Teatro Saraiva realizará II Encontro Cultural de Parnaíba

Vai ser realizado no Teatro Saraival em Parnaíba, no perído de 8 a 12 de novembro, o II Encontro de Cultura, com palestras, oficinas e apresentações artísticas. “Além disso, haverá exposições fotográficas, artesanais e de artes plásticas. Teremos também  o Quintal do Saraiva, que será uma feirinha, onde haverá uma banca especial com livros literários e poéticos, de escritores e poetas parnaibanos”, explica Jesum Messias, um dos organizadores, juntamente com Joaquim Saraiva, Jaci, Juarez Fontenele e Frank Nascimento.

Durante o período do encontro o Teatro estará em atividades nos 3 turnos, com palestras, oficinas e apresentações artisticas. Segundo Jesum Messias, é uma programação que está bastante recheada e diversas atrações. “Acreditamos que vamos ter um público interessante. A entrada será gratuíta,  mas teremos um cover artistico e faremos ainda a “roda do chapéu, para quando houver apresentações folclóricas, capoeira, bumba-meu boi, roda de samba. Nesses eventos terá a roda do chapéu para aqueles que ali forem  poderem contribuir da maneira lhes convier. Não vai ter taxa definida”.

Toda a classe artística da cidade  está sendo convidada, através de redes sociais, do convite boca a boca, enfim, “não queremos que ninguém fique de fora. “Por isso estamos fazendo uma convocação muito direta. a esses artistas,  já que a finalidade do encontro é agregar  todos os segmentos culturais da cidade ´para uma reflexão da produção da classe artística para 2022”- pontua Jesum Messias.

O encontro está sendo possível graças à Lei Ardir Blanc, através do edital Afrânio Castelo Branco, do Governo do Estado, onde o Joaquim Saraiva foi contemplado com um projeto de 300 mil reais. Esse projeto tem o objetivo de restaurar o próprio teatro “e ele teve a sensibilidade de poder nos ajudar,  possibilitando realizarmos este segundo Encontro de Cultura,  destinando os recursos  para darmos a logistica necessária par a realização do evento”.

Na avaliação de Jesum Messias, que é produtor, diretor cultural e gerente de cultura da Secretaria Municipal de Educação, “este encontro serve para ajudar na união da clase. É um momento de reflexão, de discussão e debate em relação à produção artística local. Se não houve esse debate vamos ficar numa ilha, com cada um agindo unilateralmente”..

çl

 

Deixe uma resposta