MDB não é sigla atraente para lideranças governistas

Na base governista, cerca de dez deputados estaduais, dois federais e lideranças sem mandato precisarão trocar de partido para viablizar planos eleitorais. O sonho de consumo seria o PT, mas encontram forte resistência na ala raíz do partido. 

O MDB é rejeitado pela maioria das lideranças e dificilmente será legenda acolhedora no palanque alinhado ao Karnak. Os emedebistas ainda não avistaram porto seguro para as chapas de candidatos à Assembleia Legislativa e Câmara Federal.(Elivaldo Barbosa/ Edição:B. Silva)

Deixe uma resposta