Sem energia: Mais de 5 toneladas de caju vão para o lixo nos Tabuleiros Litorâneos/Parnaíba

Sem energia elétrica, a  fábrica  de Cajuína Cristal, localizada nos Tabuleiros Litorâneos, em Parnaíba, descartou ontem cerca de  5.200 kg de caju, correspondentes à  toda a colheita de sábado e que seriam utilizados para produzir 5.700 garrafas da bebida. “Produção jogada fora, prejuízo de muitos dias de trabalho, frustração. Absurdo sem ter a quem recorrer”, lamentou o produtor Josenilto Vasconcelos, em suas redes sociais.

Sem energia: Mais de 5 toneladas de caju vão para o lixo
agricultores descartam toda a colheita do dia | reprodução facebook

A produção da cajuína foi interrompida ainda pela manhã. “Ficar sem energia em casa por muito tempo é muito ruim e nos causa muitos transtornos. Mas quando isso acontece numa pequena agroindústria no período de pico de safra, o prejuízo é incalculável!!”, diz o produtor

Segundo Vasconcelos, a Empresa Equatorial foi acionada por volta do meio-dia mas a primeira equipe da empresa só foi deslocada duas horas depois. Uma filha do produtor foi à empresa e registrou o horário de saída da equipe, às 14: 37 min ( foto) . “Acompanhamos o veículo da Equatorial após insistentes ligações e pedido pessoal na central de operações de Parnaíba”, explica o produtor

Sem energia: Mais de 5 toneladas de caju vão para o lixo - Imagem 1

 A energia elétrica na região dos Tabuleiros Litorâneos só foi restabelecida às  17 horas quando já não havia mais tempo para dar continuidade ao processo de fabricação da bebida, que passa por várias etapas.

Ao blog, a Equatorial, através de nota,  informou que a interrupção teria ocorrido devido a “ um curto circuito na rede interna do Distrito de Irrigação do local por causa de uma ave teria atingido as instalações internas e ocasionado o curto circuito, seguido de um princípio de incêndio na unidade”. Em seguida, diz a nota,  “ houve o o rompimento de um condutor de média tensão da Equatorial, que foi recuperado após o deslocamento das equipes”.

Segundo a Equatorial,“de imediato” teriam sido adotadas medidas para  o “desligamento da rede, até que o cliente conseguisse combater o princípio de incêndio e reparar os equipamentos comprometidos”, esclarece. Mas também confirma que “ o fornecimento ficou interrompido aos 133 clientes da região que são atendidos pelo alimentador”

Josenilto Lacerda afirma que as falhas no fornecimento de energia elétrica nos Tabuleiros são constantes. A cajuína  que deixou de ser produzida seria comercializada no Piauí e para outros estados. A Cristal é a primeira cajuína orgânica do país.(MN)

Deixe uma resposta