No Piauí, Marcelo Queiroga critica uso obrigatório de máscara e diz que está à disposição da CPI

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que ser contrário as leis que instituíram o uso obrigatório de máscara em estados do Brasil. O membro do governo federal chamou as regras de “legislorragia inútil” e acrescentou que elas colocam uma divisão entre a população. 

Marcelo Queiroga também criticou a iniciativa de “passaporte da vacina” adotada por alguns governadores, inclusive no Piauí e que exigem o comprovante de vacinação permissão de entrada em determinados espaços. Para justificar o posicionamento, o ministro relembrou que ele mesmo foi infectado pela Covid-19, após ter sido imunizado com duas doses. 

“Ficam criando essas cortinas de fumaça pra dividir a população brasileira quando precisamos de é união contra nosso inimigo que é o vírus. Ah passaporte disso, passaporte daquilo. Meus amigos, a população brasileira estará toda vacina, com esse passaporte […] Imagina, senador Ciro, eu com as duas doses e adquiri a Covid. Então, essas medidas não têm esse efetividade. Elas servem mais para dividir do que para unir”, afirmou. 

Marcelo Queiroga ainda acrescentou que não existe como fiscalizar o uso do instrumento e acrescentou, sem citar nomes, que o que deveria ser feito seria “desmascarar alguns por aí

Deixe uma resposta