Parnaíba ganha loja conceito e gravuras na Ponte Simplício Dias em seus 177 anos

São 177 anos de história, cultura e muita contribuição ao estado do Piauí, que serão comemorados no próximo sábado, 14 de agosto. Para celebrar o aniversário de Parnaíba, o Complexo Porto das Barcas, que foi reinaugurado em julho junto com o Museu do Mar, o maior museu do Piauí, ganha uma loja focada no artesanato litorâneo.

Já a ponte Simplício Dias, ao lado do complexo, recebeu uma intervenção artística com gravuras em lambe-lambe. As inaugurações acontecem a partir das 18 horas, dentro da programação de aniversário organizada pelo Museu do Mar.

“A galeria Mestre Argeu já existia no Porto das Barcas e, agora, com a revitalização, nós deslocamos o espaço e estamos montando uma loja conceito do artesanato. Lá, teremos o melhor do artesanato de toda a planície litorânea, não só da cidade de Parnaíba”, conta o superintendente de artesanato do Piauí, Jordão Costa, que ainda explica que os artesãos das cidades do litoral terão esse espaço exclusivo para expor as mais variadas peças, beneficiando a geração de renda local.

Outra novidade é a intervenção feita na Ponte Simplício Dias, que recebeu gravuras em lambe-lambe com fotografias de pessoas da cidade de Parnaíba. A intervenção faz parte do projeto “Aponte para arte” que tem o objetivo de resgatar os protagonistas das tradições culturais e diminuir as barreiras entre arte, a antropologia visual e a intervenção urbana.

O projeto propõe fazer um recorte fotográfico do povo parnaibano, alterando a paisagem e o cotidiano de quem passa. Os artistas responsáveis pelas gravuras são Ster Farache e Gerson Catatau.

Com isso, segundo o secretário estadual de Cultura, Fábio Novo, o Porto das Barcas e seu entorno ganham mais visibilidade artística e cultural. “São mais dois presentes que a Secult entrega à cidade de Parnaíba, essa loja que contém toda a nossa riqueza de artesanato e essas gravuras belíssimas que enfeitam a ponte. Os investimentos aqui já dão retorno, os turistas estão lotando o complexo e o agendamento de visitas ao Museu do Mar se esgotam rapidamente”, afirma.

O Porto das Barcas foi reinaugurado há pouco mais de um mês. Foram 10 mil metros de construção recuperados, desde a estrutura, cobertura, pavimentação, esquadrias, pintura e instalações. É a maior obra de revitalização do patrimônio histórico piauiense, que, além disso, contempla as lojas, pousada, galpão, restaurante, e a criação da Praça das Ruínas Cosme Sousa, em homenagem ao historiador e funcionário de carreira da Secult, que idealizou o espaço. (PortalF5)

Deixe uma resposta