Piauí avança na vacinação, mas ainda não possui porcentagens para afrouxar medidas sanitárias

Quase dois anos já se passaram (um ano e sete meses, para ser mais específico) após a confirmação do primeiro caso do novo coronavírus no Piauí.

Ao longo desse tempo, além dos registros do Covid-19, também existiram as variantes e os picos da doença, que até recentemente ainda não se tinha conhecimento de tratamento ou forma de neutralização da sua disseminação.

O Piauí, o Brasil e todo o mundo, entretanto, hoje em dia registram avanço no controle da doença. Conforme o boletim mais recente divulgado pelo Governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi) com a plataforma “Vacinômetro“, até o momento 3,8 milhões de doses já foram distribuídas em todas as 224 cidades piauienses.

Destes, aproximadamente 2 milhões de pessoas tomaram pelo menos a primeira dose. De acordo com os dados do Consórcio de veículos de imprensa, 62,93% da população do Piauí está vacinada. Entretanto, o número de pessoas totalmente imunizadas, isto é, com as duas doses ou com a dose única, ainda não chegou a 50%. Está em 32,93% da população do estado.

JÁ DÁ PARA FLEXIBILIZAR?

Este mesmo Consórcio de veículos de imprensa, que avalia dados repassados pelas secretarias de Saúde e profissionais médicos, informam que o Piauí vivencia hoje uma fase de estabilidade/queda nos casos de Covid-19. O avançar da vacinação é responsável por isso. O estado já registrou, de acordos com dados atualizados na noite desta sexta-feira, dia 1º de outubro, mais de 319 mil casos de pessoas infectadas e pouco mais de 7 mil mortes.

Os casos de novo coronavirus por dia têm caído e setembro foi o mês com menos óbitos por Covid-19 neste ano. Para Herlon Guimarães, superintendente de atenção primaria a saúde da Sesapi, a vacinação da população tem sido essencial para reduzir os números da doença no Piauí. “Desde o inicio da vacinação dos piauienses podemos identificar uma redução dos números de novos casos e óbitos aqui no estado, as vacinas são essenciais para que esses números caiam ainda mais”, afirmou Herlon.

Ok, mas com 62% da população vacinada com a primeira dose e 32% com a segunda dose ou com a dose única, já é hora de flexibilizar as coisas no Piauí?! Ainda não. De acordo com especialistas, o ideal para afrouxamento de medidas sanitárias é de que este número de vacinados ultrapasse os 70%. Com as duas doses. Para completar, com a disseminação de variantes do vírus causador da Covid-19, tornou-se necessária a aplicação das doses de reforço para determinados grupos, como é o caso dos idosos e dos imunossuprimidos. (Luana Fontenele)

Deixe uma resposta