Prefeituras recebem 2º FPM de novembro nesta quarta

O 2º decêndio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de novembro deve cair nas contas das prefeituras na próxima quarta-feira, 20 de novembro. Serão R$ 846.745.859,94, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em valores brutos, incluindo o Fundeb, o montante chega a R$ 1.058.432.324,93.

Segundo os dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), comparado com mesmo decêndio e 2018, houve um aumento de 11,72% no repasse em termos nominais, ou seja, sem considerar os efeitos da inflação. Nesses critérios, o acumulado do mês teve crescimento de 9,65%. Levando em conta a inflação, o aumento ficou em 8,84%.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM), ao divulgar os dados, destaca ainda que a soma do 1º e 2º decêndio de novembro mostra que o Fundo cresceu 6,82% dentro do mês, comparando com mesmo período de 2018, levando-se em conta a inflação. O percentual confirma saldo positivo do ano para as prefeituras, pois, de janeiro até este 2º decêndio, o aumento é de 8,76% em termos nominais.

A entidade municipalista lembra que o FPM, assim como a maioria das receitas de transferências do país, não apresenta uma distribuição uniforme ao longo do ano. É necessário, portanto, que os gestores façam os planejamentos financeiros e firmem compromissos de forma a garantir o fechamento das contas.

Para contribuir, a Confederação divulga, por decêndio, os valores que serão creditados por coeficientes e por Estado. As tabelas apresentam os valores brutos do repasse do FPM e os respectivos descontos: 20% do Fundeb, 15% da saúde e o 1% do Pasep. Neste 2º decêndio de novembro, os Municípios de coeficientes 0,6 – que representam a maioria (2.459 ou 44,16%) – ficarão com R$ 210.489.886,11, ou seja, 19,89% do que será transferido da União.

Fonte: CNM

 

Ônibus escolar com mais de 20 alunos sai da pista após problema mecânico

No início da tarde desta terça-feira (19/11), um ônibus escolar que presta serviço à prefeitura de Buriti dos Lopes, região Norte do Piauí, para fazer transporte de adolescestes, saiu da pista na rodovia BR-343, após apresentar problema mecânico.

O acidente aconteceu próximo ao Cemitério Municipal da Igualdade. As informações são do Portal do Rurik. Por sorte, ninguém, nem os alunos nem o motorista tiveram ferimentos.

As informações são de que o ônibus havia saído do povoado Ponte do Jandira, com destino ao município de Buriti dos Lopes, com quase de 30 alunos que cursam o ensino médio na Unidade Escolar Leônidas Melos, onde funciona um anexo da U.E Dep. Francisca Trindade.

Um ônibus do Programa Caminho da Escola, auxiliou no transporte dos alunos que ficaram na rodovia.

    Imagem: Reprodução/Portal do Rurik

Com o ocorrido, fica o alerta para a verificação das condições dos veículos que fazem o transporte de alunos no município e mais rigor nas fiscalizações. 

Viatura da PM de Teresina está com os bancos escorados com pedras

Há tempos a estrutura da segurança pública no Estado do Piauí vive em frangalhos. Chegaram a redação do Blog do Pessoa, imagens de viaturas da Polícia Militar de Teresina completamente sucateadas.
Nas fotos, viaturas do 6º Batalhão de Polícia Militar, em Teresina, aparecem com os bancos escorados com pedras, além de outros inúmeros problemas.

(Blog do Pessoa)

 

Professor no DF pede redação sobre sexo oral e anal para crianças de dez e onze anos

Professor no DF pede redação sobre sexo oral e anal para crianças de dez e onze anosOs próprios alunos tiraram fotos do quadro e gravaram áudios de Santana

Durante uma aula de português, no Centro de Ensino Fundamental (CEF) na quadra 104 da Asa Norte, em Brasília, o professor Wendel Santana, 25 anos, propôs aos alunos do 6º ano uma redação improvisada sobre práticas sexuais, “sexo oral e anal”, na última quarta-feira (13). Sobre o caso, a Secretária de Educação informou que ele apenas foi afastado das salas de aula.

Ao sugerir o tema da redação, o docente utilizou termos chulos como “fio terra”, “punheta”, “boquete”, os próprios alunos ao se sentirem incomodados fizeram as imagens do quadro, com os temas da redação. “Brasília, 13 de novembro de 2019. Objetivo: fazer o próprio currículo. Redação improvisada. Escrever sobre polidez e transformações afetivo-sexuais na adolescência (pós-infância). Sexo oral e penetração”.

Os próprios alunos, incomodados, fizeram as imagens das “dicas” do professor para a redação.

Por meio de nota, a Secretaria de educação alegou que Santana é um professor temporário, mas que, em lugar de chamar a polícia, apenas o afastou e o devolveu preventivamente à Coordenação Regional de Plano Piloto e Cruzeiro, “enquanto está investigando a situação no CEF 104 Norte”. Apesar das gravações em áudio e vídeo, a secretaria informou que, “se comprovados os fatos, terá seu contrato cancelado”.

Procurado pelo Diário do Poder, o Sindicato dos professores do Distrito Federal (Sinpro-DF) informou que a diretoria vai se reunir hoje para tratar do tema “Ainda não existe uma posição sobre o assunto. Ela também vai aguardar primeiro a apuração dos fatos, para saber o que aconteceu. Acha o assunto grave, mas ainda precisa ver o resultado da apuração”.

Em sua defesa, Santana afirma que “não recebeu treinamento adequado”. E alegou que objetivo do exercício era ensinar as crianças as diversas formas de linguagem. “”A linguagem que eles trazem pra mim é uma linguagem totalmente informal. Foi isso que eu vi. O exercício que eu propus foi trazer essa informação de linguagem informal e adaptá-la para uma linguagem formal, que é a linguagem da educação de fato”.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), por meio da Promotoria Promotoria de Justiça de Defesa da Educação (Proeduc) vai pedir abertura de uma investigação sobre a postura de Santana em sala de aula com alunos de 10 e 11 anos.

Vem aí o Mundo SENAI

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Piauí (SENAI-PI) vai realizar, no dia 21 de novembro, na unidade Centro de Formação Profissional José de Moraes Correia, da cidade de Parnaíba, no norte do Estado, mais uma edição do Mundo SENAI. Um evento gratuito, com palestras, minicursos, demonstrações práticas e competições técnicas, com o intuito de divulgar as oportunidades de formação profissional voltadas para a indústria. 

O SENAI abrirá, ao longo do dia, as portas do Centro de Formação Profissional José de Moraes Correia, para receber a comunidade, estudantes de escolas públicas e privadas, parceiros e empresários, os quais poderão fazer visitas guiadas às instalações, iniciando pela Quadra de Esportes, onde a instituição vai realizar uma Mostra dos Projetos do Desafio SENAI de Projetos Integradores, bem como o Inova 2019. No local estarão expostos para o público 20 projetos, idealizados pelos alunos.

 Além das atividades na Quadra de Esportes, várias ações serão apresentadas em salas de aula, laboratório e auditório.  O Mundo SENAI procura despertar o interesse dos participantes pelas profissões industriais e promover a aproximação com a indústria. O evento conta ainda com diversas atrações, destacando, entre outras: demonstração de lego; oficinas de metalmecânica – torno; comandos elétricos, panificação; processamento, e bromatologia, com mostra do curso e processos.

 O Mundo SENAI é uma oportunidade para jovens conhecerem mais sobre a indústria, além de ajudá-los a descobrir os caminhos que a instituição oferece para a formação profissional. O evento traz oportunidades de interação em um ambiente propício para o contato com o conhecimento e com o universo das profissões industriais, para ajudar o jovem a decidir com mais segurança qual carreira profissional deseja seguir.

Em 2018 o evento atraiu mais de 1.500 mil participantes, entre estudantes e a comunidade local. Este ano, a organização espera um número ainda maior de visitantes.

 Jânio Holanda – ASCOM/FIEPI

“Pescadores achavam bom”, diz Valdeci Cavalcante sobre óleo em praias

Em entrevista ao O Dia News, da O Dia TV, o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Piauí (Fecomércio-PI), Valdeci Cavalcante, minimizou os impactos causados pelo óleo nas praias do litoral piauiense no último final de semana. Ele afirmou que a situação está prejudicando empresários e seria um “exagero” das autoridades competentes.

Presidente da Fecomércio-PI, Valdeci Cavalcante, em entrevista ao O Dia News, da O Dia TV. (Foto: Assis Fernandes/O Dia)

Segundo ele, a situação era comum nas décadas de 50 e 60, no período de agosto a outubro, e que, inclusive, os pescadores da época “achavam bom” encontrar “piche” no mar, pois o material era usado para impermeabilizar as canoas.

“Me criei ali na beira do mar e nunca deixei de ver aquelas manchas de piche. Algumas vezes nesse período a gente ia para a praia e chegava em casa com os pés sujos de piche, a nossa mãezinha dava algodão com querosene para limpar os pés”, disse.

A afirmação do presidente da Fecomércio é refutada pela Semar (Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos), que faz um alerta para que os banhistas respeitem as placas de proibição de banho nas praias Peito de Moça, Atalaia e Pedra do Sal. Segundo o órgão, há registros de pessoas que entraram no mar e desenvolveram reações adversas após contato com a água contaminada pelo óleo.

Somente no último final de semana, a Capitania dos Portos, em conjunto com o Exército, ICMBio e Semar retiraram mais de três toneladas de óleo das praias do litoral piauiense. Apesar da quantidade de óleo retirado, o presidente da Fecomércio avalia que a interdição das praias é “exagero”

Presidente da Fecomércio-PI, Valdeci Cavalcante, em entrevista ao O Dia News, da O Dia TV. (Foto: Assis Fernandes/O Dia)

“Não tem nenhuma mancha de óleo substancial, está havendo um exagero, sempre aconteceu aquilo ali. Não se justifica a interdição das nossas praias, aquilo é um prejuízo substancial para a classe empresarial e para região do litoral como um todo”, destaca.

Valdeci Cavalcante acusou ainda o Governo do Estado de estar “atrás de recurso”, ao comentar a fala da governadora em exercício, Regina Sousa, de que está aguardando um relatório da Capitania dos Portos do Piauí para poder decidir se decretará ou não o estado de emergência no litoral. Além disso, ele afirma que o dinheiro será usado para pagar seguro-defeso extra e beneficiar pessoas que “nem são pescadores”.

Se assinado, o decreto de emergência permitirá que o Piauí busque ajuda do Governo Federal em ações mais efetivas de contenção do óleo nas praias, bem como o recebimento de seguro-defeso extra aos pescadores artesanais, benefício pago aos trabalhadores durante o período em que a pesca para fins comerciais é proibida devido à reprodução dos peixes.

O benefício poderá diminuir os prejuízos acumulados pelos pescadores da região, como os marisqueiros da cidade de Ilha Grande do Piauí, que perderam contrato com o maior comprador de mariscos da cidade devido ao risco de contaminação do produto pelo óleo.

Até o momento, sete praias já foram afetadas pelas manchas de óleo em toda a faixa litorânea do Piauí. São elas: praia de Atalaia, Coqueiro, Pedra do Sal, Arrombado, Peito de Moça, Cajueiro da Praia e Pontal.

Além destas, sete áreas do Delta Parnaíba, consideradas Área de Preservação Ambiental (APA), também foram atingidas, como a Ilha do Caju, Barra das Melancieiras, Ilha dos Poldros, Ilha das Canárias, Praia do Pontal, Praia de Caiçara e na praia de Tutóia.

Por: Nathalia Amaral

Cinismo homérico! Wellington Dias diz estar ‘morto de preocupado’ com as praias piauienses

Não tem óleo de peroba que dê jeito! Um governador da estirpe de Wellington Dias, que pouco faz para o desenvolvimento turístico das cidades do litoral piauiense, e ainda deixa algumas das poucas obras que faz na região atrasarem por anos, divulga um vídeo em que diz estar ‘morto de preocupado’ com a situação das manchas de óleo nas praias.
A bela Pedra do Sal, que foi uma das praias atingidas, sofre até hoje com as promessas de W. Dias. O local não conta com segurança e o posto de policiamento foi abandonado. Até a placa informativa da PM-PI foi retirada do local. A obra de ampliação da rodovia Parnaíba-Pedra do Sal ainda não foi totalmente concluída, mesmo depois de anos. A obra de urbanização da orla, um ‘cozimento de galo’ sem fim, não tem previsão de quando a primeira etapa será finalizada. E caso isso aconteça algum dia.
O governador Wellington Dias, que não está nem aí para a Pedra do Sal e as demais praias do litoral piauiense, deveria era ter vergonha de fazer ‘média’ com a população que reside nessa região do Estado. A única preocupação, de verdade, que o petista tem hoje é a da Polícia Federal colocar as mãos nele e na esposa, a deputada federal Rejane Dias. Isso, sim, atormenta a cabeça do petista todos os dias, de domingo a domingo.

Não faz nada de concreto para ajudar o turismo na região litorânea, e fica com blábláblá de ‘chocado’ com o que acontece com as praias. Vinte litros de óleo de peroba ainda são insuficientes para tanta cara de pau.

Deputado quer ampliar o limite de idade para ingresso na Polícia Militar

Carlos Augusto conta com o apoio dos colegas

O deputado estadual Coronel Carlos Augusto (PL) quer ampliar o limite de idade para o ingresso na Polícia Militar. Atualmente, os interessados em ser policial militar no Piauí dever ter a idade de 18 a 30 anos. O Projeto de Lei apresentado pelo parlamentar liberal amplia o limite até 33 anos de idade.

O deputado, que já foi comandante da Polícia Militar do Piauí, considera que a atual exigência da idade de 18 até 33 anos, atrapalha muitas pessoas de ingressar na carreira militar. Segundo ele, esse limite atualmente atrapalha os jovens com 31, 32 anos deixam de concorrer na luta para ser PM.

“A gente deixa de receber um bom profissional. Um profissional já experiente e com boa formação. Então apresentei esse projeto aumentando de 30 para 33 anos.A expectativa de vida que hoje é de 78 anos já permite que a gente vá fazendo algumas alterações e adequações na nossa legislação”, declarou Carlos Augusto.

Para ele, o mais importante do projeto de lei é tirar o limite de idade para o policial militar. “As vezes você tem um policial com 15 anos de serviço, altamente capacitado, e que não é oficial porque não tem chances de fazer o concurso. Então ele vai concorrer de forma igual com os civis, com todo mundo, mas sem o limite de idade”, detalhou o deputado.

Ele lembrou que dos cerca de seis mil policiais militares efetivos no Piauí, há mais de 500 homens e mulheres formados em Direito.

Por que Regina Sousa não larga o ar-condicionado do Karnak para visitar o litoral?

Desde que o apático governador Wellington Dias viajou em mais uma de suas turnês internacionais, que geralmente não dão em nada de lucrativo para o Piauí, que a governadora em exercício, Regina Sousa, ainda não pisou nas praias atingidas com manchas de óleo no litoral piauiense.
Ela deveria ter feito isso pelo menos para conversar com moradores e comerciantes das áreas afetadas sobre os danos causados na região. Não pisou e nem pisa nas cidades do litoral do Piauí. A climatização do Palácio de Karnak é muito mais confortável e tranquila. De origem humilde, parece que a petista se encantou rápido demais com a frieza artificial dos salões do poder. Para quem vivia no sol, um arzinho e uma sombra fresca não são ruins.
A petista tinha era que largar as mordomias do Karnak para conferir, de perto, os prejuízos que as manchas de óleo geraram nas praias piauienses. Está perdendo uma boa oportunidade de mostrar a seus críticos ferrenhos que governa para todos, e não para as conveniências políticas e aliados.
Mas, do jeito que donos de barracas e comerciantes das praias estão furiosos com o alarde feito pela SEMAR, que se transformou em muito prejuízo financeiro, é melhor mesmo ela fica no conforto do ar-condicionado do Palácio de Karnak. Ouviria muita reclamação.

Aumento da área desmatada na Amazônia só foi maior durante o governo Lula

Ibama lança edital para contratar empresa que monitore desmatamentoForam 2,4 mil quilômetros quadrados desmatados a mais desmatados em 2004 em comparação a 2003

O Prodes, sistema do INPE que monitora taxa de desmatamento na Amazônia, mostrou que a área desmatada cresceu 2,3 mil quilômetros quadrados desde o ano passado. A última vez que isso ocorreu foi entre 2003 e 2004, no governo Lula, quando a área de floresta destruída cresceu 2,4 mil quilômetros quadrados. Foram 27,8 mil quilômetros quadrados desmatados de 2003 a 2004. Segundo dados do Prodes, essa área é quase três vezes maior que a desmatada atualmente. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Segundo o Prodes, o desmatamento atual é 30% menor que a média histórica: 13,9 mil km2. Já foram desmatados 446,2 mil km2 desde 1988.

O ano de 1995, primeiro do governo FHC, teve o maior desmatamento registrado no Prodes (29,1 mil quilômetros quadrados).

Os anos de governo Dilma Rousseff, ao contrário do antecessor, registraram as menores áreas desmatadas.

O ano de 2012 teve o melhor resultado já registrado sobre o desmatamento na Amazônia: apenas: 4,6 mil quilômetros quadrados.

Projeto do 4º Salão do Turismo da Rota das Emoções é apresentado ao Prefeito Mão Santa

O Prefeito Francisco de Assis de Moraes Souza, Mão Santa, recebeu em seu gabinete nesta quinta-feira (14) o Sebrae (PI), Sr. Freitas Neto, o Superintende do Sebrae, Sr. Mário Lacerda e, o Presidente da Federação das Indústrias do Estado do Piauí, Antonio José de Moraes Souza Filho, que apresentaram ao Prefeito de Parnaíba, o projeto do 4º Salão do Turismo da Rota das Emoções.
O evento acontecerá de 27 a 30 de novembro em Parnaíba, no Centro Esportivo Dirceu Arcoverde (Verdinho).
Paralelo ao salão, ainda acontece a Fepeme Regional de Parnaíba. A Prefeitura de Parnaíba é um dos parceiros na realização do 4º Salão do Turismo da Rota das Emoções e, da Fepeme Regional de Parnaíba.

Texto/Fotos: Bruno Santana

Óleo: catadores de mariscos da Ilha Grande perdem clientes e vendas caem 90%

A presença de óleo na região litorânea do Piauí já afeta a economia dos trabalhadores de pesca. Compradores estão deixando de adquirir peixes e mariscos no Estado por medo de contaminação.

A presidente da Associação de Catadores de Marisco de Ilha Grande do Piauí, Joelma Santos, contou ao Cidadeverde.com que,  no último mês, um comprador que adquiria entre 1 tonelada de marisco dos produtores, cancelou a compra. “O homem que comprava parou porque disse que as pessoas não estão querendo por medo de contaminação. E isso afeta nossa renda porque a fonte maior é a produção de marisco. Agora estamos vendendo de 20 a 30Kg por semana”, conta Joelma.

A Associação dos Catadores de Marisco de Ilha Grande do Piauí conta com 45 associados. Eles catam marisco no portal do Delta do Parnaíba e temem que o óleo chegue ao Rio Parnaíba.  Desde os 10 anos de idade Joelma ajuda os pais a catar marisco. A presença do óleo na região tem deixado os trabalhadores apreensivos. “Está todo mundo com medo de entrar no rio porque , se entrar, vai ter gente que vai passar fome. Vai ser uma tragédia muito grande”, acredita Joelma.

Lucimar Rodrigues, presidente da Colônia Z-7 de Pescadores de Ilha Grande do Piauí, também afirma que a situação está ruim para pescadores da região. Ele afirma há relatos de peixes que já morreram por conta do contato com o óleo.

“Aqui está ruim para todo mundo. Vamos nos unir com a prefeitura, sindicato do pescadores e colônia para tentar fazer uma vistoria e avaliar a situação”, disse Lucimar.

O Movimento dos Pescadores e Pescadoras Artesanais do Piauí (MPP-PI) divulgou, neste fim de semana, uma nota em que pede  a decretação de estado de emergência em saúde pública, por conta das manchas de óleo que estão aparecendo no Delta do Parnaíba. 

Em manifesto divulgado no sábado (16), os trabalhadores afirmam que há risco de vida aos cidadãos que moram ou visitam a região por causa da contaminação causada pelo óleo.

Izabella Pimentel

Mádison acredita que Ciro vá disputar o governo e Firmino tentará vaga no Congresso

Membro da base aliada de Wellington Dias (PT), o deputado estadual João Mádison (MDB) classificou como duras as declarações do prefeito Firmino Filho (PSDB), que não só criticou a administração petista, como duvidou que o partido do governador vá mesmo lançar candidato em Teresina.

Para Mádison, o embate é fruto não só da disputa pela sucessão municipal, como pela antecipação do debate sobre 2022.

O emedebista lembrou que Firmino é pré-candidato, mas aposta que o tucano não disputará o governo.

“Do grupo, acredito [que o candidato a governador] que vá ser o Ciro [Nogueira]. E ele [Firmino] deva ser candidato ou a deputado federal ou a senador”, disse em entrevista à TV Cidade Verde.

Secretaria do Turismo contrata de banda Kátya Cilene à Taty Girl e Forro Absolut

QUASE UMA POLÍTICA DE GOVERNO

A pasta do Turismo segue fazendo o que, aparentemente, mais sabe – ali ao lado de pavimentação, que é a contratação de bandas para festividades.

Entre elas e em meio às mais recentes, estão as bandas Kátia Cilene, Taty Girl, Forro Absolut, João Veloso, Bill Coimbra, Waldo e Felipe, para a 8ª edição do Festival Sabor Maior da Cidade de Campo Maior. 

Em outra frente contratou a banda João Veloso para o aniversário da Cidade de Cristino Castro. (180graus)

UNINASSAU prepara acadêmicos para o mercado de trabalho

NTEC auxilia estudantes na conquista de vaga de emprego

Por: Sariny Leão

O Núcleo de Trabalhabilidade, Emprego e Carreira (NTEC), da Faculdade UNINASSAU Parnaíba, realizou no último dia 4 de novembro o programa Trainne. A inciativa consiste em orientar os estudantes sobre as etapas de uma seleção de emprego com base nos processos das principais empresas do Brasil e do mundo.
De acordo com a analista de carreira, Neilsa Lima, a ação teve a finalidade de capacitar os estudantes a ocupar uma vaga em grandes empresas.  “Durante a capacitação simulamos as etapas de um processo seletivo buscando orientar os inscritos sobre os processos de seleção dos programas de Trainee e ainda auxiliamos no desenvolvimento da carreira”, comentou​.
A atividade fez parte das ações do NTEC que auxilia e orienta os estudantes a inserção no mercado de trabalho com oficinas, palestras, cursos, vivência nos setores, entre outras atividades.

Programa Laços de Cidadania na UFPI

O Programa Laços de Cidadania e sua equipe, vem por meio deste convidar a população em geral a participar da última Feira Laços de Cidadania dessa edição de 2019, neste dia 20/11, quarta-feira, das 9;00 hs às 16:00 hs, no auditório central da UFPI/CMRV.
A mesma busca como principal objetivo a promoção da economia solidária entre seus expositores, comunidade acadêmica e visitantes. Onde como de costume serão comercializados diversos produtos artesanais, orgânicos, e oriundos de pesca, a fim de gerar renda aos participantes que comercializam seus produtos, estes originários das comunidades do Delta do Parnaíba.
Também contaremos com a presença especial de nossa expositora convidada de Barra Grande, que irá contribuir conosco e trará produtos de produção artesanais e orgânicos, tais como:
*Kombucha
*Esfirra vegana
*Haribo
*Geléias de acerola orgânica
*Geléia de manga orgânica
*Brownie de chocolate de bio massa de banana verde
Contaremos ainda com uma atração musical, o acadêmico de psicologia Lucas Silva, que irá trazer algumas composições para animar o evento, a apresentação será a partir de 12:30. Venha, você é nosso convidado especial! Venha contribuir conosco e fortificar nossos laços!
Segue abaixo nossos contatos:
Email: [email protected]
Instagram: lacosdecidadania

Fecomércio contesta Semar na interdição das praias

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Piauí é contra ações da Secretaria do Meio Ambiente do Estado que estabelece proibição de banho em praias do litoral piauiense atingidas por manchas de óleo.

Segundo Valdeci Cavalcante, a recomendação de não uso de praias é atribuição da União e não do Estado. O presidente da Fecomércio disse que a Semar não tem legitimidade jurídica para interferir nas praias afetadas com óleo. “Isso é atribuição da União”, afirma. 

A Associação Comercial e Industrial de Luís Correia protocolou na Procuradoria da República em Parnaíba, representação contra a Semar, alegando inconsistência legal nas ações de recomendação de não uso de praias e prejuízos ao turismo no litoral. A Fecomércio reforçou a iniciativa da entidade empresarial.(Elivaldo Barbosa)