Cajueiro da Praia registra desaparecimento de 22 jumentos

Pelo menos 22 jumentos que viviam de forma errante em Cajueiro da Praia, município do litoral do Piauí localizado a 397 km de Teresina, sumiram durante o ano de 2021.

Furtos de jumento voltaram a acontecer em Cajueiro da Praia - Lucrécio Arrais

Furtos de jumento voltaram a acontecer em Cajueiro da Praia – Lucrécio Arrais

Denúncias em Luís Correia, Sobradinho, Baixa da Pedra, Barra Grande e outras localidades do litoral também foram registradas. Quase um ano depois, a população permanece pedindo justiça. Em abril, os furtos aconteceram novamente.

Investigação

Fernanda Faustino, empresária de Cajueiro da Praia, cobra uma investigação mais responsável. “Estamos desde 2021 tentando fazer a investigação andar. É muita insistência com o delegado Emir Maia. Nós passamos para a Polícia Ambiental toda a informação que chega para nós”, afirma. Fernanda faz parte do Barra PETs, organização que protege os jumentos da Barra Grande.

“Os 22 jumentos que foram levados eram mascotes do vilarejo. Animais mansos que os turistas tiravam fotos e divulgam mundo afora. É importante preservar a cultura local. Os jumentos são animais inteligentes e sensíveis. Eles tinham nomes e a população domesticou, dando água e comida. Quando demos falta, começamos uma luta para identificar quem estava recolhendo esses animais”, acrescenta.

Há suspeita de abate de jumentos na Bahia- DivulgaçãoHá suspeita de abate de jumentos na Bahia- Divulgação

Abatedouros

De acordo com Dário Magalhães, membro do Conselho de Medicina Veterinária do Piauí (CRMV-PI), o que existem são suposições.

“No Nordeste existe  suspeita da prática de abate de jumentos em abatedouros na Bahia para a exportação. Existe a possibilidade de que esteja levando de forma clandestina para lá. Essa prática de abate de jumentos existe no mundo faz tempo. No Piauí isso não existe”, esclarece.

O veterinário explica que a investigação do caso deve ser feita pela Polícia e o Ministério Público. Além disso, a Prefeitura Municipal de Cajueiro da Praia é a responsável pelos animais que andam em vias públicas. No caso do transporte irregular de animais, a fiscalização fica por conta da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Piauí (Adapi).

Animais andavam soltos e recebiam carinho dos moradores- DivulgaçãoAnimais andavam soltos e recebiam carinho dos moradores- Divulgação

Polícia identifica suspeitos

De acordo com informações do delegado Emir Maia, que segue investigando o caso, um  caminhão foi identificado envolvido na operação de furto dos jumentos de Cajueiro da Praia. “Em breve vamos ouvir o proprietário para saber se estão ainda na posse do veículo. Temos também a identidade de supostos envolvidos, mas os fatos precisam ser checados”, disse.

A reportagem também buscou informações com a Prefeitura Municipal de Cajueiro da Praia e a Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (Adapi), mas nenhuma das autarquias públicas retornou às tentativas de contato do Grupo Meio Norte de Comunicação até o fim desta apuração. 

Grande polêmica no litoral

sumiço dos jumentos permanece como uma grande polêmica no litoral piauiense. Os protetores seguem a teoria de que os bichos são encaminhados para a morte.

“Esses animais são tratados de forma maldosa e cruel. Eles atravessam as divisas estaduais nesses caminhões fechados. Pelas denúncias se imagina que estão sendo mortos em abatedouros clandestinos, onde a carne e as cartilagens são usadas na indústria asiática de cosméticos e a alimentação”, denuncia Fernanda Faustino.

Fernanda Faustino cobra uma maior investigação - DivulgaçãoFernanda Faustino cobra uma maior investigação – Divulgação

(Blog do Lucrécio/MN)

Deixe uma resposta