‘Bombeiros’ atuam serenando ânimos em Brasília

Emocionado, o ministro Luiz Fux toma posse no comando do STF, ao lado do presidente Jair Bolsonaro. Foto: Marcos Corrêa/PR

‘Bombeiros’ atuam serenando ânimos em Brasília. Foto: Marcos Corrêa/PR

Gente graúda do PIB nacional, além do presidente da Câmara, Arthur Lira, do ministro Ciro Nogueira (Casa Civil) e de ao menos três ministros do Supremo Tribunal Federal têm conversado sobre a retomada de relações positivas entre o Poder Executivo e ministros do STF. Os apelos à serenidade começam a dar resultado, como a desistência de Bolsonaro de pedir o impeachment do ministro Luís Roberto Barroso. O êxito da tratativa depende de discrição, por isso conversas são feitas sem alarde.

Segurando a língua

Ao cancelar o discurso no Dia do Soldado, ontem, Bolsonaro também eliminou a tensão em torno de eventuais declarações agravando a crise.

Ponderação ouvida

Ciro Nogueira é figura central na “mesa” de negociação. Há pouco tempo no cargo, conquistou a confiança de Bolsonaro e tem sido ouvido por ele.

Bom senso à mesa

Os ministros do STF que participam dos entendimentos têm interlocução fácil com o Planalto e não foram alvo de declarações do presidente.

Desconfiança

No STF, a dificuldade é acreditar que Bolsonaro respeitaria um “cessar-fogo” pelo tempo suficiente para readquirir a confiança dos ministros.(Cláudio Humberto)

Deixe uma resposta