Cauidado com os líderes de barro, parnaibanos!

Por:BERNARDO SILVA

Como é que uma pessoa que sempre só olhou pra sí, que jamais demonstrou empatia em momentos de situações difíceis da população, e, de repete, essa pessoa é transformada numa samartitana, recém saída de um Convento de Irmãs Carmelitas?Só mesmo a velha política – dessa praticada por velhos, contumazes e abjetos politiqueiros, para praticar este tipo de ilusicionismo.

Portal de Notícias do Jornal do Povo

Liderança é algo nato, que vem impregnada na alma da pessoa, que a demonstra desde muito cedo em todos os lugares por onde transita., sem forçar a barra, sem ajuda de redes sociais, sem ambição midiática e que não precisa de um séquito de bajuladores que a circundem, como insetos em volta da lâmpada.

OS LÍDERES FABRICADOS

É preciso que meditemos sobre isso, na hora de avaliar esses falsos líderes que, neste período pré-eleitoral, pululam em todos os cantos, fingindo simpatia, com sorrisos ensaiados em frente ao espelho. São esses que estão buscando votos, para conquistarem um mandato eletivo, onde certamente a intenção maior não é melhorar a vida do menor, que está lá embaixo na extrema linha de pobreza, mas melhorar sua própria vida, da família e dos amigos mais achegados. E política não é para isso, embora hoje seja nornal utilizarem a política como profissão. Estão aí exemplos de vereadores que chegaram na Câmara de Parnaíba ainda recém saídos da adolescência e lá envelheceram e de lá não querem mais sair. Motivo? O bom salário e a vida boa de quem pouco trabalha.

ATENTAI BEM!

Ninguém veio ao mundo por acaso. É fato.Por isso, atente para seus atos, qual sua participação na vida da coletividade; o que fazes em favor do outro…sim, viver só para sí é tarefa de egoístas. E não foi para sermos egoístas que fomos postos no mundo. Não seja você mais um imbecil que está na política ou nela pretende entrar para se dar bem. A qualquer momento você MORRE  e vai ter que prestar contas de todas as maracutaias por ti praticadas. Duvidas? Experimenta morrer.

 

 

‘É o pior dos governos Lula’, alerta Osmar Terra

Osmar Terra (MDB-RS) em entrevista ao podcast do Diário do Poder

Ex-ministro e deputado federal há quase 30 anos, Osmar Terra (MDB-RS) avaliou o terceiro mandato do presidente Lula (PT) como “o pior dos governos Lula”. Em entrevista ao podcast Diário do Poder, no ar a partir deste sábado (20) no YouTube, o gaúcho afirmou que o petista promove “descaminho” na economia e “está muito mal assessorado”. Disse ainda que Lula poderia ter promovido a pacificação política, como chegou a afirmar na campanha, mas ao invés disso “acirra” a polarização.

Acirramento

“Toda vez que abre a boca, fala mal do [ex-presidente Jair] Bolsonaro”, criticou o deputado que foi ministro nos governos Temer e Bolsonaro.

Intento

“Parece proposital, para manter a polarização”, analisou Osmar Terra sobre as críticas perenes de Lula ao ex-presidente Jair Bolsonaro.

Sem resultados

“Não estou vendo resultados concretos para a saúde pública brasileira na gestão (Nísia Trindade, no Ministério da Saúde)”, afirmou Terra.

Perigo

Em relação às tensões entre o Legislativo e Supremo Tribunal Federal, Terra disse que “se passa dos limites, pode se tornar incontrolável”.(Cláudio Humberto)

O que acontece quando você entra em um Centro Espírita?

Por:Raul Teixeira
Quando você entra em um Centro Espírita, você não se torna Médium. A não ser que você já tenha nascido com o corpo físico preparado para isso, você não começa a ver ou a ouvir os Espíritos. Quando você entra em um Centro Espírita, não existe nenhuma espécie de recado dos Espíritos Superiores direcionado exclusivamente a você. Tampouco seus familiares desencarnados te enviarão cartas dizendo o que você deve ou não fazer da vida.
Quando você entra em um Centro Espírita, as pessoas não vão te contar quem você foi ou fez em suas vidas passadas. Se essas informações fossem necessárias você se lembraria por conta própria.
Basta saber que você colhe hoje aquilo que plantou em outras existências até para que você passe a semear com mais sabedoria e amor no seu dia de hoje.
Quando você entra em um Centro Espírita, você não recebe a solução mágica para resolver seus problemas. Suas dores continuarão a existir. Suas perdas, suas mágoas, suas dificuldades de relacionamento ou o que quer que você enfrente na vida.
Quando você entra em um Centro Espírita, você definitivamente não está salvo. Seu lugar no céu jamais poderá ser comprado até porque a ideia de céu do Espiritismo nada tem a ver com anjos tocando harpa nas nuvens, e sim com a consciência tranquila do dever cumprido.
A verdade, que poucos compreendem ou querem compreender, é que quando você começa a frequentar um Centro Espírita absolutamente nada muda em sua vida.
Acredite! Nada mesmo, a não ser que você tome a decisão de mudar, que você compreenda que precisa realizar melhorias em si mesmo, que aceite o convite da reforma íntima e moral, ou tudo continuará da mesma forma que já estava.
Ninguém pode viver nossa vida ou dar por nós os passos que nos cabem.
Compete a cada um de nós a construção da nossa própria felicidade.
Essa noção de responsabilidade individual, tão pouco considerada nos dias atuais, é, com certeza, uma das primeiras lições, entre tantas outras, que você aprenderá quando de fato entrar em um Centro Espírita.

Secretaria de Inteligência artificial? Por que não melhorar os serviços públicos?!

Há necessidade de uma secretaria para isso? Por que não melhorar os serviços públicos, tornando a tecnologia realmente funcional para a população ao invés de criar uma secretaria com inúmeros comissionados?
Porque é só propaganda: Rafael quer parecer moderninho e tecnológico. E a secretaria é mais uma peça publicitária de um governo que não consegue fazer o sistema do DETRAN funcionar. (Fonte: O Piauiense)

É preciso dar um basta na demagogia barata da gestão municipal: Parnaíba é de todos!

Ao invés de aplausos dos bajuladores, é preciso que se dê um basta nesta demagogia barata da administração municipal, querendo que todos acreditem que APENAS E TÃO SOMENTE o Mão Santa (ou a Gracinha?) fizeram por Parnaíba. Há mais de 7 anos falam que estão reconstruindo Parnaíba, como se uma bomba tivesse sido jogada na cidade e a destruído em 2016. E em 2017, ao assumir o segundo mandato, Mão Santa começou sua reconstrução. Que discurso tolo. Só os néscios devem se deixar enganar. E pra completar, já ouvimos seguidores do candidato do governador do Estado dizendo que vão reconstruir Parnaíba. Tá virando gozação.

Pode ser uma imagem de 3 pessoas e texto que diz "EUSPHB PHB ADALGISA& MÃO SANTA DEPUTADA ESTADUAL GRACINHA MÃOO SANTA Parnaíba, em apenas 7 anos, renasceu e hoje se destaca como uma metrópole, fruto do cuidado e amor que dedicamos a ela. Seguiremos trabalhando incansavelmente para que nossa cidade prospere e floresça ainda mais! Retroceder nunca mais, juntos construiremos um futuro ainda mais promissor promosso"

Os imbecis não sabem que a cidade foi construída, ao longo de sua existência, por vários prefeitos e intendentes. Uns fizeram mais, outros menos. Mas fizeram. Uns, ao assumir, demonstrando grandeza,  deram sequência às obras iniciadas em gestões passadas, outros as abandonaram. Mas cada prefeito que ganha uma eleição, é para fazer melhor que seu antecessor. Por isso Mão Santa derrotou Florentino: exatamente para fazer o que o seu antecessor não fez. Agora, assumir um mandato para ficar lastimando o que os outros não fizeram, é coisa de político pequeno, menor.

SÓ UMA ESTRELA BRILHA NA GESTÃO

A prefeitura tem vários secretários. Quase todos trabalham. E muito. Outros nem tanto.Inclusive o prefeito. Mas na propaganda das obras da gestão não aparece o nome de nenhum secretário, a não ser o da Adalgisa, por questões óbvias. E por quê? Em contrapartida, o nome da deputada Gracinha Santa está lá, aureolado como sendo o gênio da lâmpada. Não tem um cargo na prefeitura mas é quem tudo decide. E o velho prefeito só assina, dando o OK para os delírios da filha. Tá certo isso???

É PRECISO VOLTAR AO EQUILÍBRIO

Nunca um prefeito demitiu mais de mil servidores, de uma só tacada, às vésperas de uma Semana Santa, sem oferecer justificativas plausíveis. E quando reuniu o pessoal  para dizer algo, a estrela maior, quem falou, foi Gracinha, que não é prefeita e nem nada na prefeitura. Está certo Isso? Para os normais, isso é o retrato de uma gestão desequilibrada, sem leme, sem bússola, perdida, biruta, onde as conveniências pessoais são maiores que o interesse público. O projeto político da Gracinha é maior que o futuro de Parnaíba. Por isso, a cidade precisa voltar a ter uma gestão equilibrada, lúcida, sem vaidades, sem apego ao poder, sem sonhos megalomaníacos. Basta de loucuras. Os que dependem das ações da administração municipal não  merecem nenhum descompensado com as rédeas do poder na mão. (EDITORIAL)

Atentai bem! Flanelinha não é profissão!

Pode ser uma imagem de 2 pessoas e texto que diz "tvcidadeverde cidade verde.com Alunos do IFPI relatam ameaças de flanelinhas na entrada de campus em Teresina"

Já disse várias vezes aqui na página: flanelinhas não estão oferecendo um serviço que as pessoas VOLUNTARIAMENTE decidem contratar ou não.

Eles usam de ameaça OBJETIVA ou VELADA para tirar dinheiro das pessoas em troca de segurança CONTRA ELES MESMOS.

Seus alvos preferenciais são mulheres sozinhas que pagam porque estão com medo de terem seus carros destruídos pelos próprios flanelinhas.

Precisamos acabar com os flanelinhas na cidade. Essa prática deve ser proibida pelo poder público. (Fonte: O Piauiense)

EM TEMPO: Em Parnaíba diversas pessoas já foram ameaçadas de agressão, quando não têm “uns trocados” para darem ao guardador de carro ou aos famisos “flanelinhas”. E para o poder municipal isso não é um problema social.

Ciro Nogueira passa a liderança do ‘bloco Aliança’

O senador Ciro Nogueira (PP) anunciou recentemente sua saída da liderança do ‘bloco Aliança’, composto por 10 parlamentares no Senado Federal. Laércio, membro do PP de Sergipe, foi escolhido para sucedê-lo. Nogueira expressou confiança na capacidade de Laércio de prosseguir com o trabalho desenvolvido até então, destacando sua competência e compromisso.

FOTO: SÉRGIO LIMA/PODER360 – 26.AGO.2021.https://www.poder360.com.br/partidos-politicos/federacao-pp-uniao-brasil-e-republicanos-pode-sair-em-2024-diz-ciro-nogueira/

Apesar da mudança, Nogueira permanecerá como líder da minoria no Senado, mantendo influência significativa. O ‘bloco Aliança’, alinhado à Direita e em oposição ao governo de Lula, segue linhas ideológicas associadas ao ex-presidente Jair Bolsonaro.

A decisão de Nogueira é estratégica, considerando o contexto eleitoral em outubro. Espera-se que ele dedique mais tempo às atividades partidárias e à organização da campanha eleitoral nos próximos meses.

Opinião:”O Zé (Filho) está fazendo um giro ou um jirau?”

Entre os nomes demasiadamente especulados está o do ex-governador Zé Filho, que é sobrinho de Mão Santa e primo de Gracinha, contudo os movimentos de Zé têm incomodado até aqueles que o defendem como o melhor nome a ser indicado pelo tio e pela prima. Zé Filho tem feito idas e vindas que geram um ambiente de desconfiança sobre em qual lado ele estaria, de verdade. Já esteve mais próximo do tio e bem mais distante do PT, de Wellington e Rafael. Zé Filho também já fez parte do grupo esperança, mas não demorou muito por lá.

Zé Filho e Rafael em Karnak-Stories RF

No pós-carnaval, diante das novidades em torno da candidatura de Hélio, o ex-governador esteve em Karnak, a portas fechadas com o governador Rafael Fonteles. O que trataram nesse encontro ninguém revela, mas o governador não perdeu a oportunidade de mostrar aos parnaibanos que Zé Filho esteve mais uma vez com ele, portanto, “mais pra cá, do que pra lá”.

Pessoas bem próximas a família Mão Santa afirmam que essas incursões de Zé o afastam definitivamente da possiblidade de vir a ser o indicado como candidato. Com tantas idas e vindas fica uma pergunta inevitável: o Zé está fazendo um giro ou um jirau? (Direto ao Ponto/Lupa1)

Rafael Fonteles põe no chão e pisa na credibilidade dos “assanhados” pré-candidatos a prefeito de Parnaíba

POR:BERNARDO SILVA

A raquetada que o governador Rafel Fonteles deu no “Grupo Esperança” trouxe a certeza de que todo aquele alvoroço de integrantes da base do governo estadual, anunciados pré-candidatos a prefeito de Parnaíba, não passou de um sonho de uma noite de verão. E o governador se impôs, bateu na mesa e gritou: “Quem manda aqui sou eu. Quem não gostar, a porta da rua é a serventia da casa”. 

E como fica agora a palavra empenhada pelos pré-candidatos, de que o grupo esperança estava unido e permaneceria unido? Que espécie de líderes são os políticos da nova geração, que se deixam conduzir ao bel prazer de terceiros, que desconhecem a realidade parnaibana?! Sim, trata-se de uma eleição municipal, que deve ser resolvida, sem interfereência de ninguém, pelas pessoas que aqui residem, que sabem e conhecem os problemas crônicos da Parnaíba. Não se justifica um governador que pouco conhece da cidade, impor uma candidatura, tirada do bolso do seu paletó, sem respeitar as peculiaridades da região. Se pesquisa é o retrato de um momento, o que retratarão as pesquisas daqui a dois meses, num segundo momento?!!!

Hilder Monção e Rafael Fonteles

Talvez quem saia mais “arranhado” nessa história seja o radialista Hilder Monção, que sempre pontuou bem nas pesquisas, que fez trocentas reuniões, falou, prometeu, discursou, gastou sola de sapato, saliva…e tudo deu em nada, como na música de José Augusto.

A safra de políticos atuais que Parnaíba pariu, com raras exceções, é muito ruim. E por que o PT local não brigou pela candidatura própria,  da vereadora Fátima Carmino (PT), uma das mais atuantes, que realmente faz oposição ao governo da Gracinha e do Mão Santa, ao contrário do Dr. Hélio (aliás, que oposição ele faz à gestão municipal?). Afinal, trata-se do Partido do presidente da República e do governador do Estado! O Partido que deveria responder à altura as agressões do Mão Santa, que vive dizendo: ” O PT quando não está roubando está mentindo. Ou matando…”

Resta a esperança de que o Zé Hamilton, ex-prefeito, ex-deputado estadual, honre realmente a palavra empenhada, de que será candidato, mesmo que o Grupo Esperança se desmantele. O governador Rafael Fonteles já desmantelou o grupo. E aí, Zé Hamilton? Aos 74 anos de idade, com bastante energia ainda, tem a possibilidade de encerrar sua carreira política com dignidade. Passando para a história política do município como o primeiro prefeito que foi reeleito, em 2008, após serem derrotados nas suas reeleições os ex-prefeitos Zé Filho e Paulo Eudes. Se eleito, Zé Hamilton seria também o único a governar Parnaíba por 4 mandatos. É pegar ou largar, Zé!

Missa de 4 anos do falecimento de Raimunda de Carvalho Santos

A família de RAIMUNDA DE CARVALHO SANTOS convida demais parentes e amigos para a Missa que manda celebrar nesta quinta-feira(7), às 17:30hs, na Igeja de São Sebastião, pelo transcurso dos 4 anos do seu falecimento. Aos que comparecerem a este ato de fé cristã, a família agradece.

Minha querida esposa, 

Parece que foi ontem. Mas já são 4 longos anos sem você entre nós. É uma ausência sempre presente em nossos pensamentos, que será para sempre. E não há um dia sequer que eu não pense em você. É saudade, muita saudade daquela parte de mim que foi amputada no dia que você partiu, cumprindo determinações de Deus. Sua tarefa aqui na terra havia findada. Pra mim, começava algo novo, um desafio angustiante que era não poder mais contar com sua força, seu abraço, seu sorriso… e até sem nossas brigas que sempre são tão naturais em casais que assumem dividir a vida para sempre. E mais da metade da minha vida eu havia vivido com você. Sempre ali, nas boas e nas más horas…

Os primeiros dias foram meio desesperadores. OLhar para o lado, na nossa casa, as nossas coisas, e não encontrar você, sempre preocupada em cuidar da gente. De mim e dos nossos filhos. Notei que até as flores do nosso jardim que você cultivava, e ao qual dedicava tanto do seu tempo, ficaram tristes, muito tristes. Foi tudo muito ruim. Seguir em frente, era preciso. E assim o fiz. Busquei apoio na doutrina espírita que tantas vezes juntos estudamos. E você sempre na dúvida: será que existe vida após a morte? Hoje, certamente, essa dúvida já não existe. Você está aí, em outra dimensão e eu aqui, nesta planeta de provas e expiações, tentando me melhorar para quando for minha vez de ir, a gente mais rapidamente se encontre. Sim, tenho certeza absoluta: o que houve entre nós foi para sempre e que será repetido em outras vidas.

Hoje sei que você está bem, amparada, acolhida pelos amigos espirituais e familiares nossos que aí já se encontravam. Fostes bem acolhida, porque cumpristes sua missão, de boa filha, boa irmã, boa amiga, boa esposa e excelente mãe. Obrigado pelos filhos que você me deu, dando a eles a oportunidade de renascerem para evoluírem também. Hoje temos um anjo, vibrando positivamente por nós, que estamos felizes por sabermos que você está bem amparada e em condições de também nos amparar. Que Maria de Nazaré a envolva em seu Manto Sagrado. Daqui, a gente vai tentando melhorar dia a dia. Porque é esse o objetivo primordial da nossa vinda à terra. Muita Luz pra todos nós!!!

Do: Bernardo Silva

 

Condicionar composições municipais à vontade do governador apequena lideranças

Em alguns casos, ressalte-se, mesmo que o governador não esteja nem aí, os aliados repetem a lógica para agradar.

Vemos líderes municipais, muitos deles tradicionais e com história política em suas cidades, protagonizarem disputa esdrúxula com adversários locais para saber quem tem maior simpatia do gestor estadual. Em algumas situações, existe troca de farpas devido à ciumeira por conta do apoio do governador.

Palácio de Karnak influencia cada vez mais na política dos municípios (Thiago Rodrigues/Lupa1)

É natural que a figura do governador do Estado exerça influência em algumas das principais cidades e em um ou outro caso isolado de cidade pequena que seja do seu interesse. Mas, o que se nota no Piauí é que muitas lideranças municipais resolveram colocar seus prestígios no chão para condicionar toda e qualquer discussão sobre alianças locais à lógica das alianças partidárias de nível estadual.

Isso nunca existiu! Até mesmo na rivalidade PT x PFL, em algumas cidades os dois partidos estavam no mesmo palanque. As alianças municipais eram decididas pelas lideranças políticas dos municípios, não importando se elas destoavam de composições estaduais. E mais: os líderes políticos tocavam as disputas nas cidades sem se ajoelhar à figura do governador, ainda que um dos lados na disputa fosse seu aliado.

É verdade que o uso da estrutura pública estadual nas eleições municipais se “globalizou” nos últimos anos e alcança todas as cidades, o que faz muitos políticos quererem estar do lado da máquina do governo. Contudo, nada justifica exigir que a lógica partidária de nível estadual se reproduza igualmente nos municípios.

Historicamente, governador não apitava na engenharia política das cidades. Se dois partidos eram rivais na cena estadual, isso não era critério para ser levado em conta nas composições políticas municipais, sobretudo nas cidades mais pequenas. Quem influenciava eram os líderes locais, muitos deles caciques políticos.

Essa “moda” de querer reproduzir ao máximo as alianças estaduais nas cidades apequena as lideranças municipais, enfraquece o poder de decisão de grupos tradicionais e faz a engrenagem política do interior minguar. Por outro lado, concentra poder no titular do Palácio de Karnak, o que, do ponto de vista democrático, não é bom.

Em outros tempos os municípios tinham líderes altivos, que lideravam de fato o jogo eleitoral em seus redutos políticos. Hoje, a maioria deixa ir para o ralo a própria capacidade de liderança ao permitir que forças externas ditem o cenário em suas cidades. Em alguns casos, há até os que engolem o choro mesmo estando insatisfeitos.

Não se faz mais líderes como antes. (Por: Gustavo Almeida)

Consolide seu nome na história política de Parnaíba, Zé Hamilton! Candidate-se!

Por: Bernardo Silva

Claro que seu nome já ocupa um destacado lugar na história política de Parnaíba, assim como o nome de seu pai, o jornalista e político Epaminondas Castelo Branco, que, embora poucos saibam, foi deputado estadual e deputado federal no Piauí. Como nada acontece por acaso, foi Zé Hamilton o primeiro prefeito de Parnaíba a conquistar a reeleição e um terceiro mandato (2008), façanha conseguida pelo atual prefeito Mão Santa somente em 2020. Mas, candidatando-se, Zé Hamilton chegaria ao 4º mandato, com menos de 80 anos, coisa que o Mão Santa nunca conseguirá, porque já tem 82. E estaria consolidado como o político que exerceu o maior número de mandatos de prefeito.

José Hamilton Furtado Castelo Branco

É um sacrifício? Sim, Mas também é uma forma de agradecer à sua cidade, pelo muito que ela já lhe deu, inclusive uma linda família, bem estruturada, com a qual você pode contar a qualquer instante, podendo abraçar também os seus netos  que vieram complementar sua felicidade, temos certeza disso.

JUSTA CAUSA 

Não estamos no mundo a passeio. Às vezes a vida nos exige sacrifícios em favor de um bem maior, lá na frente. É sair da zona de conforto dando um pouco do sangue da gente em benefício de uma causa justa. E Parnaíba é uma causa justa. E nunca estivemos num momento tão vazio de valores políticos como agora, que exigem o sacrifício e a experiência de quem pode, porque Deus jamais nos põe aos ombros uma cruz cujo peso não podemos carregar. E você pode carregar esta cruz. E os parnaibanos estão ávido pela substituição da mediocridade, que valoriza a hipocrisia, por respeito a todos e a seriedade na condução da coisa pública.

TODOS QUEREM

Por que até agora essa indefinição com relação a candidatos a prefeito de Parnaíba? E por quê tantos desejam este cargo, embora a maioria não tenha o mínimo preparo para tal?! É justamente pela falta de uma grande liderança. Uma liderança hegemônica, que possa unir, conciliar, evitando conflitos, jogando água nessa fogueira das vaidades que grassa no meio político local.  E as pesquisas dizem. A voz rouca das ruas grita. Volta, Zé Hamilton. Socorre a tua cidade, antes que seja tarde demais. 

Mão Santa não soube (ou não quis?) construir uma liderança em quem confiar: dificuldade para eleger sucessor

Por:Bernardo Silva

Dizem que político não tem amizades.Tem interesses.E em se tratando do prefeito de Parnaíba Mão Santa, a máxima se confirma. Em período eleitoral ele usa as pessoas para se eleger, Depois são descartados, até mesmo aqueles que o ajudaram a compor uma chapa, quando da disputa para um cargo executivo. É o caso dos que foram vices de Mão Santa, desde quando foi prefeito pela primeira vez, tendo como vice o Caldas Rodrigues, filho do grande empresário José Alexandre, e até quando foi candidato a governador, com os vice Osmar Araujo e Osmar Júnior. Não lhes deu os espaços devidos, porque preferiu ter ao lado alguém da família, a exemplo do Mão Santa Jr., que foi o poderoso chefe do gabinete civil do então governador Mão Santa.

MÃO SANTINHA NÃO DEU!

Mãosantinha hoje longe da política

Aliás, Mão Santinha, como era conhecido, chegou a se “ensaiar” como provável herdeiro político da família, quando em 2004, com o pai senador, chegou a se candidatar prefeito de Parnaíba mas, perdeu para o Zé Hamilton. Quatro anos depois – 2008 – Mão Santa lançou sua santa esposa Adalgisa para prefeita, que já tinha perdido eleição para Silvio Mendes, em Teresina. Ela também foi derrotada por Zé Hamilton, que foi o primeiro prefeito a conquistar a reeleição no município. Antes dele, os ex-prefeitos  Zé Filho e Paulo Eudes tentaram e não conseguiram se reeleger.

E OS VICES?

Samaronne e Mão Santa:Usado e descartado a seguir

Quando prefeito a primeira vez(1989/1992), numa coligação com os grandes políticos José ALexandre e Elias Ximenes, Mão Santa tinha como vice o filho de José Alexandre, Francisco Caldas Rodrigues. O então prefeito ganhou dos donos do Curtume COBRASIL como “mimo” uma viagem à Europa. Viajou e deixou o vice no comando da prefeitura. Quando voltou, desmanchou todas as decisões tomada por ele, na sua ausência. E as relações foram cortadas. Em 2016, no ostracismo, sem ninguém para vice, buscou o desconhecido Samarone. Ganhou, mas não deu espaços para o vice, que logo entrou em linha de choque com a toda poderosa secretária de infra estrutura, a Gracinha, que depois viraria a “dona” da prefeitura. E o vice atual, Beto Teles, eleito em 2020 na reeleição de  MS? Foi melhor tratado? Por onde andará?!!!

E a ssim segue o velho Mão Santa depositando confiança apenas na família. Não soube ou não quis construir um nome para sucedê-lo. Não há um só secretário municipal que tenha se destacado, porque a imprensa oficial, paga com o dinheiro do povo, é proibida a falar no nome deles. Todas as realizações da prefeitura têM que, obrigatoriamente, citarem apenas os nomes do Mão Santa, Adalgisa e Gracinha, sendo que esta atualmente é deputada estadual e nenhum cargo possua na prefeitura, onde ela manda e desmanda, inclusive nas questões financeiras. Não se sabe se coincidente ou milagrosamente, quando o Mão Santa está no poder, o patrimônio de seus familiares cresce de forma vestigionosa. SERÁ QUE NINGUÉM VÊ ISSO???

O parnaibano ainda se engana com a “família santa” porque quer…

Por: Bernardo Silva

É fato! O povo quando quer se deixar enganar é quase impossível querer dissuadí-lo do contrário. Mesmo sabendo que, no final, tudo vai dá mer.., as pessoas insistem, quebrando a cara, por birra. É o que vem acontecendo em Parnaíba, com relação à administração municipal. É um amontado de erros, mentiras e omissões, mas a propaganda ostensiva e enganosa, ganha espaço e convence os trouxas (que são muitos) a aplaudirem  até mesmo as barbaridades que são ditas, aqui e alhures,  pela deputada Gracinha, filha do prefeito, que não foi eleita para ser gestora mas, aproveitando uma suposta fingida “demência” do pai, faz e acontece, tomando decisões que caberiam só e somente só ao prefeito.

Falam tanto de “AMOR”  e agem com rancor, perseguindo a quem não é rigorosamente fiel às vontades da “família santa” – Gracinha, Adalgisa e Mão Santa, que agem se fossem os donos da Casa Grande e o restante da família parnaibana fosse a grande senzala.  Estão aí, contrastando com tanto “amor”, as demissões de pobres servidores da prefeitura que ousam ou ousaram discordar do pensamento deles.

     O “Obelisco do amor” já chegou a ser anunciado como construído

De um lado, duas Praças do Amor; parque de exposição do amor; Shopping do Amor, além da anunciada construção de um obelisco do amor e, já se comenta para o próximo mês, a árvore de natal do amor. E ainda tem a praça “Terra Santa” com uma réplica do Cristo Redentor dentro. O amor só existe para as coisas da “família santa”. Quem não pensar como o trio e aplaudir seus delírios, é da “turma do ódio”. Isso é aceitável?!!!

Qual o trabalho volutário em favor das pessoas carentes?!!!

Aliás, por que essa família, que vive falando de amor, se dizendo pai e mãe dos pobres, quando não está com a chave do cofre de um governo na mão – seja prefeitura ou governo do Estado – fica invisível? Onde estava, por exemplo a deputada Gracinha até 2016, antes de assumir uma secretaria municipal em 2017? Que projeto importante esta “grande” engenheira civil fez aprovar  Brasil à fora, que seja do nosso conhecimento?! Por que quando fora do poder a família santa não desenvolve uma ação voluntária de grande porte, considerando que Mão Santa tem várias aposentadorias que o povo lhe propiciou, através de diversos mandatos? Por que não uma Fundação ou uma ONG, com o nome de dona Jeanete, para ajudar carentes, crianças em situção de rua, mães solteiras, idosos, enfim, algo que provasse ser verdadeira essa opção pelos pobres?!!! Respostas para nossa redação.

EM TEMPO: Para quem não sabe, quando Mão Santa foi prefeito de Parnaíba pela 1ª vez, de 1989 a 1992, eu fui um dos poucos que faziam oposição cerrada à sua gestão, na Rádio Educadora de Parnaíba, presidida pelo Dr. João Silva Filho. Portanto, critico o “modus operandi”, dele, de cátedra, com conhecimento de causa.

OPINIÃO: E o que é o “novo” na política Parnaibana?!

Por:Bernardo Silva

Cabisbaixo, tenho andado pensando, desanimado, no que será o futuro da Parnaíba com os políticos que aí estão e com os que se assanham para ganharem um mandato eletivo. Não se vislumbra nenhum sinal de luz no fim do túnel. Só vaidade, uma paixão exacerbada pelo que não presta e um monte de bobagens sendo ditas por alguns e assimiladas por muitos, como sendo o retorno do iluminismo. (Os iluministas acreditavam que a aplicabilidade da razão levaria a humanidade a um progresso que seria capaz de formar uma sociedade perfeita).

CADÊ O NOVO?

O que surgiu de novo na política de Parnaíba nos últimos 20 anos? Que lideranças novas nasceram, prosperaram, com linguagem e posicionamentos novos e que  se consolidaram como pessoas que falam a linguagem da população e desenvolveram algum trabalho que fortalecesse as pessoas, melhorasse de fato sua qualidade de vida?! Qual o novo lider que surgiu, realmente popular, que nunca se utilizou dos artifícios dos outros políticos, na hora da aquisição de votos?!!!

E NOSSOS VEREADORES???

Tenhamos como parâmetro a Câmara Municipal. Há quanto tempo não surge um vereador, que tenha um trabalho realmente sintonizado com os interesse do povo, e que se ouça nas ruas que esta pessoa tem sim condições de se tornar um bom prefeito para a cidade? Vereador de 20, 25 anos de mandatos, e até mais, existem. Mas de que forma se elegem? Que artifícios uilizam para “chegar lá”? O que se sabe é que alguns pisariam no pescoço da própria mãe para consegirem seus mandatos…

O POVO QUE SE EXPLODA

E agora pré-candidatos estão aí dizendo que representam o novo. Mas de que novo estão falando? Com certeza não é do Fábio Novo (pré-candidato a prefeito de Teresina?. Alguns sequer tiveram a preocupação de concluir o ensino fundamental e jamais interpretariam um simples texto. Como se assanhar para serem vereadores e até prefeitos de Parnaíba, uma cidade tão vaidosa, com uma história tão bonita, que está sendo rasgada por quem atualmente está na vida pública com um único interesse: ficar rico, ajeitar a si e aos seus e distribuir bombons e farelos para os que ficam no andar de baixo. O povo, que se exploda! Tenho dito!

Quando e onde a petulância e a imbecilidade se misturam na política parnaibana

Um dos primeiros nomes que lançaram com pré-candidato a prefeito da confiança da Gracinha

De repente, não mais que de repente, querem transformar a antes anônima e insípida Gracinha Moraes Sousa na maior estrategista política do Piauí. E com dinheiro público, suspeita-se, ela paga e ganha espaços na mídia, onde comunicadores bem aquinhados querem transformar em mito a filha do prefeito Mão Santa – um político velho, atrasado, com um discurso, obsoleto, repetitivo de 50 anos passados. E ele se acha o melhor político do Brasil. Coisas da Parnaíba.

Quando o assunto é sucessão 2024 já nem se fala mais em Mão Santa, o primeiro e único governador do Estado cassado por corrupção. Dizem que quem vai dá as cartas será a hoje deputada Gracinha, que já foi uma supersecretária municipal, onde manipulou recursos de diversas secretarias para maquiar a cidade e ganhar notoriedade. Até o Dr. Hélio, que foi derrotado pelo grupo do Mão Santa em 2020 e de quem recebeu sonoras e desagradáveis críticas,  correu para os braços da Gracinha, encantado talvez pelos olhos azuais da “distinta” senhora e da qual esperava receber as bençãos para ser candidato a prefeito da Parnaíba apoiado pelo atual esquema que está no poder municipal.

A bola da vez é Valdeci Cavalcante, que já se insinua como pré-candidato na sucessão de Mão Santa. E todos sabem que, se eleito, jamais se prestaria a ser marionete de ninguém, muito menos do grupo do Mão Santa, cuja ideia é eleger em 2024 alguém da extrema confinça  do grupo, para em 2028 lançarem a Gracinha para prefeita, a fim de terminarem com o estrago que estão fazendo na estrutura administrativa da cidade, que vão deixar cheia de débitos para o próximo governante.

PARNAÍBA NÃO MERECE O ESPETÁCULO!

Afora esses, outros pré-candidatos são lançados quase todas as semanas, mas são tidos como os “bobos da corte”, nomes nascidos do deboche que é tão natural em Mão Santa. Ninguém sabe onde tudo isso vai terminar, considerando o torpor em que vive o parnaibano, inebriado com a política do pão e circo. Não importam os número vergonhosos e o atraso nos setores mais importantes da administração – a saúde e educação. O importante são as festas, os shows, porque dizem que dá emprego, ajuda os “pobres ambulantes”. E as pobres crianças que sequer merenda escolar têm?  É o futuro da próxima geração jogado na lata do lixo. Mas, toca o enterro!!! (BS)

Governo Rafael Fonteles avança para entrega do sonho do porto de Luís Correia

Fonte: ascom

O governador Rafael Fonteles visitou as obras do porto de Luís Correia, e anunciou para o dia 13 dezembro a entrega do estacionamento e do primeiro terminal portuário com profundidade capaz de receber embarcações pesqueiras e dando sinais de que muito em breve o Porto possa ser entregue aos Piauienses.

Justiça seja feita! O porto, desde que RF assumiu o governo, deixou de ser história de pescador e caminha para ser um passo decisivo para a economia do estado. Depois de décadas de espera, o atual governo fará história.(Encarando)

O Fiasco da educação de Parnaíba não preocupa os prefeitos Mão Santa/Gracinha

Secretária de Educação Fátima Silveira comanda a “politicagem” no setor

Difícil de acreditar que Parnaíba possa ser um pólo educacional quando os responsáveis administração do Município (leia-se Mão Santa e a filha Gracinha) não têm a menor preocupação com a qualidade do ensino básico. E o que esperar de um estudante universitário cujo apredizado nas séries iniciais foi feito na base do improviso? A “politicagem” tomou de conta da SEDUC. É só observar os números abaixo

Dos 224 municípios do Piauí, Parnaíba ocupa  a posição 195. Veja abaixo Ranking dos municípios do Piauí, a partir do IQEM – Índice de Qualidade da Educação do Município usado para rateio do ICMS-Educação 2022, composto por: IDEPI ALFA, IDEPI F1, Índice de Equidade – Ieq; Índice Socioeconômico. Isso sem se falar do IDEB- Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico, que vai de mal a pior, ano a ano, enquanto a administração foca na política do “pão e circo” promovendo shows e festas, anestesiando os incautos, os menos esclarecidos. São quase 7 anos transcorridos.

Secretária de Educação com a “Rainha 1ª” Gracinha

Mão Santa parece haver esquecido que quem  foi eleito para administrar a cidade foi ele, Fracisco de Assis de Moraes Sousa, e nunca a Gracinha, sua filha, que hoje se acha dona da prefeitura, embora tenha deixado de ser secretária municipal há tempos e tenha sido eleita para ser deputada estadual. Mas ela não deixa de pensar no cofre da Prefeitura e continua desagregando, brigando com vereadores, achando que sabe e pode tudo. Quanta arrogãncia e prepotência, exercitadas com o aval do pai, prefeito Mão Santa , da mãe, Adalgisa e outros que poderiam dar um “basta” no destempero da moça. Mas, deixa seguir… Mesmo com índices alarmantes na saúde e educação, dizem que Parnaíba é de primeiro mundo…Fazer o quê??? ( BS)

 

 

EDITORIAL: E desde quando pesquisas ganham eleições?!!!

É UM  só o discurso dos diversos pré-candidatos a prefeito de Parnaíba, pelos partidos da base do governo Rafael Fonteles: “estamos unidos e, lá na frente, quem estiver melhor nas pesquisas, será o candidato  das oposições, apoiado pelo governador”. E todos querem ser o escolhido ou aparecer bem nas pesquisas para valorizar o passe na hora das negociações com o chefe do Executivo Estadual.

A foto acima mostra uma reunião de alguns pré-candidatos a prefeito de Parnaíba contra o esquema do prefeito Mão Santa. Mas escolheram como guru o ex-prefeito José Hamilton, que não votou no governador Rafael Fonteles e disse que não votaria no PT, partido com o qual governou quando foi prefeito. Zé Hamilton disse certa vez, antes de Mão Santa disputar a reeleição em 2020, que seria candidato contra Mão Santa, Gracinha e todo mundo. O que se viu foi o genro de Hamilton na disputa como vice-prefeito do atual chefe do Executivo municipal. Portanto, o que Zé Hamilton diz não se escreve.

Para observadores, há perda de tempo com tantas reuniões à espera de resultados de pesquisas. Quem consagra nas eleições são os votos dos eleitores que, até agora estão à parte neste processo. É só lembrar que em 2016 todas as pesquisas davam como certa a reeleição de Florentino  Neto. E Mão Santa foi quem ganhou. Portanto, a saída é decidirem logo quem é quem e deixarem de gastar em vão saliva e sola de sapato. 

O QUE ELES ESTÃO FALANDO?!!!

O que os candidatos estão dizendo desta administração circence e do “rombo” que ela tem provocado nas finanças da prefeitura?!!! O que dizem de uma gestão que vive fazendo reformas em escolas e estas, em grande parte, continuam com sua estutura física depredada? Os postos de saúde, idem; E por que o Mão Santa já esqueceu de várias promessas de campanha, dentre os quais o problema de alagamentos nas áreas dos chamados piscinões. E quanto a prefeitura gasta com promoção pessoal da Gracinha, Mão Santa e Adalgisa, enquanto não promove uma campanha educativa nos meios de comunicação? Mas Parnaíba tem festas & mais festas; tem a “Terra Santa”; tem uma ponte para fazer da Pedra do Sal a melhor praia do mundo; e haja pão e circo! POBRE PARNAÍBA!!!

Parnaíba precisa mesmo “importar” de Cocal candidato a prefeito?!!!

A ausência de lideranças novas, fortes, combativas, comprometidas com as causas coletivas é uma realidade que não é característica apenas de Parnaíba mas de todo o país. Daí a trazer de Cocal um político para ser candidato a prefeito da mais importante cidade do Piauí é passar recibo de incompetência política. O deputado Rubens Vieira, de quem estamos falando, tem o direito de ser candidato a prefeito, sim, desde que obedeça os ditames da lei. 

Deputado Rubens Vieira

Porém, não nos parece uma boa ideia, considerando que até bem pouco tempo chamam de forasteiro o deputado Dr. Hélio, que, direntemente de Vieira, aqui reside, tem empresas na cidade, serviço prestado, enfim, já há algum tempo possui uma identidade com os problemas daqui, diferentemente do Cocalense, que até agora apenas recebeu dos parnaibanos (os votos) nada dando em troca.

Não seria a hora dele procurar cumprir o papel de deputado, fortalecendo a bancada de Parbaíba no legislativo estadual? Procurar contatos com lideranças locais com esse objetivo, deixando o espaço para que os parnaibanos de boa vontade assumissem a obrigação de darem um pouco de sí em benefício da cidade? 

Aliás, é hora dos parnaibanos verdadeiros, empresários vitoriosos, políticos que ainda possuem condições de saúde, deixassem suas zonas de conforto e assumimem a posição de candidatos, pra valer, porque Parnaíba não pode ser entregue a aventuras de quem deseja apenas ficar rico no exercício de um mandato. E Cocal tem dado bosns exemplos de políticos ruins,que foram parar na cadeia, por malversação de dinheiro público. Para exemplificar, citamos os ex-prefeitos José Maria Monção e Chico Antônio Fontenele. É preciso que se dê conhecimento, às gerações mais recentes, da verdadeira história política deste Estado.

Por haver “ajudado” um grupo de vereadores de Parnaíba a “ajeitarem” os votos que ele obteve, para deputado estadual, esses mesmos vereadores, ao invés de estarem tentando fortalecer o projeto de colegas seus, que também desejam ser candidatos a prefeito, abrem os braços para quem não conhece a cidade e sequer se sabe do que, de fato, ele deseja para Parnaíba no caso de eleito prefeito. Esse é o ponto! E pronto!!!!