Falsa médica presa pela PF em Teresina é solta pela justiça

Iaponyra Sousa

A falsa médica identificada como, Iaponyra Soares Pereira de Sousa e Silva, presa em flagrante na segunda-feira (16) foi solta pela justiça nesta terça-feira (17). A mulher foi presa na sede da OAB-PI, por se passar por uma médica neurologista e ainda usar a identidade de outra profissional.

A decisão judicial que saiu nesta tarde concedeu liberdade para Iaponyra. Segundo a decisão do juiz, ele não viu necessidade de manter uma prisão em flagrante preventiva, pois a suspeita da falsidade foi para proferir uma palestra.

“Não no exercício da medicina, de modo que não pôs em risco a vida de terceiros. Igualmente não vejo como se fundamentar a prisão no receio de risco à aplicação da lei penal, pois a detida possui endereço fixo e conhecido, além de não possuir histórico algum em seu desfavor”, pontuou o juiz.

De acordo com a PF, foram encontrados com ela um carimbo de uma médica com nome semelhante ao dela, que atua no município de Miguel Alves, e papéis timbrados de um hospital particular de Teresina/PI.  A falsa médica foi indiciada pelo crime de Estelionato (Art. 171 do Código Penal Brasileiro).

ENTENDA O CASO

Uma mulher  por ser suspeita de falsificação. Segundo a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí, através da Comissão de Direito da Saúde e da Ouvidoria em conjunto com o Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI) ela se passava como médica, usando a identidade de outro profissional.

Segundo a denúncia, a mulher se apresentou para membros da OAB-PI como neurologista e iria realizar uma palestra sobre saúde mental.

“Ela apresentava-se como neurologista e queria palestrar num evento da OAB-PI, os referidos colegas nos relataram incongruências nos dados. Chamamos ela até a Ouvidoria e ela confessou e foi presa pela Polícia Federal”, destacou o ouvidor-geral da OAB-PI, Rodrigo Vidal.

Sobre a descoberta, o advogado Williams Cardec, informou que foi feita uma pesquisa de dados. “Fizemos uma busca nos nossos arquivos e verificamos que o CRM em que ela utilizava pertencia a outra pessoa. Acionamos a Polícia Federal e ela foi presa em flagrante, e agora vai prestar esclarecimentos para a Justiça”, informou o advogado.

Deixe uma resposta