CONSELHO DE ÉTICA “LIBERA” CUSPARADA NO PLENÁRIO ENTRE DEPUTADOS

JEAN WYLLYS CUSPIU EM BOLSONARO, MAS TOMOU APENAS ADVERTÊNCIA
JEAN WYLLYS CUSPIU EM BOLSONARO, MAS SUSPENSÃO DO MANDATO VIROU ADVERTÊNCIA POR ESCRITO
O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados decidiu que um deputado cuspir em outro no plenário da Casa não é quebra de decoro parlamentar. No caso concreto, Jean Wyllys (Psol-RJ) levou apenas uma advertência por escrito, algo como o recado na agenda da criança que se comporta mal na escola, pela cusparada dada em Jair Bolsonaro (PSC-RJ) durante a votação do impeachment de Dilma Rousseff (PT).
Os deputados rejeitaram, por 9 a 4, o parecer do relator Ricardo Izar (PP-SP), que previa a suspensão do mandato de Wyllys por um mês e aprovaram o texto alternativo proposto pelo deputado Júlio Delgado (PSB-MG) com a advertência. Segundo Delgado, a cusparada não foi premeditada e representou uma “ofensa moral”.
Wyllys ainda pode recorrer à Comissão de Constituição e Justiça e ainda há incertezas sobre a necessidade de enviar o caso para votação no plenário da Casa.(Diário do Poder)

Deixe uma resposta