Empresários do agronegócio pedem que Governo Bolsonaro intervenha em estradas do PI

A Associação de Produtores de Soja do Piauí (Aprosoja Piauí) apresentou nesta segunda-feira (20) os dados e o resumo da situação atual das estradas do cerrado piauiense ao ministro chefe da Casa Civil, senador Ciro Nogueira (PP). O evento aconteceu na sede da Fazenda Progresso, na cidade de Sebastião Leal e teve como foco debater a possibilidade de federalização de alguns trechos de estradas na região do cerrado piauiense.

O presidente da Aprosoja Piauí, Alzir Neto, apresentou os dados em relação as obras de estradas que estão sendo realizadas na região. Segundo ele a única obra que está em pleno andamento é um trecho de cerca de 27 km da PI-392, via que abriga o escoamento de cerca de 55% da produção de grãos do estado. Num fluxo de 100 mil caminhões ao ano.

“Temos que parar de encarar estas estradas como estrada de escoamento de grãos, elas são de desenvolvimento social, elas servem para todos”, defendeu Alzir Neto, durante apresentação dos dados.

Entre as estradas citadas com a possibilidade de federalização PI-247/BR-324, de Bertolínia, passa por Uruçuí e segue até o município de Ribeiro Gonçalves.

Essa BR também liga Ribeiro Gonçalves à Balsas-Ma e é um trecho ainda não pavimentado. Outra rodovia é a P-I392, que liga os municípios de Baixa Grande do Ribeiro a Bom Jesus, 256km total. Um dos trecho que está na lista apresentada pelos produtores já é federalizado é o trecho que sai de Bertolínia a Uruçuí, num total de 183 km, será o primeiro a ser apresentado pelo ministro Ciro Nogueira, ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes ainda nesta segunda-feira (14).

O evento, que foi provocado pelo ministro e produtores, teve a participação da deputada federal Iracema Portela, senador Elmano Ferrer, deputado Átila Lira, do PP, deputado estadual Gustavo Neiva (PSB) e vários prefeitos da região.(Paula Sampaio)

Deixe uma resposta