Deputados do PI destinam emendas PIX milionárias às prefeituras; veja lista

Por Rany Veloso

Na bancada dos deputados federais do Piauí, a campeã das emendas PIX, como são popularmente conhecidas as emendas via transferência direta, é a deputada Margarete Coelho (PP). Ao total, desde 2020 ela destinou R$ 22.079.805 para vários municípios do estado, sobretudo onde estão suas bases eleitorais.

O top 3 é formado por deputadas da base do presidente Bolsonaro no Congresso Nacional. O blog fez o levantamento dos valores indicados pelos parlamentares e liberados pelo governo federal às prefeituras sem que o deputado precise prestar contas.

Júlio César (PSD) é o único que não usou nenhuma emenda desse tipo. Merlong Solano (PT) destinou todos os recursos ao governo do estado. E Fábio Abreu (PSD)foi o que enviou o maior valor à capital Teresina.

Do montante transferido após indicação de Margarete Coelho, os maiores valores foram às cidades de Bom Jesus com R$ 2,4 milhões somente em 2022 e São Raimundo Nonato que somou R$ 2,319 milhões em 2021 e 2022. O prefeito de Bom Jesus, Nestor Elvas (MDB), é aliado à base do governo do estado, já a prefeita de São Raimundo Nonato, Carmelita Castro (PP), é irmã da deputada.

Em segundo lugar vem Iracema Portella, deputada licenciada do PP, foram R$ 22.057.805, a maior emenda chegou em Caridade do Piauí no valor de R$ 1,1 milhão. Iracema foi a que distribuiu os recursos a um número maior de municípios. 

Logo em seguida vem Marina Santos (Republicanos). Ela usou nestes dois anos e meio R$ 19.259.895 milhões, sendo R$ 7.019.682 milhões para Barra D’Alcântara somente em 2022.

Merlong Solano (PT) preferiu destinar o dinheiro ao governo do estado. Somando os recursos de 2021 e 2022, foram R$ 16.094.675 milhões.

VEJA A LISTA COM OS VALORES EM REAIS:

Deputados do PI destinam emendas PIX milionárias às prefeituras; veja lista - Imagem 1

O QUE É EMENDA PIX?

Desde dezembro de 2019 está na Constituição que os parlamentares do Congresso Nacional podem destinar valores de emendas individuais direto às prefeituras, sem convênios, por isso são chamadas de [emendas] “PIX”. O dinheiro vai para o caixa da prefeitura sem dizer especificamente onde deve ser aplicado. É o prefeito quem decide. O parlamentar não presta conta, mas o gestor municipal precisa declarar ao Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Deixe uma resposta