Profissionais de imprensa realizam ato no TJ e pedem a liberdade do jornalista Arimatéia Azevedo

Jornalista e estudantes piauienses realizaram ato em frente ao prédio do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), na manhã desta terça-feira (23), em defesa da liberdade do jornalista Arimatéia Azevedo, preso há mais de um mês na Penitenciária Irmão Guido por um crime que diz não cometeu. O grupo empunhou faixas com dizeres “#ArimateiaLivre” e “#JornalismoLivre”.

O movimento, que ocorreu durante a manhã na sede do Poder Judiciário, se estendeu também em defesa da liberdade de imprensa e contra constantes perseguições sofridas pelos profissionais de imprensa oriundas das mais diversas autoridades de Estado piauiense. 

Segundo pessoas ligadas a Azevedo, os jornalistas tinham como meta falar com o relator do Habeas Corpus impetrado pela defesa do jornalista, desembargador Joaquim Santana. 

Uma turma foi formada para julgar o caso, em face do impedimento e suspeição de integrantes do TJ-PI.

A Turma que atuará no julgamento do HC é composta, além do relator, pelos desembargadores Manoel de Sousa Dourado e pelo juiz Antônio Lopes. 

PRISÃO

O jornalista Arimatéia Azevedo está preso desde o último dia 7 de outubro na Penitenciária Irmão Guido, acusado do crime de extorsão. 

Outro acusado é o advogado Rony Samuel, que disse que o jornalista não participou de nenhuma prática de crime de extorsão e que ele foi que, se aproveitando de fonte do jornalista, teria cobrado valores a um empresário do ramo de medicamentos após repasses de informações publicadas na coluna de Azevedo. O advogado foi interrogado pela polícia e liberado.

Deixe uma resposta