Parnaíba está fechada? E quem mandou fechar???

Não diz nada, e nem  coisa alguma essa “publicidade” tosca que pretenda remeter a uma suposta pré-campanha de deputados federal(Denys) e estadual (Gracinha). A filha do prefeito, aliás, resolveu agregar o apelido “Mão Santa” ao seu nome, na esperança, certamente, que isso venha render votos, o que não é garantia.

Mas como Parnaíba fechada? Todos os eleitores da cidade já teriam “fechado”, com os dois,  decididos votar somente neles? Mudem de marqueteiro urgentemente. Parnaíba é uma cidade plural, de pessoas livres, que jamais se deixariam por o cabresto para votar apenas e tão somente em dois candidatos, sem nenhum histórico político. Filhos de Valdeci Cavalcante e de Mão Santa não é credencial para conseguirem este intento. Falta criatividade. Sobra servilismo em quem fez a peça. Portanto, demitam o marqueteiro.

 

Está derretendo pré-candidatura Silvio Mendes ao Governo do PI

Dr. Sílvio afirma que o Ministro Ciro poderá ser o candidato da oposição ao governo do estado. “Talvez não seja melhor para ele e nem para o Piauí, mas existe a possibilidade sim.”

Dr. Sílvio sabe que como vice de Ciro não irá somar, pois seus eleitores não votam no ministro. No Piauí o presidente Bolsonaro teve sua maior rejeição no Brasil, em 2018 teve apenas 22% dos votos, o estado que lhe deu a menor votação. O ex-prefeito está acuado, sabe que seria inviável uma disputa ao governo independente, e agora em seu íntimo, quer o apoio de Ciro para galgar uma disputa solitária ao Senado. Mas o PP já tem um pré-candidato, o prefeito de Floriano Joel Rodrigues que está com a campanha a todo vapor e não vai gostar de uma mudança de planos do Ministro.

Aos poucos Ciro vai fritando a imagem de Dr. Silvio, que a todo momento muda o discurso, decepcionando seus eleitores com sua falta de firmeza no discurso.(Renato Montanha)

[VÍDEO] O 14° salário concedido aos professores e causos da sessão ordinária da câmara(16/12/21), e um boato envolvendo Ciro Nogueira. ASSISTA!

Quem não conhece o prefeito da Parnaíba, Não Santa,  pode até acreditar que ele é realmente o prefeito que melhor paga os professores e, por mérito seu, resolveu dar um 14º salário à categoria. Mas a mentira não se sustenta. Nunca se sustentou, A verdade sempre vem à baila e derruba a demagogia dos que se fantasiam de papai noel para aparecerem como os pais dos necessitados em época de natal.

A Câmara Municipal de Parnaíba, aprovou, na última sexta-feira, o projeto do Executivo que autoriza o prefeito a conceder aos professores o abono, também chamado de 14º  salário. É o rateio das sobras  do FUNDEB – Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação. É dinheiro federal. Não é um presente do Mão Santa aos professores. Veja os detalhes no vídeo:

 

[VÍDEO] A ponte dos Tabuleiros, a situação dos piscinões e mais assuntos da semana em Parnaíba

Com certeza os problemas da Parnaíba não vão acabar com as luzes de natal que espalharam nos 4 cantos da cidade, como para anestesiar as pessoas e fazê-las repetir em coro:”Parnaíba está uma gracinha!” E para quem está numa pré-campanha eleitoral, isso parece ser tudo, quando,  na verdade, é ouro de tolo.

O inverno se aproxima e com ele a expectativa angustiante de famílias que residem nas áreas dos piscinões dos bairros Piauí e Frei Higino. Governante algum imagina o que é uma pessoa acordar com a água invadindo sua casa, destruindo seus móveis e expulsando-a do seu lar. Males provocados por enchentes é um problema antigo da cidade que governantes continuam postergando. E os vereadores entraram na onda, realizando audiências públicas que dizem ser para solucionar problemas mas que na verdade é apenas perda de tempo e uma forma de fingirem que trabalham em benefício do povo.

Enquanto isso a Prefeitura de Parnaíba briga com o governo do Estado pela conclusão de uma estrada de acesso à Lagoa do Portinho, para onde já se pode ir por estrada asfaltada, enquanto moradores de vários bairros clamam pela construção de uma ponte de concreto no bairro Tabuleiro. Mentalidade pequena a de um prefeito que se diz amigo íntimo do presidente da República, Bolsonaro, e de um dos seus principais ministros, Ciro Nogueira, mas não consegue recursos para resolver em definitivo estes problemas. Seria complexo de vira-lata??? Veja o vídeo:

Depoimento sobre Vicente Correia

Kenard Kruel

Rua Coronel José Narciso, 844, na Praça Santo Antônio, localizada na Metrópole do Norte, com assim denominou Parnaíba dom Pedro I. Endereço que jamais esquecerei em minha vida. E nem o casal que ali morava. Dr. Vicente Correia e sua Teresa Carvalho Correia, pais de Fernando, Ronaldo, Aloísio, José Cláudio (falecido), Marcelo, Márcio, Cristina, Vânia e Edna. Dr. Vicente de Paulo Santos Correia era proprietário e fundador da Atalaia Turismo, a agencia de turismo mais antiga do Piaui (desde 1976). Hoje, de propriedade de Francisco Moraes, ex-gerente. 

Meninote, querendo ser jornalista, achei de criar um jornal, que nominei de Batalha do Estudante. Precisava de uma máquina de escrever, mimeógrafo, stencil e resmas de papel. Estávamos vivendo o início da era do mimeógrafo, meu caro poeta irmão Emerson Araújo, que se criou e se forjou dentro de uma gráfica. Dr. Vicente Correia forneceu a máquina de escrever. Todos os dias, à tarde, por voltas das 16 horas e ia à casa dele. 

Sentava-me à mesa central e ali instalava a redação do Batalha do Estudante. Tinha uma secretária eficiente, dona Teresa Correia que, de meia em meia hora, servia deliciosos sucos de frutas colhidas no quintal, com bolinhos que ela mesmo fazia em sua cozinha mágica. Ao lado, o seu Ozias Correia, rádio amador, numa espécie de apartamento próprio, a falar com o mundo inteiro e com quem aprendi os primeiros rudimentos de inglês, italiano, espanhol e francês. No outro dia, no Colégio Estadual Lima Rebelo, onde cursava o técnico em Administração de Empresa, recebia a cumplicidade de Cora, secretária, hoje esposa do conselheiro Olavo Rebelo, presidente do Tribunal de Contas do Estado – TCE – PI. Ela, nas horas de folga, passava no mimeógrafo o stencil, imprimindo o Batalha do Estudante. 

Além do ato, era a primeira a comprar um exemplar do jornal. O Dr. Vicente Correia, o segundo comprador. 10 exemplares. Dois reais, no dia de hoje. Eram 500 exemplares. Seis páginas. Ilustradas por Fernando Costa, de saudosa memória, Flamarion Cunha, José Vilson Santos, entre outras ilustrações que eu capturava nos jornais do Rio e de São Paulo. Passei a colaborar com o jornal Folha do Litoral, levado pelo amigo e mestre Bernardo Silva. 

Vibrava a cada publicação de um artigo ou poema meu. Às vezes, escrevia até mesmo o editorial, dentro da generosidade do mestre Bernardo Silva com o seu aprendiz. Logo me tornei escritor. Meu primeiro livro foi Em Três Tempos, também no mimeógrafo, em parceria com José Elmar de Melo Carvalho, que se tornou o grande poeta que é, e Paulo Couto. Nossas caricaturas foram feitas pelo Flamarion Cunha. A capa do José Vilson Santos. Rodado na Comepi – Companhia Editora do Piauí, graças à bondade do jornalista Deoclécio Dantas, então presidente. 

Dr. Vicente Correia comprou, em primeira mão, 10 exemplares. E isto se tornou rotina. Todos os meus livros seguintes, os primeiros 10 exemplares eram remetidos para ele, que os recebia com alegria imensa. Além do pagamento, nunca deixava de agradecer a deferência. Morando em Teresina, passei a editar, também, em mimeógrafo, o Cobaia, este de cunho político, posto que eu estava vivenciando a rebeldia típica da juventude. Era estudante de Letras na Universidade Federal do Piauí, envolvido com as lutas estudantis universitárias. Os 10 primeiros exemplares, não precisa que perguntem, eram enviados para o Dr. Vicente Correia. 

Quando ia à Parnaíba, a primeira casa a visitar era a do Dr. Vicente Correia. – “Como vai esta juventude? Como vai o meu nobre escritor? Se tivesse me avisado teria pedido ao prefeito que fosse recebê-lo na entrada da cidade, com a Banda de Música”. Era sempre assim que me recebia, todas as vezes. Em sua casa, ampla e confortável, uma capela própria. Nela, em sua companhia e de dona Teresa Correia, eu aliviava os muitos pecados das costas, ou assim rogava, em muitas orações. 

O Dr. Vicente Correia era um homem muito religioso, de uma fé inabalável! A foto que eu publico, talvez seja de um dos nossos últimos encontros. Foi clicada na inauguração da Sala Deoclécio Dantas, no prédio Agostinho Pinto, do SESC, por detrás do Liceu Piauiense, em Teresina. Ao me aproximar dele, ele foi logo dizendo: – “Como vai esta juventude? Como vai o meu nobre escritor?” E ficamos horas a conversar, esquecidos da grande festa ao nosso redor. No dia 9 de maio de 2013, na paz da Ilha Kenardiana, em Tutóia (MA), eu recebi a notícia de que o Dr. Vicente Correia tinha ido ao encontro do Pai, onde está sob sua proteção e em bom lugar, Santo que era na terra e reconhecido na morada do Senhor. 

Esta semana, viajando de Parnaíba para Teresina, de carona com o sobrinho Francisco Correia, e acompanhado pelo filho Marcelo Correia, recebi o pedido de fazer a biografia de Dr. Vicente Correia. Nada me honrará e me deixará mais feliz. Tudo que eu faça por ele, em sua memória, será pouco. Mãos à obra, Kenard Kruel! Com fé, esperança e amor.

[VÍDEO] A ponte dos Tabuleiros, a situação dos piscinões e mais assuntos da semana em Parnaíba

Com certeza os problemas da Parnaíba não vão acabar com as luzes de natal que espalharam nos 4 cantos da cidade, como para anestesiar as pessoas e fazê-las repetir em coro:”Parnaíba está uma gracinha!” E para quem está numa pré-campanha eleitoral, isso parece ser tudo, quando,  na verdade, é ouro de tolo.

O inverno se aproxima e com ele a expectativa angustiante de famílias que residem nas áreas dos piscinões dos bairros Piauí e Frei Higino. Governante algum imagina o que é uma pessoa acordar com a água invadindo sua casa, destruindo seus móveis e expulsando-a do seu lar. Males provocados por enchentes é um problema antigo da cidade que governantes continuam postergando. E os vereadores entraram na onda, realizando audiências públicas que dizem ser para solucionar problemas mas que na verdade é apenas perda de tempo e uma forma de fingirem que trabalham em benefício do povo.

Enquanto isso a Prefeitura de Parnaíba briga com o governo do Estado pela conclusão de uma estrada de acesso à Lagoa do Portinho, para onde já se pode ir por estrada asfaltada, enquanto moradores de vários bairros clamam pela construção de uma ponte de concreto no bairro Tabuleiro. Mentalidade pequena a de um prefeito que se diz amigo íntimo do presidente da República, Bolsonaro, e de um dos seus principais ministros, Ciro Nogueira, mas não consegue recursos para resolver em definitivo estes problemas. Seria complexo de vira-lata??? Veja o vídeo:

Brasil perde cerca de R$ 200 bi por ano com corrupção

Hoje, 9 de dezembro, é celebrado o Dia Mundial contra a Corrupção. Uma praga que suga o dinheiro pago pelos cidadãos por meio de impostos e que deveria ser empregado em saúde, educação e segurança públicas, mas que acaba indo parar no bolso de gestores, empresários e políticos desonestos.

Os dados levantados pelos órgãos de fiscalização e controle apontam para uma perda anual de cerca de R$ 200 bilhões no Brasil, que escorrem pelos ralos da corrupção. Segundo dados da Fundação Getúlio Vargas, a redução de apenas 10% no nível de corrupção no país aumentaria em 50% a renda per capita dos brasileiros dentro de 25 anos.As formas de desvio são as mais variadas e incluem preços superfaturados, licitações viciadas, aditivos contratuais e pagamento de propina.

A organização Transparência Internacional elabora o Índice de Percepção da Corrupção no setor público e atribui notas que vão de zero a 100, sendo que quanto mais perto de zero, maior é a percepção de corrupção no país. Por outro lado, quanto maior a nota, mais honesta é a nação avaliada. O Brasil obteve nota 38, ocupando a 94ª posição entre as 180 nações pesquisadas. Os países mais bem avaliados nesse quesito, com notas próximas de 100, foram a Dinamarca e a Nova Zelândia.

A cultura da corrupção parece ter-se introjetado na administração pública brasileira, em diferentes esferas de poder, minando a capacidade do país de investir em setores essenciais e tornando-se um fator de risco considerado pelas empresas na tomada de decisões. Para enfrentar essa mazela, o país precisa fortalecer os órgãos de controle, conferir autonomia às instituições como Polícia Federal e Ministério Público e garantir mais transparência nas contas públicas.(Cláudia Brandão)

Gabinete da Segurança instalado em Parnaíba é fracasso total; sobrou pro IML

 A matança no litoral do Piauí aumentou depois que tal gabinete foi criado para conter a violência na região da grande Parnaíba.

IML EM AÇÃO O TEMPO TODO

As mortes continuam e o IML acabou de ser acionado para remover mais dois corpos desovados nesta segunda-feira(6), na zona rural. 

Na Ilha mataram um rapaz na porta de casa na noite deste domingo. Na praça do Amor uma pessoa foi baleada. Na praça da Graça as famílias com as criancinhas estão dividindo o espaço com usuários de drogas e alguns trombadinhas.

Uma mãe quase foi roubada ao tirar foto da filha em frente aos arranjos natalinos da citada praça. Por pouco não perdeu o celular Iphone. 

A cúpula da segurança também errou ao exonerar o delegado operacional João Rodrigo Luna, fazendo com que outros delegados operacionais cruzassem os braços. 

Seria a hora do governador Wellington Dias interceder na segurança pública do seu estado, removendo aqueles mandatários políticos que só fazem atrapalhar o trabalho dos policiais. 

A culpa disso tudo, é dá cúpula da segurança em Teresina que não sabe trabalhar. É UMA VERDADE QUE PRECISA SER DITA!(Portal do Catita)

Opinião:”Carnaval pra quem?”

(*)Aline Midlej é apresentadora do Jornal das Dez, na GloboNews

Começo falando que eu adoro Carnaval, e esse não é o texto contra esse desejo (legítimo) de muitos. A coluna de hoje é sobre o novo choque de realidade que vem junto com a chegada dessa nova variante. Foi como um lançamento coletivo pra uma realidade que, depois de quase dois anos de Pandemia, a gente estava preferindo achar que não existia mais. Mas eis que ela reaparece com o nome Omicron, e de uma região do país historicamente negligenciada por uma comunidade internacional que brinca de se importar.

Só com a notícia da nova variante, também chegou pra muitos a informação de que, até hoje, na África do Sul, há toque de recolher para a população em função da Pandemia. Na linda e turística Cidade do Cabo, quando o relógio bate meia-noite, todos precisam estar recolhidos dentro de casa. No país mais rico do continente está o maior percentual de vacinados da África: apenas 28% da população está imunizada. Entre os profissionais de saúde, três em cada quatro trabalham sem a proteção vacinal.

O diretor-geral da OMS, há poucas semanas, foi muito claro: “a Pandemia terminará quando todo mundo decidir. Na ocasião, Tedros Adhanom também lembrou que havia cerca de 50 mil mortos toda semana, e que a crise estava longe de acabar. Mas quem quer ouvir, se já dá pra falar de Carnaval no Rio, Natal na Times Square, e programar, finalmente, aquela viagem para o exterior?

Aí esse vírus danado, que não respeita limites, divisas e fronteiras, nos impõe aquele ensinamento, de novo: se não está bom pra todo mundo, não pode estar bom pra ninguém. Só com o mundo todo protegido, estaremos todos protegidos. Tem vacina sobrando em estoques de países ricos, que adormeceram nesta sexta amargando perdas recordes no mercado financeiro. A bolsa de valores de São Paulo teve a maior queda em dois meses em função do abalo da descoberta da presença da variante sul-africana em nações europeias. Até então, estava tudo bem. Tudo bem, pra quem?

“O mundo deve fornecer apoio à África do Sul e à África, e não discriminá-los ou isolá-los. Ao protegê-los e apoiá-los, protegemos o mundo. Esse é um apelo aos bilionários e instituições financeiras”, disseTulo de Oliveira, um cientista brasileiro ajuda a rastrear nova variante da covid-19 em território sul-africano. Um apelo que vem sendo feito há meses, por um maior acesso à vacinação nos países em desenvolvimento. Às vezes sinto que merecemos esse vírus, que não aprendemos nada, com tantas perdas. Desejo estar errada.

Retorno àquela mesma coletiva do diretor da OMS, quando Tedros Adhanom reafirmou que acabar com a Pandemia “está em nossas mãos”, que dispomos de “todas as ferramentas” de que precisamos para isso, o que passa por insistir em uma distribuição mais equilibrada em todo o mundo das vacinas contra a covid-19.

Os donos de poder financeiro e intelectual precisam traduzir declarações em fatos, ideias em ações. E nós, sociedades, vacinadas e protegidas, temos o dever moral de nos manter interessados, conectados com essa tragédia humanitária que ainda testa nossa capacidade de sentir pelo outro. Continuar se cuidando é uma obrigação ética. Ah, importante lembrar: o Omicron já pode estar entre nós.

Enfermagem municipal continua nas ruas pedindo socorro

A luta é por respeito e valorização, coisa que parece não existir para com os servidores públicos, em se tratando de administração municipal. Há quantos dias o pessoal da Enfermagem do município de Parnaíba está nas ruas pedindo o cumprimento da lei e de acordos firmados e não cumpridos junto à prefeitura? Chega a ser desumano o tratamento que estão recebendo, da gestão Mão Santa, aqueles que lutam para salvar vidas.

Não existe canal de negociação. Há embromação e insensibilidade, de parte de um prefeito que é médico e que sabe que este gesto de omissão implica diretamente na saúde do povo e atrasa, inclusive, o calendário de vacinação contra Covid no município. Mas, para ele e seus asseclas, parece que está tudo bem e se vive num mar de rosas.

E OS VEREADORES???

Enquanto diversas categorias reclamam do descumprimento das leis que lhes asseguram direitos, a maioria dos vereadores cala. Ontem mesmo, durante a sessão, que tivemos a oportunidade de acompanhar en passant, no facebook, gastaram mais de 15 minutos falando no secretário de governo, Fábio Barros, que está sendo convocado para ir à Câmara prestar esclarecimentos, a vereadores descontentes com o secretário.

Fábio Barros e  Mão Santa

Segundo a lei, lida pelo presidente da Casa, Carlson Pessoa, quando convocado o secretário tem obrigação de atender a convocação. Não tinha mais  que perderem tempo dando importância a alguém que até ontem era um ente invisível. E que tem todo o poder que arrota hoje, porque a gestão é do Mão Santa. E somente em gestão de Mão Santa certas pessoas passam de invisíveis para Doutores. Mas, afinal, quem é Fábio Barros na fila do pão???

EM TEMPO: Foi dito na sessão que já teve vereador que até já pediu ao Mão Santa a cabeça de Fábio Barros. O prefeito fez ouvido de mercador. Também pediram a minha, quando fui superintendente, e até aprovaram contra mim uma Moção de Repúdio, como aprovaram outra para o próprio Mão Santa. Depois disso, nunca mais dormi(por B. Silva)

Dia da Consciência Negra: olhar o passado da formação do povo brasileiro

Em 2021, mais do que celebrar o Dia da Consciência Negra (em 20 de novembro), mais do que gritar palavras de ordem, mais do que colorir os corpos, mais do que dançar com alegria, para romper com o racismo estrutural no Brasil é fundamental olhar criticamente o passado da formação do povo brasileiro.

De acordo com o antropólogo Darcy Ribeiro (1922-1997), a formação do povo brasileiro é resultado da miscigenação de vários povos – os indígenas, os portugueses e os africanos. Posteriormente, os imigrantes europeus e asiáticos, especialmente a partir do século XIX. Assim, as nossas práticas culturais têm elementos e influências de diversos povos devido à colonização, à imigração e aos povos que já habitavam a terra dos povos originários.

Desde a formação do Brasil, os negros africanos são subjugados sob repressão, opressão, coerção e trabalho escravo, que contribuem para construir e desenvolver a noção discriminatória de “povo inferior”, em detrimento da culinária, da religião, as formas de vida e de outros valores da cultura negra.

No Brasil Colonial os negros foram (e, hoje, ainda são) explorados, violentados e humilhados nas grandes fazendas produtoras de cana-de-açúcar, como mão de obra escrava, fomentando o tráfico negreiro. Com a abolição da escravatura (13 de maio de 1888), aproximadamente 700 mil escravos foram jogados a própria sorte para enfrentarem novos desafios na condição de libertos.

Por isso, mais do que celebrar um dia de consciência negra urge trabalhar na raiz histórica do racismo à brasileira todos os dias e em todos os espaços sociais. Além repudiar as falas e gestos racistas é necessário refletir sobre como se construiu a prática de ódio ao negro.

A força para mudar a realidade hostil contra os negros no Brasil exige uma mobilização permanente pelo fim do racismo estrutural, que se expressa em diferentes níveis. Para tanto, deve-se contar com a participação de intelectuais, classes populares e, principalmente, com o envolvimento não somente dos negros.

Olhar o passado é relevante para entender por que, sendo 106 milhões de pessoas – mais da metade da população do país -, ainda hoje, no Brasil, os negros apresentam todos os indicadores sociais inferiores aos dos brancos. Logo, olhar o passado é entender por que as coisas estão assim e não são assim. De fato, celebrar um dia de consciência negra no país é uma conquista, mas não muda a realidade se não enfrentarmos as raízes do racismo estrutural – ou seja, como e por que chegamos ao racismo à brasileira; por que se tem a ideia de que a cor de pele define o seu lugar na sociedade?

Os negros estão espalhados por todo o território brasileiro, os maiores números estão no Nordeste e no Sudeste. Na transição do Império para a República, percebe-se que, para os escravos negros recém libertos, a única mudança foi da casa grande para os subúrbios, as favelas, as periferias e o submundo do país. Por isso, as políticas afirmativas são importantíssimas para enfrentar o racismo estrutural. Querer não é poder, mas sem conhecimento da realidade que nos trouxe até aqui pouco mudará no país, para melhorar a vida do povo negro.

Portanto, olhar o passado é uma forma de se libertar da ignorância sobre as amarras que nos prendem até hoje como um povo inferior. A condição de vida dos negros continua muito precária, como quando viviam em senzalas. Milhares de famílias estão confinadas em periferias insalubres, trabalham sem remuneração fixa, sem cidadania, com alimentação precária, sob ódio e repressão estatal com bastante violência.(pensarpiaui)

Beto Teles não terá apoio de Mão Santa em 2024 como candidato a prefeito

Vice-prefeito Beto Teles condena ações que prejudicam cidadãos

Falando-se em sucessão municipal, especula-se que o vice-´prefeito de Parnaíba, ex-vereador Beto Teles, até poderá sair candidato a prefeito em 2022, mas sem o apoio do prefeito atual, Mão Santa. Por quê? Simples: Mão Santa não confia em ninguém neste tipo de assunto, que não seja integrante da família dele ou um puxa-saco raiz, do tipo Fábio Barros, Pé de Pano e/ou congêneres. E sendo Beto genro do ex-prefeito Zé Hamilton, o maior adversário político do atual prefeito, a situação piora.

Antes, na pré-campanha, é tudo sorrissos, abraços e gentilezas. Depois, desconsideração

Claro que o poderoso ministro e senador Ciro Nogueira, com diver$o$ intere$$e$, teve grande peso na aliança do Beto com Mão Santa. Mas o prefeito, junto com seus familiares, provaram que não têm nenhum apreço pelo vice-prefeito, não obstante obrigarem Mão Santa a trabalhar doente, acometido por Covid, para não passarem o comando da cidade a quem de direito- no caso o vice-prefeito, o que seria algo muito natural, em qualquer outra administração. Mas com Mão Santa não é assim que a banda toca.

Mas Mão Santa nunca deu valor a nenhum vice. Foi assim na primeira gestão, com Caldas Rodrigues;  Na segunda, com Marcos Samaronne e agora o filme se repete, com o Beto Teles. Até quando governador, nenhum dos seus vices apareceu, teve oportunidade. Foi assim com Osmar Araújo e depois com Osmar Júnior. E por quê? Porque somente Mão Santa, que se auto-intitula o político mais bem preparado do Brasil, é quem quer brilhar. Na atual gestão, pelo que se lê na imprensa da prefeitura, chapa branca, até parece que só quem trabalha é Mão Santa, Gracinha e Adalgisa Moraes Sousa. E mais ninguém. E para que o município paga salário para outros secretários?

Ex-vice-prefeito Samaronne conhece o “modus operandi” de Mão Santa e dos seus

Mas, Mão Santa é mesmo assim: só cultiva as amizades dos puxa-saco RAIZ, sejam bandidos, traficantes, moleques de rua… Quem estuda, para ele, não tem valor, porque o prefeito acha que tudo sabe, daí descarta sugestões de quem quer que seja. Por isso se diz que político do tipo Mão Santa não têm amizades: têm interesses.

Grupo do Zé Hamilton poderá indicar Beto como candidato a prefeito pela terceira via

Mas, voltando ao vice-prefeito Beto, trata-se de um bom nome como candidato a prefeito, desde que continue como vem sendo. Sem atrito com ninguém; suportando calado a falta de consideração e seguindo em frente. Com o apoio do sogro, ex-prefeito Zé Hamilton, é um nome a ser trabalhado como terceira via, visto que o principal opositor do esquema atual de Mão Santa deverá ser novamente o deputado estadual Dr. Hélio. A situação, liderada por Mão Santa, poderá lançar à sua sucessão um vereador/vereadora, ou mesmo o Fábio Barros ou o `Doutor Pé de Pano. A Parnaíba que irá escolher. Afinal, cada povo tem o governo que merece.

 

 

Professores denunciam crise urgente nas escolas brasileiras: “Minha aluna desmaiou de fome”

Ilustração de André Valente (BBC News)

Thais Carrança
BBC News Brasil

Desmaios por fome e pedidos de doação de alimentos tornaram-se rotina nas escolas públicas, em meio ao desemprego elevado e avanço da insegurança alimentar no país

“Essa aluna chegou bem atrasada. Ela bateu na porta da sala de aula, eu abri e notei que ela não estava bem, mas não consegui entender o porquê. Passei álcool na mão dela e senti a mão muito gelada, num dia em que não estava frio para justificar.”

PASSANDO FOME – “Ela sentou e abaixou a cabeça na mesa. Eu estranhei e chamei ela à minha mesa. Ela veio e eu perguntei se ela estava bem. Ela fez com a cabeça que estava, mas com aquele olhinho de que não estava. Perguntei se ela tinha comido naquele dia, ela disse que não.”

“Fui pegar algo para ela na minha mochila — porque eu sempre levo um biscoitinho ou uma fruta para mim mesma. Mas não deu tempo. Ela desmaiou em sala de aula.”

O relato é de uma professora da rede municipal do Rio de Janeiro. A aluna tem 8 anos, é negra e estuda em uma escola localizada em um complexo de favelas na Zona Norte carioca. O episódio aconteceu em setembro deste ano.

“Eu fiquei realmente sensibilizada por essa situação”, conta a professora. “Por que é isso: a fome. Uma fome que a criança não sabe expressar a urgência. E que envolve muitas vezes a vergonha. Para ela é algo humilhante, por isso ela não consegue expressar.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – A matéria foi enviada pelo comentarista Antonio Corrêa Filho. Reflete uma situação terrível, que demonstra a importância da merenda escolar, que Deus ajude as criancinhas e evite que políticos e administradores desviem esses recursos. (C.N.)

Opinião: Ciro Nogueira X W. Dias: duas faces da mesma moeda

Com a divulgação da última pesquisa para Governo do Estado em que Ciro Nogueira apareceu apenas um pouco na frente de Rafael Fonteles e Iracema Portella chega a perder do candidato petista em alguns cenários, não resta dúvida: OS PIAUIENSES JÁ ENTENDERAM QUE CIRO NOGUEIRA E WELLINGTON DIAS SÃO DUAS FACES DA MESMA MOEDA.
Ciro Nogueira tem criticado a segurança pública, a má qualidade das estradas e a falta de perspectiva de crescimento no Governo Wellington Dias. Mas, quando isso foi diferente? A Segurança Pública começou a piorar consideravelmente nos últimos 10 anos e, mesmo assim, Ciro nunca disse nada.
Ciro era aliado de Wellington Dias quando a barragem de Algodões rompeu. O Governador SABIA, antes do acontecimento, dessa possibilidade e mesmo assim não fez nada – o que leva Wellington Dias a responder por homicídio da população de Cocal. O que Ciro falou sobre esse crime? ABSOLUTAMENTE NADA.
Quando as facções criminosas começaram a dominar o Piauí, rendendo e assassinando piauienses – por volta de 2018 se intensificou bastante a atuação desses grupos – Ciro não se manifestou uma única vez pela Segurança Pública. Ao contrário: em 2018, o atual Ministro da Casa Civil pediu votos para Wellington Dias, Haddad e Marcelo Castro.
Se tem uma coisa que as pesquisas divulgadas hoje revelaram é que Ciro Nogueira e Wellington Dias são indissociáveis na mente da população. Eles eram aliados há pouco mais de um ano e a briguinha dos dois não convence ninguém.
A verdade é que Ciro Nogueira pediu para ser o candidato de Wellington Dias ao Governo do Estado, mas o governador não aceitou (a única vez que o PT cedeu o poder para outro partido foi em 2010 para Wilson Martins).
O rompimento de Ciro com Wellington foi apenas por conta da insatisfação na recusa do nome do progressista e não por divergir de sua gestão e qualquer divergência é apenas um teatro dos dois lados. PT e Progressistas são iguais. Ciro e Wellington são gêmeos siameses.(Fonte:O Piauiense)

Como melhorar a Segurança Pública do Piauí?

Neste texto, vamos falar de algumas soluções importantes para os problemas da Segurança Pública e que nenhum político do Piauí fala:

– Acabar com a politização das polícias. É inaceitável que delegacias especializadas como o GRECO (Delegacia contra o Crime Organizado) ou a própria PM sejam usadas como trampolim político para demagogos e incompetentes. Sem focar na criminalidade o problema não será resolvido. Um sujeito como Fábio Abreu envenena policiais contra eles mesmos, criando grupos políticos que atrapalham o combate ao crime.

– Foco na inteligência. Uma polícia que não investiga, que a grande maioria dos crimes são ignorados, não funciona. É preciso investigar e concluir os crimes que são registrados nos boletins. A sensação da população é que os BOs não servem de nada e muita gente evita o estresse de registrar o crime.

– Respeito às Polícias: precisamos ter um governo que respeite a polícia, oferecendo investimentos constantes, salários dignos para a periculosidade da profissão e melhorando sempre o trabalho dos agentes de segurança sem marketing. Ações publicitárias irrelevantes como o aluguel de viaturas não melhoram e nem motivam, pois quem trabalha na polícia SABE que a situação é caótica.

– Melhorar o contingente. A criminalidade está sempre aumentando seus números, mas a polícia está há anos com o mesmo número de policiais (até menos, se contarmos que muitos estão se aposentando). Sem contingente suficiente é impossível combater o crime.

E você, tem mais alguma sugestão para melhorar a Segurança Pública?(Fonte:O Piauiense)

História: Colocaram no depósito da ALEPI cadeira onde sentou deputado Moraes Sousa

Tem sido corriqueiro na Assembleia Legisativa do Estado do Piauí (Alepi) deputados saírem do Legislativo Estadual e entregarem a seus filhos a função de sucedê-los. Não foi diferente com o ex-deputado estadual Antônjo José de Moraes Sousa que, em 2002, candidato a deputado federal e eleito, passou o bastão para Moraes Sousa Filho que se elegeu  para o 1º mandato de deputado estadual naquele ano. Zé Filho foi reeleito em 2006. Em 2010, foi eleito vice-governador do Piauí na chapa de Wilson Martins, a quem substituiu em 4 de abril de 2014. Candidatou-se à reeleição e perdeu.

Com a saída de Zé Filho da Assembleia para ser candidato a vice-governador, em 2010, a cadeira que um dia foi ocupada pelo velho Antônio José, passou a ser ocupada pela então esposa de Zé Filho, Juliana Falcão, que chegou a dois mandatos.

Em 2018 Zé Filho candidatou-se a deputado estadual e Juliana, que mantinha sua cadeira na Assembleia, foi a federal. Ambos não lograram êxito. Agora, com a notável possibiliadde de Zé Filho não ser candidato novamente a uma caddeira na Alepi, pode-se dizer que  a cadeira conquistada por Antônio José 1982 foi jogada no depósito. Retirada do plenário.

Antônio José de Moraes Sousa teve sua vida política iniciada na ARENA e após migrar para partidos como PDSPFL e PMDB, foi eleito deputado estadual pelo Piauí em 1982, 86, 1990, 1994 e 1998. Foi eleito deputado federal em 2002. (POR:B. Silva)

Editorial: Por que os servidores municipais reclamam da administração Mão Santa?

Quem não conhece por dentro a administração do prefeito Mão Santa é levado a crer ou imaginar que Parnaíba é um mar de rosas e que, em se tratando da gestão municipal, “está tudo muito bem, tudo muito bom”. Mas, absolutamente, não é bem assim, como pintam na mídia os bajuladores que tudo fazem para garantir a portaria com a qual foram presenteados.

Mão Santa deixa de prestigiar, valorizar e pagar adequadamente quem de fato trabalha, para remunerar, com salários de secretários municipais, pessoas que até há bem pouco tempo eram simples malandros, de pouco estudo, que não mereciam a confiança de ninguém. E Mão Santa lhes deu confiança e os mantém lá na prefeitura, como conselheiros, ouvidor, “homem de confiança”. Ou seja: para o prefeito não importa o que você estudou, se preparou e conquistou ao longo da vida. O que importa para ele e os seus é que hoje você seja um  PUXA-SACO RAIZ. Não pode ser nutella.

Daí a Prefeitura hoje está repleta de pessoas, com portarias, recebendo gordos salários,  que não tem função específica porque foram apenas cabos eleitorais que ajudaram na campanha que deu vitória ao prefeito atual. Não têm função específica, a maioria, porque nada sabe fazer, a não ser puxar o saco. Enquanto isso, o prefeito diz que não pode dar posse aos mais de 50 concursados da secretaria da saúde, aprovados em 2019; não pode convocar aprovados em seletivo da educação; não pode pagar os direitos de várias categorias de servidores. Não há dinheiro, dizem. O investimento é apenas nas praças, nos parques e jardins e na aquisição de lâmpadas de LED. Isso numa cidade com a grandeza de Parnaíba. E o resto, a propaganda da maquiagem, fica por conta dos detentores de portaria que vivem apenas de coçar…

POR QUE PAROU? PAROU POR QUÊ???

Nesta quarta-feira(10) os Dentistas Efetivos do município de Parnaíba iniciaram uma paralisação geral. Os profissionais cobram valorização, melhoria das condições de trabalho além de atualização salarial que está com pelo menos 10 anos de defasagem.

Também está paralisada a classe da enfermagem, que reivindica cumprimento do acordado na Greve de 2019, restabelecimento da gratificação de combate à pandemia, regulamentação da carga horária, aposentadoria especial, recomposição salarial da categoria, segurança, vale refeição, condições de trabalho e de equipamentos. E por que essas manifestações se o governo é tão bonzinho, Parnaíba tem o melhor prefeito do Brasil que diz valorizar o servidor?

Acorda, Parnaíba! É preciso valorizar quem trabalha e dar oportunidade a quem, de fato, merece por haver corrido atrás e feito por merecer. É a meritocracia que está faltando. E na gestão Mão Santa ocorre é a supervalorização do deboche, da incompetência e do servilismo.

 

Opinião: “A quem serve o Ministério Público do Piauí?”

Após uma extensa lista de crimes levados ao Ministério Público e que foram deliberadamente jogados para debaixo do tapete, fica a pergunta: A quem serve o Ministério Público do Piauí?

Certamente, o Ministério Público não serve a sociedade piauiense. O Procurador Geral de Justiça, Cleandro Moura, já foi escolhido em duas ocasiões pelo Governador Wellington Dias – e essa escolha não se deu porque Cleandro é agressivo no combate à corrupção.

Wellington Dias e Cleandro Moura, Procurador Geral do Ministério Público

Provavelmente, o contrário é a verdade: Cleandro é omisso diante dos inúmeros casos de corrupção que ocorrem no Piauí.

Ele não viu a falta de transparência na Assembleia Legislativa, como não se importa com as compras superfaturadas, não viu nada de errado na eleição fraudulenta de Flora Izabel, nos contratos ilegais com Araujinho.

Cleandro foi escolhido a dedo por Wellington Dias porque ele faz com que o Ministério Público funcione de acordo com os interesses do governador: tornando-se uma instituição irrelevante, que faz vistas grossas ao que acontece no Piauí.

O Ministério Público tem servido a interesses obscuros e estranhos ao que espera a sociedade piauiense. O órgão que é responsável por vigiar e fazer valer a lei, é o primeiro que desaparece quando acontece algo grave.

Se a situação do Piauí se agravou tanto, podemos sem sombra de dúvidas entender que um dos grandes responsáveis é o Ministério Público, que mesmo sabendo de diversas irregularidades, fecha os olhos e finge que não vê nada.

Estamos sozinhos nessa luta e todos os órgãos públicos são cúmplices do que acontece no Piauí.(Fonte:O Piauiense)

“A Ignorância é audaciosa”

Secretário de Saúde Florentino Neto e Presidente da FIEPI, Zé Filho

A foto acima circulou ontem nas redes sociais, tanto do secretário de saúde Florentino Neto quanto nas do presidente da Federação das Indústrias, Zé Filho, causando um verdadeiro “frisson” nos meios polítiqueiros, que trataram de fazer os mais desairosos e “destrambelhados”  comentários.

Na verdade o encontro teria sido, apenas e tão somente, para discutir “projetos integrados FIEPI/SESI para a área de saúde, com o fim de fazer do Piauí um Estado mais forte e desenvolvido”, segundo explicou o secretário Florentino Neto.

Não verdade são dois ex-prefeitos de Parnaíba que conhecem a cidade e seus problemas. Não é o fato de militarem políticamente em áreas antagônicas que os fará inimigos inconciliáveis. Mas do que nunca Parnaíba precisa de ambos e, com o poder que possuem nas mãos, têm que unir forças que possam redundar em fatos concretos para a melhoria da qualidade de vida da população.(POR: B. Silva)

Opinião: A sinuca de bico da oposição do Piauí

A proximidade da escolha do candidato a governador na chapa da oposição liderada por PROGRESSISTAS E PSDB se tornou uma grande SINUCA DE BICO.
Se por um lado, o robusto grupo liderado por CIRO NOGUEIRA conta com um Ministro na Casa Civil, 2 senadores, 3 Deputados Federais, 6 Deputados estaduais e quase uma centena de prefeitos.
O outro grupo liderado por SILVIO MENDES não possui nenhuma prefeitura e tem um único deputado estadual (Marden) que está de malas prontas para os Progressistas.
O grande problema está na escolha do nome que será o cabeça da chapa.
Prefeitos e deputados progressistas já deixaram claro que o local apropriado de Silvio Mendes é como candidato a VICE-GOVERNADOR. Não querem ter que negociar com o tucano que tem um estilo próprio de fazer política que afasta os establishment da política piauiense.
Porém, a candidatura de Iracema parece não ganhar espaço na aceitação popular. Pesquisas já apontam que uma disputa entre Iracema e Rafael é um cenário perfeito para o petista ganhar com facilidade.
A população já entendeu que Iracema é apenas a mudança da cor da saia, os progressistas sempre foram situação e velhos aliados dos petistas. O que muda agora é que eles apenas querem ser o ator principal e ganhar mais espaço na administração estadual.
Ciro Nogueira, não se enganem, ainda não está totalmente descartado da disputa.
Nos bastidores, comenta-se sobre um movimento forte do meio político que pede que caso Iracema não decole, Ciro deve ter que entrar, pois ser governado por Silvio Mendes para os políticos é pior que ser governado por Rafael.
Essa é a grande sinuca de bico que movimenta a formação da chapa da oposição. Que, no fundo, ainda sonha com a chapa perfeita com CIRO GOVERNADOR e SILVIO VICE. Cenário muito improvável de acontecer. (Fonte: O Piauiense)