Projeto de Margarete Coelho impede candidatura de Sérgio Moro

Fórum- As possíveis pretensões de Sérgio Moro de disputar as eleições presidenciais de 2022 estão seriamente ameaçadas. A deputada Margarete Coelho (PP-PI), autora da proposta do novo Código Eleitoral, incluiu, de última hora, um dispositivo que impede o ex-ministro da Justiça de Jair Bolsonaro de participar do pleito.

A redação final do texto, que foi protocolado nesta quarta-feira (25), na Câmara, proíbe a candidatura de juízes, policiais e promotores que tenham se afastado do cargo há menos do que cinco anos. O texto necessita, ainda, ser aprovado por deputados e senadores. 

O ex-juiz Moro, considerado suspeito e parcial pelo Supremo Tribunal Federal (STF), nos casos envolvendo o ex-presidente Lula, pediu exoneração do cargo de juiz federal em novembro de 2018 para assumir o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Pelo prazo fixado pelo novo Código Eleitoral, a “quarentena” do ex-juiz da Lava Jato termina somente em 2023, o que o deixaria de fora das próximas eleições.

Conforme pessoas próximas a Margarete, o veto foi uma reivindicação de partidos de centro.

Articulações

No final de julho, surgiu a informação que Moro estava reunindo em torno de si um grupo de apoiadores que pode ser comparado aos bolsonaristas que frequentam diariamente o cercadinho do Palácio da Alvorada.

Segundo a Veja, um grupo desses apoiadores procurou o PRTB para “uma nova e surpreendente alternativa para a chamada terceira via presidencial em 2022”: lançar a chapa “Moro-Mourão”.

De acordo com a revista, Moro ficaria com a cabeça de chapa e manteria o militar como vice na disputa contra o próprio governo do qual faz parte atualmente.(pensarpiaui)

Deixe uma resposta