Chapa de Ciro e Simone poderá ter 20% nas pesquisas, assim que for anunciada

Ciro e Simone estão formando uma chapa muito competitiva

Carlos Newton

Será uma eleição verdadeiramente eletrizante, desde o primeiro turno. Todas as pesquisas indicam três realidades de intenção de voto que não podem ser desprezadas. A primeira é a formação da maioria silenciosa, devido ao grande número de eleitores que não aceitam votar em Jair Bolsonaro ou Lula da Silva. A segunda circunstância é a alta rejeição dos favoritos, com maior intensidade em relação a Bolsonaro. E a terceira realidade é o fato de que 30% dos eleitores que apoiam Lula ou Bolsonaro ainda admitem mudar o voto.

Caramba! Em tradução simultânea, pode-se dizer, sem medo de errar, que essa eleição continua absolutamente indefinida e o primeiro turno pode ser decidido no photochart (olho mecânico), como ocorre no turfe.

TERCEIRA VIA – Esses três fatores, sem a menor dúvida, indicam que a terceira via não pode ser descartada. Muito pelo contrário, mostram que está se formando uma conjuntura favorecendo a união dos candidatos Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB), nem importa qual dos dois venha a liderar a chapa.

Nesse sentido, a escolha do senador Tasso Jereissati (PSDB) como vice de Simone Tebet é demonstração de congraçamento da terceira via, pois não existe político mais ligado a Ciro Gomes do que o ex-governador cearense.

Simone Tebet deve anunciar o nome de Jereissati nos próximos dias, só depende das negociações no Rio Grande do Sul entre MDB e PSDB na política gaúcha. Mas Ciro Gomes continuará sem vice até o Dia D e a Hora H.

DIRETO A 20% – Há outra perspectiva absolutamente real, no tocante às intenções de voto, que será registrada logo nas primeiras pesquisas, assim que for anunciada a chapa definitiva da terceira via. Não mais que de repente, diria Vinicius de Moraes, reaparecerão os 10% dos votos de Sérgio Moro, que sumiram misteriosamente e virão se somar aos de Ciro e Simone, alcançando no mínimo 20% do eleitorado.

Nada mal, especialmente quando se sabe que na pesquisa espontânea (“Em quem você vai votar”), sem exibir a lista de candidatos, Lula tem 37% e Bolsonaro 25%, segundo o último Datafolha.

Por tudo isso, a chamada maioria silenciosa deve lembrar Richard Nixon e ter consciência de que, na reta de chegada, são os seus votos que decidirão as eleições.

###
P.S. –
 Por enquanto, vamos deixar as coisas como estão e fingir que acreditamos na vitória de Lula no primeiro turno, façanha que jamais conseguiu, nem mesmo nos tempos em que se acreditava que ele era honesto e defendia os trabalhadores. (C.N.)

Deixe uma resposta