PF deflagra operação para investigar furto de embarcação no litoral do PI

Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (7), a Operação Bucaneiro, com o fim de investigar grupo criminoso responsável pelo furto de navio cargueiro utilizado por contrabandistas, apreendido em agosto de 2020 no município de Cajueiro da Praia/PI com carga de cigarros de origem estrangeira.  

Desde a apreensão, o barco estava sob responsabilidade da Marinha do Brasil e permanecia ancorado no porto do Trapiche, em Luís Correia/PI.

A Operação mobilizou 40 Policiais Federais para o cumprimento de nove mandados de busca e apreensão - Foto: Divulgação/Polícia FederalA Operação mobilizou 40 Policiais Federais para o cumprimento de nove mandados de busca e apreensão – Foto: Divulgação/Polícia Federal

Segundo as investigações, contrabandistas do município de Abaetetuba/PA se deslocaram ao litoral piauiense em dezembro de 2020 com o propósito de executar a empreitada criminosa. Associados com barqueiros de Luís Correia, na madrugada do dia 24 de dezembro passado, os investigados entraram furtivamente no porto do Trapiche, retiraram cordas e âncoras e consumaram a subtração do bem. Posteriormente, seguiram rota marítima de fuga rumo ao estado do Pará. 

barco foi abandonado no município de Tutóia/MA.

Os investigados poderão responder pelos crimes de associação criminosa e furto qualificado - Foto: Divulgação/Polícia FederalOs investigados poderão responder pelos crimes de associação criminosa e furto qualificado – Foto: Divulgação/Polícia Federal

A Operação mobilizou 40 Policiais Federais para o cumprimento de nove mandados de busca e apreensão em Luís Correia, Tutóia, Abaetetuba e Belém.

Os investigados poderão responder pelos crimes de associação criminosa e furto qualificado. O nome Bucaneiro remete à atuação de piratas.

Embarcação encalhada com carga de cigarro contrabandeado no Litoral do Piauí — Foto: Divulgação/Polícia Federal Embarcação encalhada com carga de cigarro contrabandeado no Litoral do Piauí — Foto: Divulgação/Polícia Federal 

Deixe uma resposta