o desabastecimento dos carros é a falta de pagamento para os postos de gasolina que têm convênio com a prefeitura. Os empresários deixaram de fornecer o combustível, pois não recebem.

Vereadora Fátima Carmino

“Há servidores que tiram do bolso para abastecer os veículos e isso não é aceitável. Uma cidade do porte de Parnaíba não pode passar por essa situação. É preciso que as comissões da Câmara também investiguem o que está acontecendo”, disse a vereadora.

A parlamentar enfatizou que levará o caso para conhecimento do Ministério Público Estadual, caso o problema não seja resolvido, pois compromete inclusive a saúde dos cidadãos parnaibanos.

O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Parnaíba (Sindserm), Leandro Lopes, disse que a falta de combustível nos veículos da prefeitura já dura um mês.

“Sobretudo os carros da secretaria de Saúde estão passando pelo problema, mas há relatos também de outras secretarias. Estão mantendo apenas as ambulâncias com combustível para poder rodar, mas os demais veículos que são encarregados de entrega de vacinas, deslocamentos de equipes para acamados e outras situações para áreas mais distantes do Centro da cidade estão prejudicados”, afirma o sindicalista.

Leandro Lopes também denuncia que os servidores estão tirando dinheiro do próprio bolso para comprar combustível e buscar a vacina até a prefeitura, na parte de imunização, porque não tem como levar até as unidades de saúde e estão “pagando para trabalhar”.

“Até mesmo para se deslocar até Teresina para levar exames, testes e outras situações o servidor é obrigado a pagar suas despesas e a diária só é paga depois. A situação é preocupante e o sindicato está ciente destas situações e vai tomar as devidas providências, junto com os servidores filiados, que todos os dias demonstram preocupação com a população e com o descaso por parte da gestão municipal de Parnaíba com os usuários da saúde e os demais. É uma situação triste e preocupante, pois está mexendo com a vida das pessoas, com a vacinação, com os acamados”, disse o presidente do sindicato.  

A reportagem entrou em contato com a secretaria de Saúde de Parnaíba, mas até o fechamento desta matéria não obteve retorno. O espaço está aberto para esclarecimentos. (Fonte:piauíhoje)

Deixe uma resposta