Globo tenta ressuscitar PSDB para 2022

Por Eduardo Guimarães, empresário, no Blog da Cidadania 

Algum dia, o fetiche que o PSDB desperta na grande mídia será estudado. Agora, por exemplo, a Globo abusa do ridículo para tentar vitaminar candidatos do partido à Presidência.

De 2018 para cá, o PSDB se tornou alvo de denúncias de corrupção, perdeu eleitores e teve sua representação reduzida drasticamente no Executivo e no Legislativo.

O pior, porém, ocorreu na eleição presidencial de 2018. Geraldo Alckmin tinha aliança com oito partidos e maior tempo de propaganda na televisão, mas terminou a eleição no primeiro turno com 4,76% dos votos válidos, o pior desempenho do PSDB desde sua fundação.

Na Câmara dos deputados, o baque não foi menor. Os tucanos elegeram 54 deputados em 2014 e, em 2018, pouco mais da metade disso, 29 deputados.

Apesar de a Globo estar flertando com o ex-juiz Sergio Moro, que anda sondando as próprias chances para disputar a eleição presidencial com Bolsonaro e Lula, a emissora não consegue controlar seu tucanismo histórico. O uso do cachimbo deixa a boca torta…

Ontem, a emissora publicou matéria mostrando quem são outros candidatos a presidente além dos candidatos tucanos, publicou matéria sobre a gravata de Eduardo Leite e matéria sobre a origem do símbolo do PSDB.

Ainda na mesma terça-feira 19 de outubro, o jornal O Globo transmitiu por seu canal do YouTube um debate entre os três pré-candidatos do PSDB à Presidencia – o ex-prefeito de Manaus Artur Virgílio, o governador do RS, Eduardo Leite, e o governador de SP, João Doria.

Isso porque os três candidatos tucanos a presidente são nanicos. Nas pesquisas, aliás, só dois deles pontuam: Doria, na faixa de 3% a 4%, e Leite, na mesma faixa. A importância que a grande mídia (Globo à frente) dá aos candidatos tucanos, porém, é enorme.

É muita propaganda tucana para um só dia? Pois aperte o cinto que, no mesmo dia, ainda teve mais.
Segundo o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, o jornal O Globo ofereceu um mês de assinatura grátis para quem assistisse o debate dos pré-candidatos tucanos à presidência que acabamos de mencionar

A Globo, entre todos os outros veículos da grande mídia antipetista que não sossegou até ver o ex-presidente preso, entra em pânico ante a possibilidade de ter que apoiá-lo ou não poder atacá-lo na eleição do ano que vem. Afinal, estudo da UERJ catalogou 13 horas de ataque da Globo a Lula antes de sua prisão.

Para desespero da Globo, porém, só quem pode salvá-la de Bolsonaro é Lula. No 2o turno, a emissora terá que apoiá-lo contra Bolsonaro, pois se o atual presidente vencer, a Globo está perdida.(pensarpiaui)

Deixe uma resposta