Irmã do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, ganhou cargo de R$ 18 mil na Codevasf

Irmã do mais novo ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP-PI), a advogada Juliana e Silva Nogueira Lima (PP-PI), de 45 anos, ganhou um cargo, durante o primeiro ano de governo do presidente Jair Bolsonaro , na Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), também conhecida como a “estatal do Centrão”.

Juliana foi nomeada em 8 de outubro de 2019 como assessora do presidente da Codevasf e segue no posto até hoje, apesar de trocas no comando da estatal. A companhia, além de controlada pelo Centrão, figura no seio do escândalo do Orçamento Paralelo, o “Tratoraço”.

Trata-se de um cargo comissionado, portanto de livre nomeação. Segundo informações do Portal da Transparência levantadas pelo Metrópoles, a advogada recebe, mensalmente, salário bruto de R$ 17.875,55. A mãe dela, Eliane e Silva Nogueira Lima (PP-PI), assumiu a vaga no Senado deixada pelo filho, nomeado nessa quarta-feira (28/7) como ministro-chefe da Casa Civil..

Advogada com inscrição na seccional do Piauí da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Juliana graduou-se em direito no ano de 2007, no Centro de Ensino Unificado de Teresina (Ceut). Logo em seguida, ingressou em uma especialização em direito público, na Universidade Anhanguera (Uniderp).

Em 2011, chegou a participar de um concurso para se tornar analista judiciária no Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão (TJMA), mas não obteve sucesso.

Dados da Receita Federal e da Junta Comercial do Piauí mostram que hoje Juliana é sócia, sempre ao lado de familiares, de três empresas – duas casas lotéricas no centro de Teresina, a GR Nogueira e a Mega Loteria GR, criadas em 2002 e 2013, além da Ciro Nogueira Agropecuária e Imóveis, aberta em 1975. A advogada também foi dona do posto GES Nogueira Lima Combustíveis, que fechou em 2018.

A irmã de Ciro Nogueira foi nomeada na assessoria da Codevasf logo após o engenheiro civil Marcelo Andrade Moreira Pinto, indicado pelo DEM, tomar posse como diretor-presidente da companhia.

A cerimônia de posse de Moreira Pinto ocorreu no dia 28 de agosto de 2019. Entre as várias autoridades presentes no evento, como o então ministro do Desenvolvimento Regional e atual presidente da Dataprev, Gustavo Canuto, estava o senador Ciro Nogueira.

A indicação de Marcelo Andrade Moreira Pinto provocou racha no bolsonarismo. À época, o deputado federal Marco Feliciano (Republicanos-SP) foi às redes sociais criticar o então ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, por ter, segundo o parlamentar, “entregado” a Codevasf para o deputado federal Elmar Nascimento (DEM-BA).

“Em tempo, o ministro Luiz Ramos diz ao Estadão que está na fase de namoro ao montar a base do governo. Se o namoro já é cheio de traições e ingratidão, como será esse casamento? Governo premia quem trai e passa mau exemplo a quem é fiel”, disparou o pastor.

Desde então, o governo federal garantiu ao Centrão uma série de cargos, secretarias e ministérios, enquanto o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), é pressionado a abrir um processo de impeachment contra o chefe do Executivo nacional. (Com informações do politicapiaui/Tereza Val))

Deixe uma resposta