Com ajuda da “amiga” Margarete, Ciro Nogueira amarga primeira derrota

O ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, amarga sua primeira derrota como articulador do presidente Jair Bolsonaro. Nessa terça-feira (10) a Câmara dos Deputados rejeitou a PEC que propunha o voto impresso em eleições, plebiscito e referendos, uma das maiores bandeiras do chefe do executivo.

A derrota de Ciro não aconteceu somente entre os aliados do Congresso, mas sim em seu próprio partido. Dentre os 41 deputados federais do Progressistas, apenas 16 parlamentares foram favoráveis ao voto impresso auditável.

Senador Ciro Nogueira

Ciro Nogueira

Dos progressistas do Piauí, apenas a deputada Iracema Portella, ex-mulher de Ciro, foi a favor da PEC. Além de Átila Lira, a deputada Margarete Coelho, que é “amiga” do ministro e foi eleita graças a ele, votou contra a proposta.

A derrota de Ciro foi destaque nas redes sociais. O jornalista Allan dos Santos desejou que Ciro tenha “serventia” na Casa Civil, já que na Câmara ele “foi para além da inutilidade”.

 

Deixe uma resposta