Chuvas devem se concentrar mais ao Norte do Piauí no mês de abril

O mês de abril já começou com previsão de mais chuva. É o que mostra o boletim semanal do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) que monitora os volumes de chuva e níveis dos principais rios do país. A previsão pluviométrica indica volumes um pouco maiores nos primeiros sete dias de abril, na porção mais ao norte do estado, tendo reflexo no nível dos rios. 

Nível do rio Poti, em Teresina, está elevado, mas dentro da normalidade, segundo CPRM | foto: Raíssa Morais

Nível do rio Poti, em Teresina, está elevado, mas dentro da normalidade, segundo CPRM | foto: Raíssa Morais

“Com essa tendência de elevação por conta das previsões pluviométricas, é válido ressaltar uma atenção especial aos rios da região norte onde os níveis já encontram-se elevados, principalmente, na calha dos rios Marataoan e Parnaíba, que apresentam cotas de alerta nas cidades de Barras e Luzilândia, respectivamente, e já atingiram a cota de inundação no mês de março”, aponta o boletim semanal emitido nesta sexta-feira (1º) pela CPRM. 

Segundo o órgão, o rio Longá (em Esperantina) teve precipitações mais amenas em sua bacia nos últimos dias e isso vem se refletindo com a diminuição do nível, atualmente em cota de atenção. O nível dos rios Poti e Parnaíba, que passam em Teresina e Timon, estão em situação de normalidade. 

A previsão é que os níveis dos rios na região norte e centro-norte do estado continuem elevados por conta dos volumes que devem se precipitar nos próximos dias e caso alguma dessas bacias tenham precipitações mais concentradas e intensas pode ser observada uma maior elevação dos níveis desses rios nessa região nos próximos 7 dias.

“Não são esperados grandes volumes de precipitação na bacia do Poti nos próximos 7 dias, dessa forma, também, não esperamos que o nível saia dessa situação de normalidade nesse horizonte de previsão. Caso se confirmem as previsões gerais para todo o período chuvoso da ocorrência de chuvas dentro ou acima da média na bacia devido, principalmente, à ocorrência de La Niña, é possível que os rios atinjam cotas mais significativas de meados de março a meados de maio, com maior predominância no mês de abril”, destacou a CPRM. 

Deixe uma resposta