Regina Sousa vai assumir o governo do Piauí: adiou cirurgia para ajudar W.Dias

Já no primeiro mês de mandato Regina Sousa (PT) deve assumir a chefia do Executivo no Piauí. Na próxima semana, a Assembleia Legislativa irá analisar o pedido do governador Wellington Dias (PT) para ir, em viagem de férias, a Israel, permitindo que a petista assuma o mandato interinamente. 

Em entrevista à TV Antena 10, ela confessou que chegou a adiar uma cirurgia para atender ao pedido da família do governador, que deseja finalmente fazer a viagem.

Dias deve se ausentar do Piauí entre 16 e 29 de janeiro. 

Como assumirá no recesso, Regina chegou a brincar sobre o período em que será governadora do Piauí pela primeira vez.  

— Assumo com a caneta seca e o sistema fechado — disse aos risos, confirmando ainda que só soube da viagem após a posse. 

A cirurgia, ela avisa, ficou para o dia 31. (Apoliana Oliveira)

“Morto de preocupado” com o Piauí: Wellington Dias quer viajar de férias para Israel

Não obstante os problemas financeiros do Estado e a situação de indefinição quanto ao relacionamento do governo do Piauí com  Brasília, o governador Wellington Dias enviou nesta quinta-feira (10) um pedido de autorização à Assembleia Legislativa para se ausentar do país mais uma vez.A informação é do Portalaz.

O petista quer a autorização dos deputados para viajar a Israel “em caráter particular”, no período de 16 a 29 de janeiro.

Conforme apurou a reportagem do Portal AZ, Wellington Dias deve passar férias na região do oriente médio, onde deve fazer o conhecido roteiro da “Terra Santa”.

“Agora é vê-la no Karnak”, diz Fábio Sérvio ao postar foto oficial de Bolsonaro

“Agora é vê-la no Palácio de Karnak”.

O comentário e do presidente do PSL no Piauí, Fábio Sérvio, ao publicar a foto oficial de Jair Bolsonaro (PSL), divulgada nesta quinta-feira (10/01) pelo Planalto.

Ex-candidato ao governo, Sérvio questionou se a administração petista colocará a imagem em seus gabinetes, como manda a tradição.(A´poliana Oliveira)

Por que filhos de políticos empregados no governo ficam ricos ganhando pouco?

Marcelo Castro pede e o governador obedece

Marcelo Castro diz que o filho quer continuar no governo.
Então, como tem sido a coisa mais natural no Piauí, papai pede e o índio dá a teta mais gorda da viúva.
Acaba não, mundão!

Ramaificação

São raros os políticos que não empregam filhos ou outros parentes no governo.
E, pelos procedimentos, todos ficam ricos, apesar da gratificação não passar dos R$ 10 mil mensais.

No Brasil todo

Mas a patifaria está em tudo que é ente público no Brasil. Diz-se que só na prefeitura de Salvador, comandada por ACM Neto, dez secretários receberam quase R$ 1 milhão só de jetons em 2018.(Portalaz)

Nós pagamos:Balanço do desperdício: cartões corporativos custaram R$52 milhões

A conta dos cartões de pagamento do governo federal (CPGF), os famosos cartões corporativos, custaram R$ 52,2 milhões ao contribuinte brasileiro em 2018. O valor está longe do recorde histórico de gastos, atingido pelo governo do petista Lula em 2010, com mais de R$ 80 milhões, mas representa uma média de gastos anual de quase R$ 9 mil para cada um dos 5.833 portadores de cartão corporativo do governo. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Existem dois tipos diferentes de cartões, além do CPGF. Um para emergências de Defesa Civil e outro para Compras Centralizadas.

No total, os três tipos de cartões de crédito do governo federal custaram mais de R$ 235,2 milhões.

O tipo de cartão do governo que mais custou ao contribuinte em 2018 foi o de Compras Centralizadas; R$ 136,1 milhões

Governo Bolsonaro comete o erro de manter promoção do filho de Mourão

Mourão diz que filho promovido no BB tem ‘mérito’ e foi ‘perseguido’ em outras gestões

O presidente Jair Bolsonaro não gostou nada da nomeação. E deixou clara a sua insatisfação no expediente da tarde desta terça, no Planalto.

Nem mesmo o Palácio do Planalto pode alegar que não sabia da promoção de Rossel: só foi sacramentada apos o “OK” da Casa Civil.

A promoção de Rossel Mourão foi aprovada no conselho diretor do BB, mas sacramentada pelo seu novo presidente, Rubem Novaes.

A nova posição do filho de Mourão é vistosa, mas não uma moleza: seu ocupante fica sujeito a todo tipo de faniquitos internos e externos do BB.

Presidência do PP: Querem dar um “balão” em Ciro Nogueira

Com apoio de gente bem próxima de Bolsonaro e, dele próprio, arma-se em Brasília um esquema para derrotar Ciro Nogueira na disputa da presidência nacional do Progressistas.
Não se confirma, mas dizem que o senador catarinense Esperidião Amin estaria articulando para lançar a gaúcha Ana Amélia.

Toma- lá-dá-cá

Conhecido desde o tempo em que liderava o chamado baixo clero na Câmara dos Deputados (deputados sem qualquer expressão) Ciro Nogueira articula sempre oferecendo vantagens materiais. 
O que se diz é que a moeda de troca para sua reeleição seria emenda para deputado.(Portalaz)

Raquel Dodge pede 80 anos de prisão para Geddel Vieira Lima

 

 

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu hoje (9) a condenação do ex-ministro e ex-deputado Geddel Vieira Lima a 80 anos de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Ela também pediu a condenação do deputado Lúcio Vieira Lima (MDB-BA) a 48 anos e seis meses de prisão, pelos mesmos crimes.  Ele é irmão de Geddel e não conseguiu se reeleger nas últimas eleições.

O pedido foi enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) nas alegações finais da ação penal relacionada aos R$ 51 milhões em espécie encontrados no apartamento de um amigo de Geddel em Salvador. Ele foi preso preventivamente em 8 setembro do ano passado, três dias após o dinheiro ser encontrado, e encontra-se hoje na penitenciária da Papuda, no Distrito Federal.

A PGR pediu que seja mantida a prisão preventiva de Geddel até o julgamento do caso. A defesa solicitou a soltura dele por já estar encerrada a fase de instrução processual, razão pela qual ele não mais representaria ameaça às investigações, segundo os advogados.

A matriarca da família, Marluce Vieira Lima, também era ré na mesma ação penal, mas em novembro o relator do processo, ministro Edson Fachin, desmembrou a parte relativa a ela no caso, que deverá agora ser julgado pela 10a Vara Federal da Bahia.

As alegações finais são um dos últimos passos antes do julgamento, que deve ocorrer na Segunda Turma do STF, embora ainda não haja data marcada. Fonte: Agência Brasil. Foto: Agencia Brasil. Edição: APM Notícias.

Toffoli nega pedido de votação aberta para presidência da Câmara

 

 

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, decidiu hoje (9) manter votação secreta para a eleição da presidência da Câmara, prevista para 1º de fevereiro.

O ministro decidiu rejeitar mandado de segurança protocolado ontem (8) pelo deputado federal eleito Kim Kataguiri (DEM-SP), que defendeu que a votação dos parlamentares para eleger novo presidente da Casa fosse aberta.

Na decisão Toffoli entendeu que a Constituição não definiu se votação da Câmara deve ser aberta ou secreta. Contudo, o regimento interno da Casa determina que a eleição para a Mesa Diretora seja fechada.

Para o ministro, embora os deputados sejam eleitos pelo voto popular, com dever de atuar com transparência, as regras para eleição dos cargos da Mesa Diretora não pode sofrer interferência de outros poderes.

Toffoli também deve decidir nos próximos dias recurso do SD e do MDB contra a decisão que impediu a realização de votação secreta para a eleição da nova Mesa Diretora do Senado. o

No dia 19 de dezembro, antes do início do recesso, o ministro Marco Aurélio aceitou um mandado de segurança protocolado pelo senador Lasier Martins (PSD-RS) e determinou que a votação seja feita de forma aberta. Assim, os votos dos parlamentares nos integrantes da mesa, entre eles o novo presidente da Casa, poderiam ser conhecidos pelos eleitores.

A votação secreta está prevista no Regimento Interno do Senado e da Câmara, no entanto Marco Aurélio entendeu que a regra é inconstitucional. Fonte: Agência Brasil. Foto: Agência Brasil. Edição: APM Notícias.

Deputados novatos cobram fim de divisão entre alto e baixo clero no Plenário

Durante a reunião com o presidente da câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), os deputados novatos, que assumem mandato pela primeira vez em fevereiro, manifestaram preocupação com a divisão entre os chamados alto clero e baixo clero, que ocorre de forma não oficial na casa. O Piauí possui três deputados nessa situação, Margarete Coelho, Marcos Aurélio Sampaio e Marina Santos, que temem não terem pleitos atendidos pela mesa diretora da casa.

“Cabe ao presidente da Câmara pautar as matérias e se ele não privilegia as pautas dos deputados novatos, nós vamos continuar vendo sempre deputados de primeiro e segundo escalão. Deputado de alto claro, deputado de baixo clero. Nossa primeira reivindicação foi no sentido de que ele trabalhe contra essa divisão que não é salutar pela democracia e tradicionalmente é feita na Câmara”, afirmou Margarete Coelho, em entrevista à TV Cidade Verde.

Para Marcos Aurélio Sampaio (MDB), os deputados federais devem ser tratados de forma igualitária, apesar da quantidade de mandatos. “Todo deputado é igual, não deve existir essa divisão. O voto de um deputado novato vale o mesmo tanto que o voto de qualquer outro deputado”, avaliou o parlamentar.

Assembleia Legislativa define programação de abertura e eleição da presidência

Os deputados estaduais eleitos e reeleitos no pleito de outubro de 2018 tomam posse no dia 1º de fevereiro às 11 horas. No mesmo dia será realizada a eleição para a escolha dos membros da Mesa Diretora da Assembleia para o biênio 2019-2021.

A programação de abertura do ano legislativo inicia às 9:30 horas. Em seguida, ocorrerá a revista da tropa seguida da instalação da primeira sessão legislativa e recepção do governador para a leitura da Mensagem.

Foto:Ascom/Alepi – fonte:cidade verde

Secretaria de Turismo é a que mais cresceu no Orçamento para 2019. Veja todas as pastas

Flávio Nogueira Jr e o pai: poderosos do “Turismo” que se especializaram em fazer pavimentação

Por Rômulo Rocha – Do Blog Bastidores

A pasta que tem como donatários a família dos Flávio Nogueira é a que mais cresceu em previsão de receitas orçamentárias em termos percentuais quando se compara os números que eram previstos para o ano de 2018 e os que são para o de 2019.

O salto é astronômico em relação à quantia anterior e totaliza 87%, o que corresponde a 29 milhões de reais a mais para investimentos. Isso em tese. A pasta do Turismo gasta muito com estradas vicinais, pavimentações e bandas. Também com instituições, aquelas que não realizam as tais das campanhas.

Outra pasta que mais cresceu em termos percentuais é a Secretaria de Defesa Civil, com 64% de incremento em relação ao orçamento anterior, o que representa uma diferença de 16,6 milhões de reais. A Defesa Civil também faz pavimentação. 

Na outra ponta, o orçamento que mais teve decréscimo, levando-se em conta a porcentagem, é o da Secretaria da Mineração. A queda representa 54%, o que totaliza 5,9 milhões de reais.

Outra pasta que também teve um corte pela metade é a secretaria de Trabalho e Empreendedorismo, com redução da ordem de 51%, o que representa 11,6 milhões.

Abaixo é possível fazer uma comparação da previsão orçamentária de 2019 com a de 2018.

Os números são aqueles publicados logo após a aprovação do orçamento.

Em vermelho as pastas que tiveram corte em sua previsão orçamentária.

Assis diz que decisão de Flora em apoiar Themístocles é reversível

ggg

O deputado federal Assis Carvalho (PT) afirmou nesta terça-feira (08), que o Partido dos Trabalhadores (PT) está apenas aguardando o retorno do deputado Fábio Novo, que está de férias na Europa, para “bater o martelo” a respeito da posição dos parlamentares na eleição da Assembleia Legislativa.

Assis avalia que o posicionamento da deputada Flora Izabel, que declarou em vídeo apoiar à reeleição de Themístocles Filho (MDB), é reversível.

“As decisões do PT são muito democráticas, enquanto ela não é oficializada todo mundo diz o que achar conveniente, porque o PT há 40 anos é assim, mas todo mundo sabe que quando o PT toma uma decisão todo mundo vota unido”, declarou Assis.

O presidente do partido reafirmou o apoio à candidatura de Hélio Isaías (PP) para a presidência da casa.

“Temos uma posição que está bastante madura em apoio ao deputado Hélio, se ele não recuar, estaremos com ele”, disse.

Fonte:Portal AZ

Bolsonaro defende que veículos de imprensa não sejam parciais

Resultado de imagem para Bolsonaro defende que veículos de imprensa não sejam parciais

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta que irá democratizar a verba publicitária e defendeu que os veículos de imprensa não sejam parciais.

Em cerimônia de posse dos novos presidentes dos bancos públicos, ele afirmou que ninguém terá direito “a mais ou a menos” e ressaltou que não haverá o que chamou de privilégios a alguns órgãos de comunicação .

“Nós vamos democratizar as verbas publicitárias. Nenhum órgão de imprensa terá direito a mais ou a menos naquilo que nós, de maneira bastante racional, viremos a gastar com nossa imprensa”, disse.

Ele disse que seu desejo é que os veículos de comunicação sejam cada vez mais forte e isentos, e não parciais, “como alguns infelizmente o foram há pouco tempo ainda”.

“A imprensa livre é a garantia da nossa democracia. Vamos acreditar em vocês, mas essas verbas publicitárias não serão mais privilegiadas para a empresa A, B ou C”, afirmou.

Antes de tomar posse, Bolsonaro disse que iria rever os contratos de publicidade e, durante a campanha eleitoral, ameaçou cortar verba de anúncios da Secretaria de Comunicação Social.

Neste final de semana, inclusive, ele usou as redes sociais para criticar a imprensa. Ele republicou em seu perfil mensagem em que o presidente dos Estados Unidos, Donaldo Trump, acusava, em outubro, boa parte do jornalismo de fabricar fake news.

No discurso desta segunda, Bolsonaro disse ainda que os recursos que forem destinados em seu governo a ONGs passarão por um “rígido controle”.

“O rígido controle para que possamos, então, fazer com que o recurso público seja bem utilizado”, ressaltou.

As declarações foram dadas no Palácio do Planalto na cerimônia de posse de novos dirigentes dos bancos públicos: Rubem Novaes (Banco do Brasil), Joaquim Levy (BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e Pedro Guimarães (Caixa Econômica Federal).

O ministro da Secretaria de Governo, Santos Cruz, criou uma estrutura para monitorar as entidades.

Na semana passada, o novo secretário especial de Regulação Fundiária do Ministério da Agricultura, Nabhan Garcia, disse que entidades “escusas” não receberão verbas.

O presidente também disse que pretende acabar com o BV (Bônus por Volume), comissão paga a agências de publicidade por direcionar anunciantes.

“Vamos buscar junto ao Parlamento brasileiro a questão do BV. Isso tem de deixar de existir. Eu aprendi há pouco o que é isso e fiquei surpreso e até mesmo assustado. Vamos eliminar essas questões para que a imprensa possa cada vez mais fazer um bom trabalho no Brasil”, disse.

Fonte: Folhapress

Prevista multa para partidos e candidatos com as contas de campanha rejeitadas

 

O Projeto de Lei 10542/18, do Senado Federal, prevê multa de 10% do total dos gastos declarados no caso de desaprovação das contas da campanha pela Justiça Eleitoral.

Pela proposta, no caso de não prestação de contas, a multa será de 10% do valor máximo de gastos de campanha estabelecido para o respectivo cargo; ou, no caso de partido, para os cargos cujos candidatos tenham recebido recursos.

O texto insere a medida na Lei das Eleições (9.504/97). Para o autor do projeto, o senador Elmano Férrer (Pode-PI), essa lei tem lacunas na punição da má prestação de contas pelo candidato.

Hoje a lei prevê penalidade de suspensão da quota de participação no fundo partidário no ano seguinte ao da eleição aos partidos que não cumprirem as regras relativas à arrecadação e à aplicação de recursos em campanhas eleitorais. Os candidatos, por sua vez, poderão responder na Justiça por abuso do poder econômico. A penalidade aplica-se nos casos de desaprovação total ou parcial das contas de campanha, excluindo do seu alcance a situação de não prestação de contas.

“A lei atinge os partidos políticos, mediante a restrição ao acesso aos recursos do fundo partidário, mas resguarda, de certa forma, os candidatos que tiveram as contas de campanhas rejeitadas, além de não prever penalidades para os casos de não apresentação das contas de campanha”, salientou Férrer.

Tramitação
A proposta será analisada pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania; e pelo Plenário. Fonte: Agência Senado. Foto: Senado. Edição: APM Notícias.

Progressista busca entendimento com o governo de Jair Bolsonaro

A deputada federal Margarete Coelho (PP) afirma que as lideranças do Progressistas já tiveram uma primeira conversa com a equipe do presidente Jair Bolsonaro. Segundo ela, a decisão final sobre a postura da bancada no novo governo vai depender de decisão do presidente da sigla, o senado Ciro Nogueira.

Bolsonaro reúne ministério para discutir 50 medidas do início de governo

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) realiza na manhã desta terça-feira (8) a segunda reunião ministerial de sua equipe, na qual pretende definir a lista das 50 medidas que serão implementadas nos 100 primeiros dias de governo.

Funasa era um reduto petista. E continua sendo

Fundação continua controlada por militantes petistas e alvo de ações no TCU

Na contramão de iniciativas do governo Jair Bolsonaro, a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) continua tomada de conhecidos militantes do PT. O cargo do presidente da Funasa está vago desde a saída de Rodrigo Dias, indicado de Michel Temer para a Anvisa. Assumiu então Márcio Cavalcante, ex-diretor de administração da Funasa/Maranhão, que responde a Processo Administrativo Disciplinar na fundação. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Em setembro de 2018, o TCU identificou indícios de superfaturamento de R$12,2 milhões em contratos da Funasa na área de tecnologia.

Paulo Lyra, segundo colegas um petista histórico, virou chefe de gabinete do presidente interino da Funasa.

Ruy Gomide Barreira, diretor de Engenharia de Saúde Pública, voltou a dar as cartas na Funasa. Ele está lá desde 2011, no governo Dilma.

Políticos maranhenses sustentam o presidente interino da Funasa: o ex-senador João Alberto e o deputado João Marcelo, ambos do MDB

Paes Landim deverá ser convocado para a Câmara dos Deputados

Embora a definição do desenho da administração estadual só se vá saber em fevereiro, após a posse dos deputados estaduais, federais e senadores, já se pode adiantar que Fábio Abreu deverá voltar a comandar a Secretaria da Segurança Pública no Piauí.
Apesar de se saber como ele deixou o setor. Bem entregue aos bandidos. 

Quem vai

Merlong Solano, que está interinamente respondendo pela Secretaria de Governo, vai exercer mandato de deputado federal, em Brasília. Com isso, a possibilidade de Wellington Dias convocar mais um suplente de deputado federal é grande, abrindo vaga para a convocação de Paes Landim.(Portalaz)

Arady Sousa é a nova presidente da Câmara de Ilha Grande do Piauí.

 

 

A vereadora Arady Sousa (PR) assumiu a presidência da Câmara Municipal de Ilha Grnde do Piauí tendo o vereador Frank costa (PR) como vice-presidente, o vereador Marquim (MDB) primeiro secretário, Da Chagas (MDB), segundo secretário e como tesoureiro Henrique Bitencourt(MDB).

Varias autoridades estiveram presentes, e  compondo  a mesa, estavam o prefeito Herbert Silva (MDB), o vice-prefeito Edmar, O Sargento (PR), a ex- vereadora Marlene Sousa e a nova mesa diretora, vereador Marquim ( MDB), vereador Da Chaga(MDB)vereador Henrique( MDB) e Frank (PR), todos da base do prefeito Herbert Silva além de secretários municipais e representantes de diversas entidades.

A nova presidente da casa legislativa agradeceu a todos. ” Agradeço a Deus, amigos e familiares por esse momento tão importante. Que Deus conduza nossos trabalhos e que tenhamos a capacidade de corresponder a expectativa de todos. Que 2019 seja um ano de realização .”, disse. Fonte: CMIGP.  Foto: PIG. Edição: APM Notícias.