Programa de Tratamento Fora do Domicílio será totalmente informatizado

A informatização do sistema do programa TFD está sendo desenvolvida pela Secretaria de Estado de Saúde 
Secretário de saúde, Florentino Neto
O Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), está implantando o sistema de informatização do Programa de Tratamento Fora de Domicílio (TFD). A modernização do programa vai permitir o acompanhamento e controle dos processos, dando celeridade e aumentando a transparência.
O programa atende diariamente pacientes que têm indicação de tratamento fora do Estado, ou seja, tratamentos que não são realizados pela rede do SUS no Piauí, englobando as mais diversas patologias e procedimentos, de média e alta complexidade. Também são atendidos pacientes provenientes de outros municípios do Estado para tratamento no Município de Teresina, tudo isso, custeando passagens e diárias para os mesmos e seus acompanhantes.
O processo de informatização está sendo implantado pela Diretoria de Unidade de Controle, Avaliação, Regulação e Auditoria da Sesapi (DUCARA) e vai permitir acesso a informações, solicitações de processos e definições de fluxos. Segundo o secretário de saúde, Florentino Neto, a informatização vai trazer melhoria da qualidade do atendimento ao paciente. ”Vamos reduzir as filas e até o preenchimento de documentos de papel. Além disso, vai melhorar a qualidade das informações dos pacientes que precisam do tratamento fora”, afirma.
De acordo com o Diretor de Unidade de Controle, Avaliação, Regulação e Auditoria da Sesapi (DUCARA) Avelyno Medeiros, a informatização vai permitir gerar projeções e fazer um planejamento mais eficaz das ações. “Atualmente, esses dados são manuais e vão passar a ser coletados eletronicamente, o que vai permitir um melhor planejamento das ações. Vamos ter uma visão melhor da logística de atendimento para distribuição dos pacientes fora e dentro do Estado, com um mapeamento de como e onde eles são atendidos”, diz Avelyno.
O diretor explica ainda que a informatização vai reduzir custos de passagem, concentrando o atendimento em regiões mais próximas. “Com base nos dados coletados, será possível fazer estudos e mostrar a viabilidade de quais tratamentos podem ser realizados aqui mesmo no estado. Os encaminhamentos de pagamentos também serão facilitados, bem como a tramitação de processos, auditoria, agendamento e marcação de viagens”, explica.

Deixe uma resposta