Ação voluntária Projeto em Parnaíba arrecada material reciclável para custear castração de animais de rua

Atuando em favor dos animais desde fevereiro deste ano, o Projeto Eco Patas PHB tem como intuito a arrecadação de materiais recicláveis. O material é vendido para reciclagem e o dinheiro arrecadado é usado para custear a castração de animais abandonados. 

Além disso, de acordo com a voluntária Tainá Oliveira, esse trabalho traz também uma mensagem de conscientização à população de Parnaíba. A arrecadação mobilizou petshops da cidade que dispuseram espaços em seus empreendimentos. “Nós estamos recebendo recicláveis, são os plásticos em geral, qualquer tipo de plástico, alumínio e alguns ferros, não são todos, apenas materiais pequenos. Nós temos vários pontos de coleta espalhados pela cidade, são alguns petshops. Então a gente pede para a população que separe seus recicláveis, é um ato que você vai estar ajudando o meio-ambiente e vai estar ajudando os animais. Até a data de hoje nós já conseguimos com a arrecadação dos recicláveis castrar 22 animais, 22 fêmeas, porque esse é o nosso foco, diminuição da população em situação de abandono”, explicou. 

A separação do que será ou não utilizado é realizado na residência de uma das voluntárias aos fins de semana. (Foto: TV Costa Norte)

O trabalho voluntário é executado por apenas quatro pessoas. Mesmo com as atividades pessoais diárias, elas encontram um tempo para dedicar ao projeto. Um dos maiores desafios dessa ação, segundo elas, é o deslocamento do material arrecadado para o ponto de reciclagem, onde é realizada a venda dos recicláveis. Antes de conseguirem um voluntário que hoje dispõe um carro com mais espaço para dar agilidade à locomoção dos itens, a solução era utilizar os veículos das colaboradoras  – o que demandava mais tempo e também gasolina. “Para você entender o quão importante é a arrecadação de materiais recicláveis, as bags que nós estamos preenchendo é pelo menos de 4 a 5 bags para castrar uma gata, por exemplo. Então é importante ter essa conscientização do próprio lixo residencial, você ter aquela cultura de separar o seu lixo”, destacou Dhullyane Sávia, voluntária do projeto.

Os carros das colaboradoras inicialmente eram usados para fazer o deslocamento do material. (Foto: TV Costa Norte)

E elas seguem nessa luta, organizando o material para a venda, com o foco nos bichinhos abandonados. Uma ação voluntária que requer persistência e amor aos animais. Você pode descobrir como e onde doar clicando aqui.

(Lucas Zadoque/PCN)

Deixe uma resposta