Dilema de Moro é garantir mandato para se proteger

Ex-juiz precisará garantir a proteção que só o mandato confere, para se proteger de retaliações e perseguições, por Lula ou Bolsonaro.

O ex-ministro Sergio Moro foi aconselhado a buscar opção partidária robusta, como o novo União Brasil, por uma razão óbvia: inviabilizado o seu projeto presidencial, ele precisará garantir a proteção que só o mandato confere, para se proteger de retaliações e perseguições, por Lula ou Bolsonaro. Ele nega intenção de disputar a Câmara, por enquanto, mas poderá adotar esse o caminho, até porque sua vitória é certa e ajudaria a eleger candidatos do novo partido, no voto de legenda.

Eleitor de primeira

Se Moro optar pela Câmara, o União Brasil espera eleger ao menos quinze deputados. Sem Moro, não passariam de oito.

Perseguição certa

Os aliados dão como certa implacável perseguição a Moro no caso de vitória de Lula, que o ex-juiz meteu na cadeia por corrupção.

Chance reduzida

Os amigos de Moro temem menos eventual retaliação de Bolsonaro no futuro, até porque já a teria iniciado em seu primeiro governo.

Privilégio protetor

É curioso que a busca da proteção do mandato põe em xeque as críticas de Moro ao foro privilegiado, que ele já prometeu extinguir.(Cláudio Humberto)

Deixe uma resposta