“A hora não chegou de liberar máscaras no Piauí”, diz infectologista do COE

O médico infectologista, José Noronha, integrante do COE (Comitê de Operações Emergenciais de combate a Covid-19), informou nesta quinta-feira (11) que ainda não é o momento para o Piauí liberar o uso de máscaras em ambientes abertos.

“Há uma dúvida dos gestores, do governador se é hora de liberar o uso de máscaras. A hora não chegou. É preciso ter 70% da população vacinada com a segunda dose ou dose única que é suficiente para proteção das pessoas que não estejam vacinadas”, disse Noronha, que é diretor geral do Hospital de Doenças Tropicais Natan Portela.

No Piauí, 51% da população está completamente imunizada. 

Ontem, o governador do Maranhão, Flávio Dino, assinou decreto desobrigando o uso de máscaras em ambientes abertos e sem aglomeração. 

O governador Wellington Dias, antes de viajar para Glasgow, na Escócia, para a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, a COP26, informou que tomaria qualquer medida após autorização do COE. O Comitê reúne os infectologistas, pesquisadores e integrantes da Secretaria Estadual de Saúde (Saúde) e define os protocolos sanitários na pandemia. 

Wellington Dias retorna ao estado na próxima terça-feira (16) quando irá discutir com o COE a possibilidade de liberar ou não a máscara. Dias já tinha afirmado que seu sonho era ter um “Natal sem máscara” e que discutiria com os governadores do Nordeste uma medida única para todos os estados. 

Para o infectologista ainda é cedo adotar a desobrigação do uso de máscara no Piauí. Segundo ele, a vacina tem um prazo de proteção de seis a 10 meses quando começa a reduzir a imunidade. (Flash Yala Sena)

Deixe uma resposta